Yamaha Téneré: História de um clássico das motos



  

A Téneré marcou época desde o seu lançamento. A motos passou por muitas modificações e conquistou fãs

A Yamaha XT660Z Ténéré é um sucesso de vendas e objeto de desejo de muitos motociclistas. O que poucos têm conhecimento é que a história do modelo teve início no ano de 1979. Confira aqui toda a história de um dos modelos mais desejados da década de 80.

Em meados da década de 70, as fabricantes japonesas disputavam por um espaço no mercado automobilístico, proporcionando modelos de multi-cilindricos e de alta potência. Para garantir o seu espaço, a Yamaha trouxe ao mercado a XS750 DOHC, que contava com propulsor de quatro tempos, três cilindros e sistema de refrigeração a ar.

No entanto, era preciso inovar para continuar no mercado automobilístico. Foi então que em 1976, durante o evento Salão de Motocicleta de Tóquio, a Yamaha anunciou o seu novo modelo, a XT 500, que contava com um motor de quatro tempos, 500cc e sistema de refrigeração a ar.

O modelo causou um grande alvoroço entre a mídia, já que diferente dos outros modelos fabricados pela marca, a XT 500 era voltada para eventos de Enduro, modalidade muito popular na época.

O sucesso do modelo logo se espalhou pelo mundo, chegando a ser popular até mesmo na América Latina onde foi comparada a marca Rolls Royce, responsável por fabricar automóveis de luxo e alto desempenho na época.

No final da década de 70, precisamente durante o ano de 1979, ocorreu à primeira competição Rali Paris-Dakar, evento que se iniciava no continente europeu e atravessava o continente africano, tendo fim na costa marítima de Dakar, no Cabo Verde. Como poucas fabricantes se interessavam pelo evento, a Yamaha disponibilizou seu modelo XT 500. O resultado? O piloto Cyril Neveu obteve o pódio nas duas primeiras edições da competição com o modelo da empresa.

Em 1983, a Yamaha decidiu que era hora de evoluir mais uma vez, a XT 500 deu lugar a XT600Z Ténéré. O modelo contava com tanque de combustível de 30 litros, propulsor monocilíndrico de 600cc, sistema de frenagem a disco na roda dianteira e um ótimo espaço em seu bagageiro. O nome Ténéré – que significa “deserto” – foi dado graças a um trecho da competição de Rali Paris-Dakar.

Como era de se esperar a motocicleta se tornou um sucesso de vendas, principalmente em países do continente europeu.





Em 1986, a motocicleta sofreu mudanças para se adaptar ao terreno urbano, ganhando partida elétrica e redução em sua reserva de combustível, que passou para 23 litros.

Em 1988, o modelo ganhou uma leve reestilização que lhe rendeu os clássicos faróis duplos, além de freio a disco também na roda traseira. Já em 1991, o modelo teve seu tanque reduzido para 20 litros, a fim de deixá-la compacta e garantir uma fácil pilotagem.

Chega ao fim à era Ténéré 600 em 1994 sem nenhuma alteração no seu design desde 1991. No Brasil, o modelo foi substituído pela XT 600, que logo deu origem a XT 660.

A Yamaha lançou a XTZ 660 Ténéré em grande parte do mundo, no entanto o modelo não chegou ao Brasil. A motocicleta foi fabricada durante seis anos (1993 a 1999).

Vale lembrar, que a Yamaha também iniciou a produção da Yamaha XTZ 750 SUPERTÉNÉRÉ. O modelo foi comercializado no Brasil até o ano de 1997, quando foi substituída pela Yamaha TDM 850.

Em 2011, a Yamaha voltou a fabricar os modelos da linha Ténéré. No Brasil, é possível encontrar todos os modelos da linha: XTZ 250, XT 660Z e XT 1200Z.

Por Wendel George Peripato



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *