Modelo será o mais barato da montadora e chegará às concessionárias por R$ 8.250.

Toda estreia de um novo veículo, sobretudo oriundo de uma grande marca, torna-se um evento ímpar. Recentemente, em território nacional, mais um modelo de motocicleta foi oficialmente lançado.

Trata-se da eficiente Honda Elite 125, cuja estreia comercial no Brasil estará em torno do valor de 8.250 mil, consistindo este veículo no modelo scooter mais acessível, em termos de custo, produzido pela companhia.

A moto vai aterrissar nas concessionárias neste mesmo mês de dezembro, munida de freios tipo CBS da própria série. Competindo em uma escala abaixo do modelo PCX 150, ela está destinada a disputar espaço com o novo da Yamaha, o Neo 125.

Assim, a companhia Honda fez revelar na última quarta-feira, dia 5 de dezembro de 2018, o valor oficial do novo modelo scooter para o Brasil, sendo esta a versão intitulada Elite 125, que estará disponível, como foi citado, pelo valor de 8.250, numa única versão, munida dos já citados freios combinados, em CBS da série.

Sua estreia se dará em nossas concessionárias neste mesmo mês de dezembro, que colocará em destaque o Elite 125, dado que as concessionárias da Honda são ótimas estrategistas em vendas, aqui no Brasil.

Em realidade, o modelo Elite está dentro de uma linha de nove lançamentos anunciados pelo marketing da montadora japonesa, destinados ao Brasil, cuja divulgação se dará entre o final de 2018 e o início de 2019.

Uma pequena relação dos atributos da moto segue abaixo:

Está aparelhada com um motor de um cilindro e 124,9 CC; são 9,34 CV em potência e mais 1,05 KGFM em torque; munido do câmbio automático CVT; possui um tanque com capacidade de 6,4 litros; munida de luzes de LED; a sua altura de assento é de 772 mm; equipada com freios de tipo CBS; possui um painel digital; está disponível em quatro alternativas de cor: em vermelho, em azul, em branco e em preto; além de possuir mais espaço destinado às bagagens sob o assento.

Embora exista um pequena crise assolando o segmento, a estreia do modelo Elite 125 deixa claro que esta linha mantém sua força e poderá intensificar-se nos próximos anos.

Desde que pré-estreou no mês de outubro deste mesmo ano, o modelo Elite de fato fez manter certo mistério no ar, como por exemplo, nos atributos de seu motor. Nesta versão, e por meio de seus engenheiros, a montadora fez revelar que o veículo está aparelhado de um motor inédito, com um cilindro e 124,9 CC de potência, que o torna capaz de entregar um desempenho máximo de 9,34 cavalos em 7.500 RPM, articulando-se dentro de uma força de torque em 1,05 KGFM em 6.000 RPM.

Em sua parte dianteira, o modelo Elite 125 está equipado de um garfo telescópico estruturado em curso de 90 mm, inteiramente conectado à sua roda de 12 polegadas, que utiliza o pneu na medida de 90 por 90-12. Na parte traseira, está equipada com o chamado sistema tipo monoamortecedor, que opera em regulagem para a carga da mola; possui curso de 70 mm e está munido, também, de pneu com medida de 100 por 90-10.

Em termos de dimensões, ele possui rodas muito similares ao Lead, cujo tamanho chega à escala de 12 polegadas, em sua dianteira, e a outra chega a 10 polegadas, em sua parte traseira. Apesar das medidas indicadas, esses são considerados raios pequenos, deixando claro que se trata de um modelo próprio para o meio urbano. O modelo PCX, por sua vez, está munido de rodas que medem 14 polegadas de raio, em ambos os seus eixos.

Esta pode ser uma motocicleta surpreendente, apesar de sua estrutura clássica. Vale a pena conferir.

Paulo Henrique dos Santos


Novo modelo chega com freios ABS e custa cerca de R$ 18 mil.

A Honda, fabricante japonesa com tradição no segmento de motos, está lançando no Brasil a Honda XRE 2019 ABS. Trata-se da mais nova versão de um modelo que vai completar 10 anos de mercado, agora com mudanças importantes para o consumidor.

A principal alteração, que dá nome ao modelo, é o sistema de freios ABS. É uma mudança que atende a uma exigência da legislação brasileira, que estabelece que, a partir de 2019, todas as motocicletas do país deverão contar com sistema de freios CBS e ABS. Dessa forma, a versão da XRE standard, que não continha ABS e custava R$ 16.650, não estará mais disponível.

O sistema ABS deste modelo é de duplo canal, o que resulta em ação independente para as duas rodas. Essa característica colabora com o desempenho do veículo tanto na terra quanto no asfalto.

O piloto da Honda XRE 2019 ABS encontrará uma moto 5,4 kg mais leve do que sua antecessora. A redução do peso, somada ao centro de gravidade bem distribuído, promete proporcionar ao piloto uma melhor experiência na condução da motocicleta. As configurações de seu motor, porém, continuam as mesmas: o modelo apresenta motor flex de 1 cilindro, com 291,6 cc e 25,6 cavalos. A moto possui 5 marchas e torque máximo de 2,8 kgfm.

É importante também ressaltar as mudanças no visual da Honda XRE 2019 ABS. Houve alterações na carenagem, no “bico” e no farol dianteiro, que conferiram ao modelo um tom mais moderno e o aproximaram do visual da XRE 190.

A tampa articulada ao tanque também apresenta visual moderno, com a garantia de proporcionar praticidade no momento de abastecer. A carenagem do modelo reforçam o estilo aventureiro da XRE 300. O bagageiro, por sua vez, integrado à alça de alumínio, proporciona a melhor acomodação da bagagem.

A suspensão dianteira da moto apresenta curso maior do que em motos convencionais. Já a suspensão traseira pro-link apresenta versatilidade para diferentes tipos de terreno.

O painel da XRE é totalmente digital. Ele apresenta velocímetro, marcador de nível de combustível, conta-giros, hodômetro total e parcial, relógio e luzes-espia. O farol dianteiro, piscas e a lanterna traseira são de LED, o que proporciona mais segurança ao piloto, garantindo boa visibilidade mesmo em situação em que a luminosidade estiver prejudicada.

A XRE 2019 ABS tem preço estipulado pela fabricante de R$18.200. Suas versões Rally e Adventure saem por R$ 18.690.

A primeira versão da Honda XRE começou a ser produzida no Brasil em 2009, substituindo os modelos Tornado 250 e NX4 Falcon. O modelo possui injeção eletrônica e características herdadas Tornado 250, como o banco em degraus, o globo ótico do farol rígido e balanças.

Ficha técnica:

Tipo: DOHC, monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar

Cilindrada: 291,6 cc

Potência Máxima: 25,4 cv a 7.500 rpm (Gasolina) / 25,6 cv a 7.500 rpm (Etanol)

Torque Máximo: 2,76 kgf.m a 6.000 rpm (Gasolina) / 2,80 kgf.m a 6.000 rpm (Etanol)

Transmissão: 5 velocidades

Sistema de Partida: Elétrico

Diâmetro x Curso: 79,0 x 59,5 mm

Relação de Compressão: 9,0:1

Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI

Combustível: Gasolina e/ou Etanol

A Honda Motor Company Limited é uma das mais importantes fabricantes de automóveis e motocicletas do mundo. A empresa foi fundada por Soichiro Honda em 1946, e é sediada em Tóquio, no Japão. A Honda chegou ao Brasil em 1971. Sua primeira fábrica brasileira foi inaugurada três anos depois, em 1974, em Manaus (AM). Atualmente existem outras duas fábricas da empresa no país, em Sumaré e Itirapina, ambos municípios do Estado de São Paulo. Além das fábricas, a Honda possui uma extensa lista de concessionárias distribuídas pelo Brasil. No site da empresa, o interessado poderá encontrar a concessionária mais próxima de sua localidade.

Por Luís Fernando Santos


Honda apresenta nova GL 1800 Wing 2019 com mais luxo e requinte.

A classe de motos Touring comercializada pela Honda desde a década de 70 não são simplesmente motocicletas de “estrada”, pelo seu peso, porte e requinte nos equipamentos oferecidos, elas são tratadas como objeto de desejo de inúmeros aficionados e pilotos em todas as regiões do mundo.

Apresentada pela Honda em sua nova versão 2019, a Honda GL 1800 Gold Wing e a Honda GL 1800 Gold Wing Tour traduz todo o luxo e conforto que uma motocicleta pode proporcionar para o seu usuário (e ocupantes) durante o seu guiar.

Com preços próximos a carros de luxo, a Honda oferece duas versões deste clássico sobre duas rodas, a versão mais “simples” é a Honda GL 1800 Gold Wing, oferecida somente na cor cinza, já a Honda GL 1800 Gold Wing Tour é um pouco mais equipada tem a exclusividade de ser oferecida somente na cor vermelha.

Luxo, Conforto e Mecânica diferenciados

As novas Gold Wings oferecidas vem equipadas com uma motorização de 1,8 litros movidas somente à gasolina, com 126 cavalos de potência máxima, a Honda faz questão de frisar que houve um ganho de seis cavalos em comparação a versão anterior. Além disto, o torque que este avantajado motor proporciona é de 17,34 kgfm. Toda esta potência e torque são comandados por uma transmissão de seis marchas na versão Gold Wing e outra de sete marchas conjugada com uma embreagem dupla na versão mais completa, a Gold Wing Tour.

Um motor mais potente e um câmbio mais moderno é somente parte de todo pacote tecnológico que a Honda oferece em sua moto classe Touring, fora isto o motorista conta com uma serie de acessórios como airbag (somente para o piloto), regulagens elétricas do para-brisa, uma variedade de porta-objetos, controle de velocidade, faróis com tecnologia Full LED, além dos úteis sistemas start and stop para o motor, partidas em rampas e auxílio em manobras (especialmente em marcha à ré) denominado Walking Mode pela Honda.

O painel composto por uma tela de 7 polegadas em formato digital é um show a parte, pois engloba um sistema de navegação e outro multimídia, atualizado ele aceita o Apple CarPlay também, o piloto também terá a disposição uma entrada padrão USB e Bluetooth se desejar.

Carroceira, suspensões e Freios compatíveis com o seu porte

Com capacidade para até 110 litros para bagagem na versão Gold Wing Tour e assentos individuais confortáveis, as novas versões oferecidas são mais leves que as antecessoras em 48 quilos, isto se deve pelo chassi duplo feito em alumínio fundido.

Os freios tem assistência ABS tanto nas rodas dianteiras de 18 polegadas como nas rodas traseiras de 16 polegadas, a Honda Gold Wing também oferece suspensões novas, na dianteira o destaque é para o uso de um sistema amortizante construído através um braço oscilante garantindo uma agilidade maior nas manobras de 40%, na traseira as novidades vão para o uso de uma suspensão monobraço diretamente conectada a um sistema Pro-Link. Todo este conjunto de suspensões (dianteiras e traseiras) possuem regulagens automáticas e eletrônicas permitindo à adaptação de condução de acordo com a seleção prévia feita pelo piloto.

Preços e Garantia

a Honda oferece a versão Honda Gold Wing inicialmente por R$ 136.550 e a Honda Gold Wing Tour por R$ 156.550. Apesar de toda a tecnologia e porte, os preços de venda se equivalem a muitos carros de luxo (tanto SUV como automóveis) vendidos no mercado nacional, por conta disto seu nicho é extremamente específico e restrito.

O feliz comprador de uma Honda Gold Wing terá a disposição três anos de garantia sem qualquer limite de quilometragem, fora uma útil assistência internacional oferecida pela Honda em até cinco países de nosso continente. Perfeito para os seus estradeiros compradores.

Todas as informações da GL 1800 Gold Wing 2019 estão disponíveis diretamente na web-page da Honda, através do link: https://www.honda.com.br/motos/.

Autor: Carlos B.


Conheça aqui mais detalhes sobre a nova Nova Honda Biz 2019.

A Honda já anunciou a chegada da nova Honda Biz 2019, que tem muitas novidades e um visual com design mais moderno. O modelo ainda traz cores inéditas, inclusive a prata e cinza metálicos, que são a nova tendência do mercado. Também será possível encontrar a nova aposta da Honda na cor vermelho perolizado, mas o branco perolizado, que tanto sucesso fez na versão anterior, ainda continuará disponível. Estas mudanças estão valendo para o 110i como também para o 125i, que custam R$ 7.750 e R$ 9.590, respectivamente.

O motor monocilíndrico a gasolina oferece 109 cc com 8,3 cv de potência a 7.250 RPM. No caso do modelo com 125 cc a potência vai para 9,2 cv a 7.500 RPM. Para ambos os modelos, a transmissão é semiautomática e rotativa de 4 marchas, não sendo necessário o uso da embreagem.

A 110i é mais simples, isto é percebido logo que se vê as duas próximas. O painel da 110i é menos trabalhado, mas vem com rodas raiadas e freios a tambor na dianteira. O modelo ainda conta com CBS – Combined Brake System, um moderno sistema que atua por cabos fazendo que o freio traseiro, ao ser acionado, também acione o freio dianteiro em 30% de sua capacidade.

A 125i é melhor trabalhada, seu painel é todo em LCD, conta com tecnologia blackout de fundo escurecido, que deixa o visual mais bonito. As duas versões contam com garantia de 3 anos e não há limite para quilometragem, sendo que o consumidor ainda terá direito a 7 trocas de óleo gratuitas para sua nova Biz.

O mercado nacional vem olhando para a Biz com bons olhos, ainda mais agora com o combustível em alta e a necessidade de se deslocar de forma mais rápida, principalmente nos grandes centros urbanos. Bonita, prática e econômica, a Biz continua sendo a queridinha dos brasileiros e a versão 2019 vem consolidar esse favoritismo, trazendo modernidade e tecnologia de ponta. Não há grandes novidades, mas o modelo providenciou algumas importantes melhoras, são pequenos detalhes, mas que no dia a dia farão toda diferença.

A indicação da Honda Biz continua sendo para estradas e ruas asfaltadas, ou seja, tradicionalmente nas cidades. O modelo 2019 não sofreu mudanças drásticas, talvez a empresa optou por seguir o ditado que em time que está ganhando não se deve mexer e outro motivo é que não há fortes concorrentes, o que justifica manter quase tudo do mesmo jeito.

Apesar das poucas mudanças, a Honda Biz 2019 não deixa a desejar, pelo contrário, conta com bom desempenho, é econômica e tem alguns importantes diferenciais em relação à concorrência. Tem um porta-objetos que faz toda diferença, principalmente para quem precisa carregar livros, cadernos, bolsas e também capacete. Esse porta-objetos é realmente interessante e muito prático para o dia a dia. Em relação à tecnologia, a Honda Biz 2019 oferece câmbio semiautomático para que a pilotagem fique bem mais fácil, nos grandes centros urbanos, onde é preciso mudar de marcha a todo instante, isto facilitará muito. O modelo oferece a tomada 12 V para recarga do celular em qualquer lugar e conta com injeção eletrônica, garantindo maior preciso no consumo do combustível e assim consegue melhorar ainda mais a economia no fim do mês.

O freio CBS ajuda na segurança, pois distribui melhor a frenagem entre as duas rodas e tem ainda o sistema Honda de proteção, que trava o guidão quando estacionar.

Nas laterais, pequenas mudanças nas linhas, o design foi levemente alterado, assim como a traseira. Na dianteira, um novo conjunto de faróis e o assento oferece um pouco mais de espaço.

A nova Honda Biz 2019 conseguiu manter o que já era bom e trouxe pequenas mudanças necessárias, evitando alterações radicais, o novo modelo promete continuar agradando o consumidor brasileiro.

Por Russel


Modelo chega às concessionárias em nova cor e com novidades.

A nova Honda NXR 160 Bros 2019 vem com muitas novidades que vão encantar a todos os usuários que já conhecem a modernidade da marca. Além de ter uma motorização moderna, a versão ESDD Traz a novidade da sua nova cor, é claro que os pontos positivos desse modelo não param por aqui. A nova Honda NRX 160 Bros é uma moto moderna e com design bem chamativo, ideal para os usuários mais exigentes. Seu preço de venda também é muito atrativo. Abaixo estão as principais informações sobre esse novo modelo.

Nova cor na versão ESDD

A novidade da versão ESDD é que ela tem a opção da cor branca. Além disso, o usuário conta com grafismos inovadores e modernos. Essa junção faz toda a diferença, principalmente para os consumidores mais detalhistas e com visão mais moderna.

Nova Honda NXR possui ótimo motor

Outro fator bem interessante sobre essa moto, é que ela traz uma ótima motorização. Essa informação é uma das mais buscadas por quem deseja comprar esse modelo. Pois todos os consumidores de moto, acabam optando por um modelo que tenha o motor mais potente. Foi pensando nisso que a Honda trouxe uma versão que agradasse principalmente a esse grupo. A Honda optou por manter o mesmo motor de 162,7 cm³, que faz 14,7 cv de potência máxima com rpm de 8.500. Já seu torque máximo é de 1,6 kgfm com rpm de 5.500. Esse modelo também conta com câmbio com 5 marchas, que é um dos fatores que torna essa moto ainda mais completa.

Valor da nova Honda NRX 160 Bros 2019

A nova Honda NRX 160 Bros 2019 traz um valor muito bom e já esperado por quem conhece a tecnologia da marca. O valor inicial de venda dessa moto é de R$12.250,00. Avaliando o modelo, a marca e a motorização, posso afirmar que esse valor compensa bastante. Ainda mais se tratando de um lançamento dessa marca.

Nova versão da Honda vem com mais tecnologia

Quem optar por comprar esse novo modelo da Honda, vai encontrar tecnologia de ponta. Essa moto conta com pedal de freio traseiro, partida elétrica, sistema CBS, além de aplicar 30% nos freios dianteiros. Isso torna essa moto mais completa, segura e prática na hora de pilotar. Isso a deixa mais eficaz na pista e ao mesmo tempo ela também se torna segura para quem vai pilotar. Uma combinação mais que perfeita.

Moto ideal para estradas e cidade

O novo modelo da Honda é ideal para quem gosta de pilotar em diferentes tipos de pistas. Pois ela roda muito bem na estrada e também na cidade. Por ser uma moto completa e de peças fortes, ela consegue suporta muitos impactos sofridos na hora que está sendo pilotada. Isso traz mais segurança e estabilidade para o condutor e torna esse momento mais perfeito.

Nova Honda NRX 160 Bros 2019 tem medidas exuberantes

O novo modelo da Honda tem medidas para ninguém colocar defeito. Digamos que ela é uma moto ideal, pois traz conforto ao usuário e medidas que tornam ela bem chamativa. Ela possui:

– Peso: 120 KG;

– Comprimento x largura x altura: 2067 x 809 x 1158 mm;

– Altura do assento: 842 mm;

– Distância entre eixos: 1356 mm

– Distância mínima do solo: 247 mm

Essas são as medidas do novo lançamento da Honda.

Para quem é indicada a Nova Honda NRX 160 Bros 2019?

Essa moto é indicada para os usuários que gostam de viver muitas aventuras sobre duas rodas. Que querem aproveitar toda a potência dessa máquina e mesmo assim, manter o equilíbrio e segurança. Além de ter conforto a todo tempo.

Essas são as informações sobre a Nova Honda NRX 160 Bros 2019!

Escrito por Cristiane Amaral!


Modelo chega ao Brasil para concorrer com a Honda PCX.

O grupo Piaggio apresentou ao mercado o seu lançamento: Piaggio Liberty 150, que tem o preço inicial R$ 15.900,00. A marca, que também é dona da Vespa, tem o objetivo que o modelo fique entre as scooters mais vendidas do País. Entre as principais características, o Liberty 150 conta com motor de 1 cilindro, além de 150 cc, e tem a capacidade para alcançar 13 cavalos de potência. Outro detalhe de acordo com a marca é que o consumo pode chegar a 51 km/l em uma velocidade constante de 40 Km/h.

Para comprar a novidade, os clientes podem optar pela loja física ou no conforto pela internet, em que pode escolher os detalhes, os modelos e receber o Liberty 150 em casa. Além disso, a marca também está inovando ao inaugurar o serviço de manutenção na casa do interessado. Ou seja, uma oficina móvel. Geralmente o prazo para entrega do produto é em torno de 45 dias.

Atualmente os modelos do Piaggio Liberty 150 são importados da Itália, mas a marca já ressaltou que tem interesse em montá-los no País. A previsão é que isso ocorra no início de 2018. Além disso, a marca também apresentou as vespas 125 e 150, que voltaram ao Brasil, mas em parceria com o grupo de investimento Asset Becley.

Entretanto, os preços das novas vespas são pouco acessíveis: mais de R$ 22 mil. Por exemplo, o modelo 125 custa cerca de R$ 22.890,00 e o 150 cerca de R$ 26.930,00. Entre os principais detalhes das vespas destacam-se a manutenção do design italiano e tendem a atuar no segmento Premium.

Além disso, o modelo 125 é econômico e de acordo com a fabricante consegue consumir até 45,5 km/l. Em relação ao modelo 150, ele tem a capacidade de fazer cerca de 41 km/l. Ambos os modelos contam com suspensões firmes, além de estabilidade nas curvas, oferecendo conforto e segurança para o motorista. Outro detalhe é que na parte dianteira as vespas tem monobraço na suspensão. O freio ABS presente é de série e apesar do tamanho, as vespas acomodam muito bem os motoristas.

Gostou de conhecer as novidades? Deixe os seus comentários e compartilhe com os seus amigos.

Por Babi


Confira aqui o preço e a ficha técnica da nova Kawasaki Vulcan 650 2017.

Em 2001 a Harley Davidson mudou o tom na maneira como eram produzidas as motos Custom. Na época a marca colocou no mercado a V-Road que trazia um estilo mais agressivo e diversos elementos de naked. O aspecto que mais se destacou com esse lançamento foi a questão básica de que a fabricante mostrou de todas as formas possíveis que no campo das custom o visual clássico e ornamentado ou ainda uma personalidade “sem destino” e “bandida” não eram a “essência” obrigatória das custom.

Depois que a V-Road mostrou o que era possível, outras fabricantes começaram a seguir o seu exemplo e aos poucos foram aplicando algumas “pitadas desse novo tempero”. Mais de uma década depois dessa “inovação”, o sucesso das vendas nessa linha ainda é bem tímido. De fato, as motos custom clássicas continuam como as preferidas. Entretanto, uma breve olhada no comportamento delas nas pistas deixa claro as vantagens.

E nesse caminho chegamos a Kawasaki Vulcan 650 S. O modelo conta com ingredientes fundamentais das chamadas “power custom”. Os preços da moto ficam entre R$27.290 e R$31.490 (ABS). Basicamente o visual da Vulcan 650 S é de uma V-Road em miniatura: Os faróis são quase triangulares, os cantos são arredondados e são envoltos por uma moldura em preto fosco, o para-lamas dianteiro é relativamente pequeno e a rabeta comprida.

O motor

O tempero aqui fica por conta do motor. No meio do quadro vamos encontrar um dois em linha muito conhecido (é o mesmo que está na trail Versys 650, naked ER-6N e também na versão carenada Ninja 650). Aqui vamos ter 649cm³, 6,4 kgfm de torque com 61 cv de potência, uma faixa de uso estreita e a estruturação feita para girar alto impressionam mais pela velocidade do que pela arrancada propriamente dita. É interessante observar que nas custom tradicionais o que acontece é exatamente o oposto disso. Ou seja, chamam a atenção na arrancada.

Outro aspecto interessante que podemos destacar é o ponto de que o quadro e o motor são compartilhados. Além disso, temos uma suspensão traseira monochoque, ajustável em sete níveis e com pré-carga de mola.

A Kawasaki Vulcan 650 S não é barata, porém, a moto não tem rivais diretas. E mesmo assim, o preço se mostra bem coerente com o “conjunto da obra”. Para entender melhor um degrau abaixo da Vulcan 650 S vamos encontrar a Dafra Horizon 250, que sai por R$17 mil, mas que tem características significativamente bem mais inferiores.

Já no patamar de cima as que chegam mais perto da Vulcan 650 S são a Suzuki Boulevard 800 (de R$ 36 mil) e a Harley Iron 883 (de R$ 43 mil)!

Por Denisson Soares


Veja aqui o preço e as principais vantagens e desvantagens da scooter.

Já é notável que os scooteres têm conquistado o gosto e a confiança dos brasileiros, pois a cada dia aumenta mais o número desse tipo de motocicleta de menos cilindradas nas ruas. Embora tenha demorado um pouco mais em relação às outras marcas, a Honda já colocou à venda o seu modelo SH 300I, que já está impressionando muita gente, seja pela potência de seu motor, pelo seu atraente visual ou pelo refinado acabamento. Talvez, a única característica deste scooter que pode não agradar muito é o seu valor, estimado em R$ 23.590.00.

Deixando a questão do preço de lado, a scooter da Honda possui inúmeras características que a torna alvo de desejo de muitas pessoas. Entre todas as suas qualidades a motocicleta oferece muito conforto, pois coloca o piloto em uma boa posição, além de trazer muita tecnologia que trabalha a favor de seu desempenho. Um exemplo de tecnologia aplicada está na chave que necessariamente não precisa estar no contato da ignição, pois ela apresenta um sensor que capta a sua frequência até mesmo dentro do bolso, graças ao sistema Smart Key.

Debaixo de seu assento se encontra um tanque com capacidade de até 9,1 litros de combustível, além de espaço para capacete de modelo menor.

Com rodas em aro 16”, os freios possuem ABS, que somados a uma boa suspensão oferecem mais segurança. Seu motor de 300cm3 oferece uma excelente performance para uma scooter, até mesmo em trechos mais sinuosos e em ruas mais esburacadas, como também em estradas, fazendo até 30 km por litro de combustível.

É uma motocicleta boa de arranque, até mesmo quando o piloto possui peso mais elevado. Com 24,9 cv que geram uma rpm de 7.500, sua capacidade de torque é de 2,59 kgfm com 5.000 rpm.

Enfim, a Honda SH300I é uma excelente opção para quem gosta de pilotar este tipo de motocicleta, que reúne características muito relevantes em relação ao seu desempenho. Com certeza ela chega para fazer a diferença entre as demais de seu segmento que estão no mercado. Entre as motos de baixa cilindrada ela é a que mais se destaca em todos os quesitos. Em relação ao preço, quando comparada a sua concorrente Dafra, a diferença não é assim tão grande.

Sirlene Montes


Novo modelo é a aposta da Kawasaki na categoria das motos aventureiras de baixa cilindrada.

A fabricante japonesa de motocicletas Kawasaki é mais uma entre as diversas montadoras que tem vindo apostando forte nas motos chamadas de aventureiras que contam com baixa cilindrada. Agora, a Kawasaki lança o modelo Versys-X 300.

Após a montadora BMW ter lançado seu modelo G 310 GS, a fabricante conhecida por sua cor verde buscou expandir sua linha Versys, fazendo uso do mesmo propulsor que já era utilizado na Kawasaki Ninja 300 e também na Kawasaki Z300.

O modelo teve sua estreia realizada no Salão da cidade de Milão (EICMA 2016), porém, até o momento não se sabe nenhuma informação referente ao seu desembarque em território brasileiro.

A nova Kawasaki Versys-X 300 foi dotada de um propulsor que possui dois cilindros e conta com 296 cilindradas, com refrigeração realizada através de líquido, o mesmo motor utilizado em suas “irmãs”, porém, recebeu algumas alterações em seu funcionamento, para que assim pudesse dar prioridade ao seu bom funcionamento e desempenho, mesmo em giros baixos e médios.

De acordo com informações transmitidas pela marca japonesa de motocicletas, tais mudanças acabaram por deixar o propulsor ainda mais econômico do que já era, dando uma grande autonomia para o mesmo, permitindo assim percorrer uma distância de até 400 km sem a necessidade de reabastecer. Embora se tenha esses detalhes, a empresa oriental até o momento ainda não divulgou nenhum detalhe referente ao seu poder de potência ou torque, porém, seus consumidores já esperam ansiosamente por esses dados.

Embora o novo lançamento da marca faça uso de um motor que já é bem conhecido por seus consumidores, foi necessário desenhar o restante do conjunto de forma específica para a Versys, a qual conta com suspensões, chassi e visual inéditos.

Com relação ao estilo de pilotagem, a posição do piloto ainda continua com o estilo aventureiro, com pedaleiras que deixam as pernas do condutor relaxadas e também conta com um guidão alto.

Na parte dianteira da motocicleta foi utilizada rodas raiadas, com raio de 19 polegadas e na parte traseira, rodas com aro de 17 polegadas.

FILIPE R SILVA


Confira aqui as novidades e o preço da Vespa 946 Emporio Armani.

Após voltar com as suas vendas em território brasileiro, a Vespa já está com o preço definido para seu novo modelo, a Vespa 946 Emporio Armani.

O novo lançamento da marca já dá início suas vendas com preço começando em R$ 59.830, um preço que permitiria comprar quase dois veículos populares aqui no Brasil.

A nova Vespa é filha de uma parceria que foi realizada entre o grupo Piaggio, o qual é dona da marca de mesmo nome e o estilista Giorgio Armani.

Além de seu preço ser bem alto no Brasil, o valor da scooter chega bem próximo de grandes motos com altas cilindradas, como por exemplo, a BMW R 1200 GS, a qual chega a custa até R$ 63.900.

Vespa 946 Emporio Armani vem com uma nova coloração

O novo Scooter, modelo 946 Emporio Armani, conta com uma coloração especial, que possui tons de cinza com leves toques de verde, sendo visível apenas em certas condições de iluminação.

A motocicleta foi fabricada em uma edição especial da Vespa modelo 946, um modelo que ao mesmo tempo em que reúne alguns elementos clássicos, possui um visual bem futurista.

Na moto Vespa 946 Emporio Armani, foi adotado também um tom mais opaco para as partes metálicas, enquanto na parte lateral do scooter está estampado o nome "Emporio Armani”, em referência a parceria firmada com a marca do estilista.

Na parte que fica logo acima do farol dianteiro, está localizado a famosa águia, que é o logotipo característico da tradicional marca de Giorgio Armani.

Vespa chega novamente ao mercado brasileiro

Fazendo parte do Grupo Piaggio, o scooter Vespa retornou e mais uma vez está em território brasileiro no mês outubro através de uma parceria firmada com um grupo investidor, conhecido como Asset Becley. Já foram iniciadas suas vendas, com os modelos vindos do exterior, porém, a parceria há algum tempo está estudando e já está nos planos da companhia realizar a montagem do scooter, a partir do ano de 2018, na cidade de Manaus, no Amazonas, região norte do Brasil.

FILIPE R SILVA


Moto é renovada e virá de série com freios ABS, mapas de potência, acelerador eletrônico e controle de tração.

Tendo em vista a expansão do movimento cross over, no ramo das motos, a Triumph Motocicletas mostrou no Brasil a novidade da Tiger Sport renovada, nesta última quinta-feira (dia 13). Os valores sugeridos são a partir de R$ 52 mil. O diferencial do modelo fica por conta da atualização feita – como dos freios ABS, mapas de potência, acelerador eletrônico e controle de tração (itens de série). Já o motor, conforme nota da fabricante, terá 3 cilindros e pouco mais de 1 mil cilindradas. com 125 cavalos de potência e 10,8 kgfm de torque.

Veja outras especificações da Tiger Sport:

  • Novo cilindro;
  • O chassi continua sem alterações;
  • Modos de potência no motor;
  • Maior economia de combustível (cerca de 8%): 22,9 km/L;
  • Embreagem assistida, com acionamento da embreagem mais leve;
  • Escapamento renovado;
  • Novos bancos;
  • Protetor de mãos;
  • Controle de elevação das rodas;
  • Novo painel;
  • Cruise control (programação do controle de velocidade): estilos chuva, estrada e sport;
  • Grafismos novos;
  • Novos cabeçotes;
  • Roda de 17 polegadas;
  • Pneus esportivos.

Para alguns consumidores, o preço da Tiger Sport renovada poderia ser mais barata, tendo em vista que a desvalorização é muito precoce e grande. Mesmo com a tabela FIPE, a liquidez do modelo é muito baixa. Mas, por outro lado, há quem seja fã da moto e goste do design, que segundo alguns fãs-pilotos, não fica devendo em nada com relação a outros modelos.

A termos de comparação, os modelos da linha Tiger são vendidos atualmente a partir de R$ 45 mil.

Sobre a empresa:

A Triumph Motorcycles Ltda é uma empresa inglesa montadora de motos, fundada em 1984, em Hinckley, Leicestershire, Reino Unido, cujo fundador é o inglês John Bloor. É uma das mais tradicionais no mercado de motocicletas.

Além do Reino Unido, a fabricante tem atividades, na Bélgica, na França, na Suécia, na Suíça, na Alemanha, na Itália, na Austrália, nos Países Baixos, no Japão e nos Estados Unidos.

Tudo começou a partir de 1885, com o alemão Siegfried Bettmann, que resolveu investir no negócio de motocicletas, tendo em vista o grande aumento de bicicleta no país britânico. Começando no ramo com bicicletas, logo depois lançara a primeira motocicleta, em 1902. Rapidamente ela ganhou popularidade.

Cristiane Magalhaes


Confira as novidades e o preço da nova Honda PCX 2017.

Atualmente, no Brasil, as motocicletas de pequeno porte tal como as famosas scooters tem feito bastante sucesso entre os consumidores, os principais fatos que estão fazendo com que os consumidores deem preferência para este tipo de motocicleta é o fato do baixo consumo de combustível, espaço interno para carregar pequenas bagagens, bem como o desing inovador que os novos modelos estão trazendo ao mercado. É nesse contexto que a grande e renomada fabricante de motocicletas Honda lançou a linha 2017 do PCX, o scooter mais vendido do país.

A grande novidade trazida por esta linha 2017 do PCX é a disponibilidade de opções de cores inéditas, sendo que nessa nova versão a fabricante disponibilizará aos consumidores o scooter nas cores prata fosco e cinza metálico como novidades. Outra opção é modelo DLX, o qual traz como novidades a cor marrom perolizado em uma combinação de dois tipos de tons distintos e um adesivo na parte dianteira da sua carenagem que faz alusão à versão.

Em termos de valores, o scooter Honda PCX chega ao Brasil custando o valor de R$ 10.300, enquanto a versão DLX custa R$ 10.800.

Vale ressaltar que o modelo PCX possui a produção nacional, sendo que a grande aposta da fabricante para atrair ainda mais os consumidores é ofertar três anos de garantia, período dentro do qual estão inclusas sete trocas de óleo gratuitas. Além de todos estes atrativos, o veículo chega ao mercado nessa nova versão equipado com o sistema denominado “Idling Stop”, o qual faz o desligamento de forma automática do motor proporcionando uma maior economia de combustível.

No pacote de itens de série dos modelos estão inclusos porta objetos dotado de tomada 12 volts, espaço destinado a guarda de volumes sob o banco com capacidade total de 25 litros, bem como conjunto óptico equipado com lâmpadas de LED.

Já com relação ao conjunto mecânico, a scooter continua com o motor monocilíndrico OHC de 4 tempos e 149,3 cm², o sistema de injeção é eletrônico e o arrefecimento é a líquido. A potência máxima produzida por este propulsor é de 13,1 cavalos a 8.500 rpm e o torque máximo produzido é de 1,36 kgfm a 5.000 rpm. A transmissão dessa scooter é automático do modelo CVT, o qual trabalha em conjunto com o sistema de freios CBS.

Por Adriano Oliveira


Novas motos da Yamaha chegam com sistema de freio unificado e injeção eletrônica.

A montadora de origem japonesa Yamaha realizou o lançamento no Brasil de duas motocicletas na última terça-feira, dia 28 de junho de 2016, são elas: a Yamaha Factor YBR 125i 2017 e a Yamaha Fazer 150 2017. Ambos os modelos irão chegar para dar uma renovada na linha utilitária de baixa cilindrada da Yamaha, com um sistema de freio unificado para o modelo Fazer 150 e injeção eletrônica para o modelo Factor 125.

Abaixo segue a lista dos preços sugeridos pela montadora para os respectivos modelos da linha 2017:

  • Fazer 150 UBS por R$ 9.590
  • Factor YBR 125i ED por R$ 7.390

Dentre todas as novidades que foram inseridas na linha 2017 da Fazer 150 a principal delas é um novo sistema de freio conhecido pelo nome de "Unified Brake System", que em tradução livre para o português seria sistema de freio unificado.

A tecnologia do dispositivo é bem interessante e tem como objetivo realizar a distribuição da força de frenagem entre os dois freios, o traseiro e o dianteiro, da mesma forma que ocorre com a CG 160 CBS, por exemplo.

Com relação a motorização da motocicleta nada mudou, continua sendo o mesmo motor de cilindro único com 149,3 cilindradas, que tem a capacidade de gerar uma potência de até 12,4 cavalos a 7.500 giros e um torque de 1,295 kgfm ao atingir 5.500 rpm.

O modelo passa a ter uma garantia de 3 (três) anos e será comercializado em três opções de cores, que são: vermelho, azul, preto e branco.

Yamaha Fazer 150 2017

Quando se trata do modelo YBR 125i, a moto teve seu desenho retrabalhado por inteiro e passou a ganhar um novo design, juntamente com a injeção eletrônica em seu motor. O motor da Yamaha YBR, que conta com 124,9 cilindradas, gera uma potência máxima que pode chegar a 11,1 cavalos ao atingir 6 mil rpm e um torque de 1,16 kgfm a também 6 mil giros.

Equipada com rodas de liga-leve e freio a disco na parte dianteira, a nova YBR 125i também conta com os mesmos 3 anos de garantia e será disponibilizada nas cores preto e vermelho.

Yamaha Factor YBR 125i 2017

FILIPE R SILVA


Dafra Fiddle III posta no estilo Retrô para conquistar o mercado brasileiro.

Que tal ter uma scooter. Melhor ainda, que tal ter uma scooter estilo retrô. É apostando nesse aspecto que a Dafra traz ao mercado a sua mais nova motocicleta, a Dafra Fiddle III.

Primeiramente, abordando o aspecto físico da motinha, é de se perceber que agrada em suas curvas e design. O seu estilo retrô dá um charme peculiar a scooter da Dafra. O farol meio arredondando, juntamente com os retrovisores cromados, trazem um ar de antiguidade misturado com a modernidade. Ainda, a motocicleta pode ser encontrada em duas combinações de cores: branco e vermelho e preto e dourado.

Segundo informações, a Dafra Fiddle III, no começo de julho, já deve estar no mercado para venda. A princípio ela seria lançada em fevereiro, contudo, o projeto sofreu com um atraso e não pode ser implementado na fabricação da scooter.

Entre alguns acessórios que podem ser encontrados na Dafra Fiddle III estão as rodas de 12 polegadas, tela de LCD e, ainda, uma entrada USB. A gama complementos e o design da Dafra Fiddle III combinam com o preço sugerido pela Dafra de R$ 11.390,00.

De maneira geral, a Dafra Fiddle III chega ao mercado para ser o modelo de entrada da Dafra, haja vista a marca já possui as scooters Cityclass 200i, a Citycom 300i e a Maxsym 400i.

No que diz respeito ao motor, fator primordial em uma boa motocicleta, a Dafra Fiddle III conta com um propulsor de 10,3 cavalos de um cilindro e que pode proporcionar à motocicleta uma quantidade de 124,6 cilindradas. O câmbio é composto pelo sistema CVT.

A Dafra Fiddle III conta, ainda, com um local entre o banco e a carenagem da motocicleta, em que é possível guardar objetos, principalmente, um capacete, a fim de evitar que o condutor tenha aquela sensação horrível de carregar o instrumento protetor da cabeça para cima e para baixo.

Do que se avaliou da Dafra Fiddle III foi possível perceber que ela pode ser uma excelente alternativa para os deslocamentos diários do usuário. Com seu estilo retrô, tende a conquistar os apaixonados por veículos que primam um design mais antigo, mas que esteja alinhado com acessórios da atualidade e proporcionem conforto e segurança.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Veículo conta com motor inédito e tecnologia flex

A montadora nipônica Honda, anunciou no último dia 5 de maio a sua maior aposta para o ano de 2016 no Brasil, a XRE 190. O novo modelo possui freios ABS de série e deve chegará ao mercado pelo preço R$ 13.300.

Seguindo os traços da irmã de cilindrada maior, a XRE 300, a nova motocicleta da Honda surpreendeu o mercado brasileiro. Segundo a empresa, a XRE 190 é ideal para os motociclistas que desejam bom desempenho por preço inferior a XRE 300.

O modelo basicamente urbano adota o prestígio do modelo de média cilindrada, a XRE 300, e segue o mesmo design. A carenagem frontal é fixa no chassi formando uma única peça presa ao tanque.

Ainda conta com para-lama curto, carenagens com linhas angulares, escape alto, pneus de uso misto, suspensão para enfrentar dificuldades diárias com um garfo telescópico na frente, de 160 mm de curso, e braço simples atrás, com 150 mm curso.

O painel digital em LCD fornece velocímetro, conta-giros, nível de combustível. A armazenagem de combustível conta com a capacidade de 13,5 litros em um tanque com tanque estilo aviador.

A nova XRE 190 pesa 127 kg a seco, que combinado ao guidão alto promete conforto em seu uso diário.

A motocicleta possui roda de 19 polegadas dianteira e de 17 polegadas na traseira, que proporciona maior aderência ao solo. Já o assento mede 83,6 cm e é ideal para pilotos de estatura média ou alta.

Quanto à frenagem, o modelo possui freio a disco nas duas rodas e sistema ABS de fábrica. O disco dianteiro possui 240 mm, enquanto o traseiro possui 220 mm.

O motor é totalmente inédito. Trata-se de um novo monocilídrinco – com tecnologia Flex – arrefecido a ar e com injeção eletrônica, capaz de fornecer ao piloto até 16,4 cv a 8.500 RPM e 1,66 mkgf a 6.000 giros com etanol como combustível.

A caixa de marchas oferece 5 velocidades e transmissão final por corrente. Além disso, o modelo utiliza partida elétrica, ao invés de partida a pedal.

Com 3 anos de garantia, a XRE 190 chega em breve ás concessionárias brasileiras com preço sugerido (base São Paulo sem frete) de R$13.300 nas cores vermelho, preto e verde.

Por Wendel George Peripato


A linha terá 5 modelos e chega ao Brasil em 2016. São dois novos motores a Street Twin de 900 cc; T120 e Thruxton utilizam um de 1.200 cc.

A Triumph, montadora de motocicletas britânica, chega bastante forte para o mercado de motocicletas brasileiro em 2016. A marca anunciou recentemente a chegada da nova geração da clássica Bonneville, que deve ter suas vendas iniciadas ainda em julho de 2016. No entanto, as novas motocicletas já se encontram disponíveis na modalidade de pré-venda. O preço inicial é de R$ 42.500 para a versão T120, R$ 55.000 para a Thruxton e R$ 42.500 para a T120 Black que só deve chegar em setembro.

Vale ressaltar que havia uma grande expectativa em relação ao lançamento da nova família da Bonneville. A mesma já vinha sendo desenvolvida há quatro anos. O projeto final é resultado de uma grande renovação, a nova linha conta com mudanças que partem do chassi e chegam até os motores. Um grande exemplo disso são as versões T120 e T120 Black, haja vista contarem com o novo propulsor bicilíndrico paralelo de 1.200 cc e 10,7 kgfm de torque além de acelerador eletrônico.

Além disso, as versões T120 e T120 Black ainda contam com freios ABS, embreagem deslizante, manoplas com aquecimento, controle de tração, luz traseira com LED e entrada USB como itens de série. A T120 é disponibilizada em três opções de cores, nas quais são: Cinder Red, Cranberry Red/Aluminium Silver e Jet Black/Pure White. A T120 Black, por sua vez, se encontra disponível nas cores Jet Black e Matt Graphite.

Vale destacar que a Thruxton também é equipada com o motor 1.200 cc. Porém, a mesma dispõe de um diferencial, pois essa versão possui 11,4 kgfm com menos de 5.000 rpm. A mesma possui um aspecto bastante clássico e lembra muitos as corridas dos anos 1960. A Thruxton também trás um contraste interessante, algo evidente nos traços modernos que aliados aos detalhes clássicos fazem da Thruxton uma versão única.

Dentre os principais destaques da Thruxton estão a sua ergonomia esportiva, suspensão ajustável e roda dianteira de 17 polegadas. Em relação aos itens de série, saiba que a mesma é acompanhada de: controle de tração, lanterna em LED, freios ABS, faróis em LED e embreagem deslizante assistida. Essa versão possui três modos de pilotagem: estrada, chuva e esportiva.

Levando em consideração o conjunto, um dos principais destaques é, sem sombra de dúvidas, a grande quantidade de acessórios disponibilizada pela Triumph. São 160 “brinquedinhos” destinados apenas a versão Thruxton. A montadora ainda oferece kits especiais que possibilitam com que os clientes criem suas próprias personalizações.

Por Bruno Henrique


A Téneré marcou época desde o seu lançamento. A motos passou por muitas modificações e conquistou fãs

A Yamaha XT660Z Ténéré é um sucesso de vendas e objeto de desejo de muitos motociclistas. O que poucos têm conhecimento é que a história do modelo teve início no ano de 1979. Confira aqui toda a história de um dos modelos mais desejados da década de 80.

Em meados da década de 70, as fabricantes japonesas disputavam por um espaço no mercado automobilístico, proporcionando modelos de multi-cilindricos e de alta potência. Para garantir o seu espaço, a Yamaha trouxe ao mercado a XS750 DOHC, que contava com propulsor de quatro tempos, três cilindros e sistema de refrigeração a ar.

No entanto, era preciso inovar para continuar no mercado automobilístico. Foi então que em 1976, durante o evento Salão de Motocicleta de Tóquio, a Yamaha anunciou o seu novo modelo, a XT 500, que contava com um motor de quatro tempos, 500cc e sistema de refrigeração a ar.

O modelo causou um grande alvoroço entre a mídia, já que diferente dos outros modelos fabricados pela marca, a XT 500 era voltada para eventos de Enduro, modalidade muito popular na época.

O sucesso do modelo logo se espalhou pelo mundo, chegando a ser popular até mesmo na América Latina onde foi comparada a marca Rolls Royce, responsável por fabricar automóveis de luxo e alto desempenho na época.

No final da década de 70, precisamente durante o ano de 1979, ocorreu à primeira competição Rali Paris-Dakar, evento que se iniciava no continente europeu e atravessava o continente africano, tendo fim na costa marítima de Dakar, no Cabo Verde. Como poucas fabricantes se interessavam pelo evento, a Yamaha disponibilizou seu modelo XT 500. O resultado? O piloto Cyril Neveu obteve o pódio nas duas primeiras edições da competição com o modelo da empresa.

Em 1983, a Yamaha decidiu que era hora de evoluir mais uma vez, a XT 500 deu lugar a XT600Z Ténéré. O modelo contava com tanque de combustível de 30 litros, propulsor monocilíndrico de 600cc, sistema de frenagem a disco na roda dianteira e um ótimo espaço em seu bagageiro. O nome Ténéré – que significa “deserto” – foi dado graças a um trecho da competição de Rali Paris-Dakar.

Como era de se esperar a motocicleta se tornou um sucesso de vendas, principalmente em países do continente europeu.

Em 1986, a motocicleta sofreu mudanças para se adaptar ao terreno urbano, ganhando partida elétrica e redução em sua reserva de combustível, que passou para 23 litros.

Em 1988, o modelo ganhou uma leve reestilização que lhe rendeu os clássicos faróis duplos, além de freio a disco também na roda traseira. Já em 1991, o modelo teve seu tanque reduzido para 20 litros, a fim de deixá-la compacta e garantir uma fácil pilotagem.

Chega ao fim à era Ténéré 600 em 1994 sem nenhuma alteração no seu design desde 1991. No Brasil, o modelo foi substituído pela XT 600, que logo deu origem a XT 660.

A Yamaha lançou a XTZ 660 Ténéré em grande parte do mundo, no entanto o modelo não chegou ao Brasil. A motocicleta foi fabricada durante seis anos (1993 a 1999).

Vale lembrar, que a Yamaha também iniciou a produção da Yamaha XTZ 750 SUPERTÉNÉRÉ. O modelo foi comercializado no Brasil até o ano de 1997, quando foi substituída pela Yamaha TDM 850.

Em 2011, a Yamaha voltou a fabricar os modelos da linha Ténéré. No Brasil, é possível encontrar todos os modelos da linha: XTZ 250, XT 660Z e XT 1200Z.

Por Wendel George Peripato


Motocicletas serão lançadas em maio de 2016. Preços variam entre R$ 11.390 e R$ 20.790.

Devido à facilidade de condução, bem como ao baixo consumo de combustível, as motocicletas do modelo scooter tem ganhado cada vez mais adeptos no mercado nacional. E é apostando nesta nova tedência que a renomada fabricante de motocicletas Yamaha fez o lançamento oficial no Brasil do scooter NMax 160 e da naked MT-03.

Estes dois modelos, que foram divulgados pela marca no Salão Duas Rodas do ano de 2015, irão chegar às concessionárias de todo o país no mês de maio deste ano. 

O modelo batizado com o nome de NMax estabelece a reinserção da fabricante japonesa no ramo dos scooters, veículo este que virá equipado de fábrica com freios ABS. Este scooter será disponibilizado com três cores distintas e terá o seu valor de comércio sugerido em R$ 11.390.

O outro modelo que será lançado é a Naked MT-03, o qual será comercializado em duas versões e com opcional de duas cores, sendo que na versão standard tem preço sugerido de R$ 18.790 e R$ 20.790 (na versão equipada com o sistema de freios ABS).

O modelo NMax 160 ABS irá trazer um novo propulsor monocilíndrico dotado de refrigeração líquida e com comando de válvulas do tipo variável, sistema este que faz com que haja uma otimização do torque da motocicleta em baixas rotações e também maior potência em altos giros. Este novo scooter da Yamaha virá equipado com sistema de freio a com tecnologia ABS disco nas duas rodas e com um propulsor capaz de produzir uma potência máxima de 15,1 cavalos e um torque de 1,47 kgfm, o qual irá desempenhar as suas funções em conjunto com o câmbio do modelo CVT. Os grandes destaques deste scooter ficarão por conta do excelente espaço de 25 litros existente sob o banco, painel integralmente digital, bem como lanterna e farol confeccionados em LED.

Já a MT-03 nada mais é que uma versão de menor porte da conhecida esportiva YZF-R3, tendo em vista que terá o mesmo propulsor bicilíndrico de 321cc, o qual é capaz de produzir uma potência de 42 cavalos. Com relação aos acessórios, até mesmo o painel de instrumentos será idêntico ao do utilizado na YZF-R3, contudo, as distinções ficarão no design do modelo, pois os seus traços foram inspirados nos modelos da família MT da Yamaha e por este motivo contém estética mais musculosa, entradas de ar na parte lateral do tanque e lanterna de trás em LED. Este modelo já virá equipado de fábrica com freio à disco nas duas rodas e será disponibilizada com uma versão dotada de freio com tecnologia ABS.

Por Adriano Oliveira


Modelo deverá chegar ainda este ano e será produzido em Manaus (AM).

Em julho do ano de 2015 foi apresentada na Europa a nova CRF 1000L Africa Twin como um protótipo e em breve deverá chegar no mercado brasileiro. A Honda recentemente confirmou a estreia da nova CRF 1000L no Brasil para meados deste ano e será produzida em Manaus, no Amazonas. De acordo com a própria montadora, a motocicleta chegará  para ser um produto exclusivo e diferenciado, com o objetivo de vir a ser referência para uma nova geração de consumidores, que possuem grande apreço pela categoria.

A nova Honda Africa Twin trouxe como principais características o estilo e também o nome de sua antecessora. Apesar de terem resgatado esses quesitos, a CRF 1000L está modificada em seu todo. Visualmente, a moto se destaca por suas linhas agressivas e seus traços altos, onde apresenta na parte da frente um para-brisa alto e afinado, além de um conjunto ótico com lâmpadas de LED. A moto ainda possui um assento elevado e com acabamento nas mesmas cores das carenagens, além de um escapamento com formato robusto e dupla saída.

O modelo é produzido com um chassi de aço e com berço semiduplo, suspensões traseira do tipo monoamortecida e na dianteira, invertidas, sendo possível realizar ajustes na pré-carga da mola. O freio na traseira é simples e na dianteira é duplo, a disco, e com sistema ABS (Antilock Braking System) já de série.

Com relação ao motor, será um bicilíndrico com uma capacidade volumétrica de 998 cm³, com comando Unicam, virabrequim de 270 graus e quatro válvulas. O propulsor tem a capacidade de gerar uma potência de 95 cavalos (ao alcançar 7.000 rpm) e um torque de 10 kgfm a 6 mil giros. A moto ainda possui câmbio automatizado DCT de dupla embreagem e manual, os dois com seis marchas.

O valor do modelo ainda não foi informado, mas espera-se algo em torno de R$ 50 mil.

Nádia Neves


Moto possui visual esportivo e conta com um motor de 150 cilindradas.

A Yamaha apresentou na Tailândia, país asiático considerado um dos principais no mercado de motos, a Naked M-Slaz 150, uma moto utilitária com motor de 150 cilindradas, bem equipada e com um design chamativo.

O modelo possui um toque esportivo incomum para a faixa de cilindrada e se destaca com uma ótica dianteira dupla e com iluminação Full LED. O estilo adotado na confecção da moto faz com que ela pareça ter um porte maior. Com o garfo invertido e com as carenagens inferiores protegendo o motor, a versão intensifica a estilo esportivo, além do assento biposto com desenho elevado na garupa.

A M-Slaz 150 tem um motor monocilíndrico alimentado por injeção eletrônica de 149 cilindradas e refrigerado por um líquido. O motor alcança 16,8 cavalos de potência a 8.500 rpm, bem como torque máximo de 15 nanômetros (nm) a 7.000 rpm. A moto também conta com câmbio de seis velocidades, freios de disco de 267 mm na dianteira e 220 mm na traseira, chassi tipo "deltabox" e mono amortecedor traseiro regulável. O tanque tem capacidade para 10 litros de combustível.

O valor estipulado para comercialização é considerado “bom”, considerando todos os equipamentos que integram a M-Slaz. A pretensão da Yamaha é vender a moto por 89.500 bath na Tailândia, preço equivalente a pouco mais de R$ 9.600 reais, na conversão direta.

A M-Slaz começou a ser oferecida na Tailândia no início deste mês e a perspectiva é de vender cerca de 48 mil unidades dentro de um período de 1 ano. No quesito beleza a moto será facilmente comercializada, uma vez que a Yamaha caprichou no visual.

A Yamaha foi fundada em 1955 e incialmente pertencia a Nippon Gakki Corporation. Atualmente produz, além de motos, quadriciclos, waverunner, motores de popa, óleo lubrificante (yamalube) e acessórios como roupas específicas para motociclistas, capacetes, malas, mochilas, óculos, baús, chaveiros, entre outros.

Bruna Rocha Rodrigues


Nova motocicleta possui três opções de pilotagem e conta com controle de tração.

Um dos grandes lançamentos do mundo das motocicletas foi realizado recentemente: trata-se da Yamaha MT-10, motocicleta que passa a fazer parte da tradicional família MT da montadora. Com isso, a Yamaha entra de vez na disputa da categoria das supernakeds. A MT-10 vem acompanhada de novidades, um design arrojado e muita tecnologia. Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

É importante destacar que a MT-10 é nada menos que uma versão revisada e adaptada para a via urbana da já conhecida Yamaha R1. Dentre as mudanças necessárias para que a MT-10 conseguisse cumprir seu papel, podemos destacar a mudança no motor da R1 que ganhou nova tomada de ar, novo escape, além de sistema de injeção mais específico. O objetivo dessas alterações é aumentar a entrega de torque em baixas e médias rotações, pois a MT-10 é destinada a vias urbanas.

Algo bastante interessante nesta motocicleta é o fato de a mesma contar com três opções distintas de pilotagem: Standard, Opção A e Opção B (opção A é um pouco mais pesada, sendo que a B é a mais indicada para uso urbano), além do controle de tração. Outro ponto bastante interessante é quanto ao sistema de embreagem, que é assistido e deslizante, com isso o mesmo deve deixar a manete um pouco mais leve e a roda traseira não irá travar em situações com reduções mais fortes.

Visando um conforto ainda mais dos seus clientes, a Yamaha revisou a posição do chassi de alumínio, sendo que o guidão é mais alto e aberto. A moto também conta com o chamado cruise control, trata-se de um piloto automático que tem como função manter a velocidade escolhida sem que seja feito o uso do acelerador.

A moto também se destaca quando o assunto é segurança, haja vista os freios a disco duplo na dianteira com 320 mm e disco simples na traseira de 220 mm, sendo ambos ABS. O visual agressivo e moderno é outro grande destaque deste lançamento da Yamaha. Já em relação ao painel digital, saiba que o mesmo foi projetado em posição central e lembra bastante o painel da MT-07.

As vendas oficiais da Yamaha MT-10 iniciam em 2016 no mercado europeu. Já em relação ao mercado brasileiro, a expectativa é de que a mesma só chegue em 2017.

Por Bruno Henrique


Nova moto terá versão final de produção apresentada neste mês de novembro, no Salão de Milão 2015.

A BMW apresentou nesta quarta-feira seu primeiro modelo de duas rodas no segmento abaixo das 500 cilindradas. A moto foi exibida como o conceito Stunt G310 no Salão Duas Rodas em outubro, no mês passado. O anúncio de hoje foi da versão final de produção, que será exposta pela primeira vez no Salão de Milão, a partir de 17 de novembro.

O motor de apenas um cilindro é o primeiro assim projetado entre as motos da BMW Motorrad. Ele tem dois comandos de válvula, injeção eletrônica e refrigeração feita à base de água. A potência é de 34 cavalos, 2,85 kgfm de torque e gera até 9.100 rpm. O design, naked, com rodas de 17 polegadas, baseia-se em modelos de alta cilindrada, como a S 1000R. Entre as principais especificações estão ainda chassi de aço e freios ABS de série na dianteira e na traseira.

O peso do lançamento em ordem de marcha é de 158,5 quilos. Segundo a montadora, o baixo peso aliado à posição inclinada do cilindro no propulsor e a um cabeçote em rotação de 180 graus fazem com que a edição de pouca cilindrada seja bastante ágil.

As cores disponíveis serão azul, preta e branca. Até então, não há informação de uma edição especial ou limitada de pintura.

Ainda não há estimativa de valor para comercialização no Brasil. Mas a previsão é que o preço fique entre R$ 20 mil e R$ 25 mil – média da categoria para modelos de padrão elevado. Os motociclistas da Europa terão a informação na exposição da Itália, bem como a data da chegada às concessionárias europeias.

A G310 R será um gênero global. E as unidades vendidas no Brasil serão aqui mesmo fabricadas, na Zona Franca de Manaus. A manufatura iniciará no segundo semestre de 2016.

Simultaneamente, a empresa apresentou o conceito da esportiva elétrica eRR. O uso de tal tecnologia em motos também é algo inédito na marca.

Bruno Klein





CONTINUE NAVEGANDO: