O novo modelo surge com muitas novidades, dentre elas, um estilo bem mais leve em sua estrutura e mais econômica em relação ao gasto de combustível.

Uma das grandes novidades para este ano de 2018 para quem gosta de andar sobre duas rodas é o lançamento da Bros 160 da Honda que deverá representar também uma das grandes novidades para o ano de 2019.

A marca japonesa já havia anunciado desde 2017 que não pouparia esforços para colocar no mercado uma motocicleta que deveria surgir como a líder em sua categoria do tipo mais robusta. Dito e feito. O novo modelo vem para conquistar os consumidores brasileiros que desejam muito mais que um veículo de duas rodas para andar na cidade.

Os consumidores que utilizam a motocicleta como principal meio de condução para o trabalho, mas que não dispensam uma boa corrida em estradas de areia e lama, poderão encontrar na nova Bros 160 a parceira ideal para as suas aventuras de fim de semana.

O novo modelo surge com muitas novidades, dentre elas, um estilo bem mais leve em sua estrutura, mais econômica em relação ao gasto de combustível e mesmo sendo projetada para enfrentar terrenos nada uniformes, a nova motocicleta requer um mínimo de manutenção a um baixo custo para os seus consumidores.

Para começar, a nova Bros 160 vem bastante caprichada no seu visual. Com um quadro bem mais resistente, a líder em sua categoria mostra no seu novo estilo de linhas mais arrojadas. A sua imponência pode ser conferida logo pelo seu novo tipo de farol central, bem mais esportivo, além de ser confeccionado em policarbonato, com o uso de uma reflexividade do tipo multifocal, o que é ideal para quem gosta de pilotar à noite.

Outro detalhe que chama a atenção é o novo desenho do tanque de combustível. Se você estava acostumado com o design mais arredondado das outras motocicletas da marca, na nova Bros 160, o estilo é bem mais futurista, com o logotipo da Honda estampado em letras vermelhas. Tudo isto contribui para uma concepção mais atual e bem mais esportiva.

Para quem espera por um modelo mais diversificado, pode até ficar contrariado, mas o novo modelo já chegou nas concessionárias em todo o país somente nas cores preto e branca. Talvez outras cores possam chegar ao mercado em 2019. Até lá, vamos ter que esperar um pouco mais.

Se você que esta lendo este texto, gosta de se ligar em números, então aqui vão alguns dados sobre o novo modelo que poderão fazer a diferença na hora de você escolher o modelo certo para levar para a sua garagem.

A nova Bros 160 já vem de fábrica com um motor de apenas um cilindro do tipo OHC com quatro tempos de câmbio e com resfriamento a ar.

Ela possui sistema de transmissão com cinco velocidades e com mecanismo de partida elétrica já incorporado e o seu consumo é feito a partir de gasolina, com sistema de injeção eletrônica, o que garante mais potência ao motor em situações de alta performance. A nova Honda Bros 160 chega a alcançar uma potência de até 14,6 cv a mais de 8.000 rpm.

Com um tanque de combustível com capacidade para 12 litros de gasolina, o novo modelo chega ao mercado brasileiro prometendo fazer cerca de 36 Km com apenas um litro do derivado do petróleo em terras brasileiras.

Para estas e outras vantagens que a nova geração pode oferecer, os sites especializados já estão em pleno vapor para divulgar o novo modelo. Se você tem curiosidade para saber mais sobre ela, basta acessar o seguinte endereço: https://www.honda.com.br/motos/nxr-160-bros.

Com relação ao preço, a nova geração de Bros deverá custar um pouco mais de que R$ 10.000,00, sendo um preço adequado para o tipo de categoria que o novo modelo foi projetado.

Por Emmanoel Gomes

Honda Bros 160 2019


A nova Honda CG 160 Fan 2019 virá com novidades para oferecer conforto e praticidade numa motocicleta simples e com um bom custo benefício, principalmente quando o assunto é estabilidade e economia.

Considerado um modelo popular no Brasil, a Honda CG 160 Fan 2019 promete vir com uma cara nova no início do primeiro semestre do ano que vem. Além de ser um dos modelos mais vendidos no mercado automobilístico, a Honda está sempre buscando inovar suas especificações para agradar cada vez mais seus clientes e usuários.

Dessa vez, a nova Honda CG 160 Fan 2019 virá com novidades para oferecer conforto e praticidade numa motocicleta simples e com um bom custo benefício, principalmente quando o assunto é estabilidade e economia. E, por falar em economia, a Honda promete deixar o modelo 2019 cada vez mais leve, para baixo consumo de combustível, em relação ao modelo anterior.

Disponível nas cores vermelha, branca e preta, a Honda CG 160 Fan 2019 virá com 739 mm de largura, capacidade de 1,5 litro de óleo no motor, 1996 mm de comprimento, 16,1 litros de tanque reserva no combustível, 1085 mm de altura, 116 kilos de peso total, 1.315 mm entre os eixos e 790 mm de altura nos assentos.

O motor, 162,7 cc cilindradas suporta etanol (potência máxima de 15,1 cv a 8.000 rpm e torque máximo de 1,54 kgf.m a 6.000 rpm) ou gasolina (potência máxima de 14,9 cv a 8.000 rpm e torque máximo de 1,40 kgf.m a 6.000 rpm), sendo ele arrefecido a ar, monocilíndrico 4 tempos tipo OHC, sistema de alimentação á base de Injeção Eletrônica PGM-FI, 9,5 : 1 de relação de compressão, cinco velocidades de transmissão contínua, 57,3 x 63,0 mm de diâmetro e curso e sistema de partida elétrica.

O chassi é tipo Diamond Frame, com pneus traseiros de 90/90 -18 e pneus dianteiros de 80/100 -18, suspensão dianteira de curso com garfo telescópico de 135 mm, suspensão traseira de curso com garfo telescópico 106 mm, freio dianteiro com diâmetro a disco de 240 mm e freio traseiro com diâmetro a tambor de 130 mm.

Mesmo sendo considerada uma moto simples, a nova Honda CG 160 Fan 2019 terá um design bastante moderno, com diversas configurações novas e originais de série, oferecendo excelentes sensações tanto para o motorista quanto para o passageiro na garupa.

Dentre os equipamentos listados para o modelo 2019 estão: sistema de farol com lâmpadas de 35/35 w de potência, para oferecer uma ótima capacidade de iluminação noturna e consequentemente uma maior segurança para o piloto; rodas de sistema liga-leve, sistema com lanternas traseiras com lentes de dupla camada para a obtenção de uma maior luminosidade da luz na direção de freio e um bom sistema de freios do tipo CBS (Combined Brake System).

Em relação ao consumo de combustível, os testes ainda estão sendo realizados pelo Inmetro (órgão que é responsável por fazer testes de consumo de combustível em todos os tipos de veículos automotores brasileiros), o que justifica a exigência por um produto mais econômico. Mesmo assim, há uma especulação de que se a moto for abastecida com gasolina, seu consumo fica na média de 35 km/l tanto na cidade quanto na estrada, se for abastecida com etanol, o consumo vai para 28 km/l tanto na cidade quanto na estrada.

O preço da nova Honda CG 160 Fan 2019 ainda não foi divulgado, mas tudo indica que a média do valor gira em torno de R$ 9.500, algo não muito longe do modelo atual, que custa R$ 8.900. A única coisa que pode variar são as tabelas de preços de concessionárias regionais, pois a cotação vai de acordo com a região de venda.

Outras informações a respeito da nova Honda CG 160 Fan 2019 serão divulgadas no lançamento do produto no site da própria marca ou através de concessionárias locais autorizadas.

Por Daniela Almeida da Silva

Honda CG 160 Fan 2019


Nova Honda CB300R 2019 virá com características surpreendentes em qualidade.

Os apaixonados por motos já podem contar com a mais nova queridinha da Honda, a CB300R 2019, uma modalidade que foi apresentada recentemente no Salão de Milão, na Itália. Porém, os motoqueiros brasileiros terão que esperar mais um pouco para contemplarem ela de perto, pois ainda não há nenhuma previsão de lançamento aqui no Brasil.

Mesmo assim, há a possibilidade de todos que residem fora da Itália acompanhar as novidades e os lançamentos da Nova Honda CB300R pelo mundo através de canais de informações, para ficar por dentro de todos os detalhes da marca.

Algumas pessoas vão se familiarizar bastante com a moto por causa do nome bastante comum, pois mesmo que ela tenha sido lançada em território italiano, não é a mesma comercializada aqui no Brasil. No caso, esse modelo foi substituído pela atual e popular CB Twister. Não é à toa que muitos confundem ainda pelas características da Honda CB300R seguirem uma linhagem esportista e bastante moderna, no que diz respeito ao seu design.

Conforme anunciado em Milão, a Nova Honda CB300R virá com um câmbio moderno composto de seis marchas, motor a gasolina ou a diesel com um cilíndrico de 286 cm³ suavizado a líquido que gera até 31,4 cavalos de potência a mais de 8 500 rpm, painel frontal totalmente digital, faixa de torque de 2,8 kgf.m com capacidade de diminuir nos seus 7 500 giros, iluminação em LED, suspensão na frente em forma de garfo invertido e freios em ABS com duplo canal que atua simultaneamente nas duas rodas.

Pelo que tudo indica, o Canadá será o primeiro país a começar a revender a nova moto da Honda após a sua apresentação em Milão, mas, por enquanto as lojas revendedoras estarão autorizadas a venderem somente na cor vermelha, devido à disponibilidade alta dessa cor.

Enquanto isso, aqui no Brasil os telespectadores de plantão poderão acompanhar pelo menos a qualidade e o preço da motocicleta, que atualmente gira em torno dos R$ 15.640,00. Isso é só uma especulação porque a tabela de preços pode variar no mercado de acordo com a cotação da moeda até a data do lançamento de um produto.

Algumas especificações da Honda CB300R encontra-se em sua ficha técnica, com informações como: potência máxima de 22,4 cavalos a 7.500 rpm na gasolina e 22,6 cavalos a 7.500 rpm no etanol, torque de 2,24 kgf.m a 6.000 rpm na gasolina e 2,28 kgf.m a 6.000 rpm no etanol, sistema de partida elétrica, sistema de alimentação a base de injeção eletrônica PGM-FI, transmissão de seis velocidades, curso x diâmetro 63,0 x 71,0 mm, 9,6:1 de compressão e 249,5 cc cilindradas.

O sistema elétrico é composto por bateria de 12V – 5 Ah, ignição eletrônica e faróis de 60/55 W. Já a sua capacidade de combustível comporta 16,5 litros de reserva e 1,8 litro de óleo no motor. Nas dimensões temos 2065 x 753 x 1072 mm de largura e altura, 135 kg / ABS: 137 kg de peso, 192 mm de distância do solo, 1386 mm de distância entre os eixos e 784 mm de altura do assento.

A especulação do lançamento dessa moto tem a ver com a economia e a potência que ela oferece. Seu consumo deve seguir uma média de 25 Km/l á 30 Km/l numa estrada ou numa rua normal na cidade durante o dia. Os resultados obtidos foram bem superior ao modelo anterior lançado pela Honda em até 30%.

Os compradores terão até três anos de garantia pela Honda, e no momento a única versão disponibilizada é a ABS, e a ideia é que a Honda ainda possa fazer algumas mudanças antes da motocicleta chegar no Brasil.

Por Daniela Almeida da Silva

Honda CB300R 2019

Honda CB300R 2019


Modelo tem design atraente e inovador, conseguindo chamar a atenção por onde passa. É ideal para quem precisa de praticidade no dia a dia e mesmo assim não quer abrir mão da modernidade.

A Scooter Honda PCX 150 é um dos modelos mais modernos e confortáveis dentro de sua categoria. Com design atraente e inovador, ela consegue chamar a atenção por onde passa. Ela é ideal para quem precisa de praticidade no dia a dia e mesmo assim não quer abrir mão da modernidade. Por reunir todas essas características essa moto é uma grande preocupação para sua concorrência. Então vamos conhecer outros pontos importantes da Honda PCX 150.

Honda PCX 150 tem muita potência

A maioria das pessoas que pensa em um modelo de Scooter, não associa que ela possui muita potência. E a Honda PCX 150 vai acabar com esse tipo de impressão. Ela possui motorização monocilíndrica que é a responsável por tornar essa moto potente. O motor também possui OHC com arrefecimento a líquidos a 4 tempos. A potência máxima do motor é de 13,1 cv e seu torque máximo é de 1,36 kgfm e o rpm é de 8.500. Além disso, a Honda PCX 150 tem partida elétrica e injeção eletrônica.

Medidas da Honda PCX 150

A Honda PCX 150 tem medidas ideais para uma viagem bem confortável. Ela tem tamanho padrão e isso é visto como positivo para alguns usuários, veja abaixo essas informações:

– Comprimento: 1931 mm

– Largura: 737 mm

– Altura: 1103mm

– Peso: 125 KG

– Distância entre eixos: 1315 mm

Com essas medidas a Honda PCX 150 se torna uma moto mais atraente e confortável. Deixando seus usuários mais satisfeitos.

Moto com muita modernidade

Outro detalhe bem interessante dessa moto é a sua modernidade. Pois ela possui muitas funções modernas e que ajuda tanto na hora de dirigir quanto na decisão de compra da mesma. Entre os itens modernos estão:

– Painel com relógio que além de dar mais destaque nessa parte, facilita a vida do usuário dessa moto;

– Tomada 12V;

– Iluminação de LED que deixa moto mais iluminada e ajuda a realçar ainda mais a sua beleza;

– Sistema IDLING STOP.

Itens de série da Honda PCX 150

Esse modelo não possui itens novos, porém, eles continuam sendo importantes para quem adquirir essa moto. E alguns desses itens são: Função Star&Stop que faz com que o motor desligue automaticamente, sistema de freio CBS e iluminação de LED na lanterna e nos faróis. Esses detalhes ajudam a deixar a moto mais moderna e segura, que é justamente o que a maioria dos consumidores procura na hora de comprar sua moto nova.

Preço da Honda PCX 150

Nova Honda PCX 150 possui duas versões que foram criadas para agradar a diversos tipos de usuários. A versão PCX 150 DLX tem o valor de R$10.300 já a versão PCX 150 Standart tem valor de R$10.800. Esse é um valor dentro da média e já esperado pela maioria dos usuários que já conhecem a marca “Honda”.

Cores disponíveis

As cores disponíveis dessa Scooter são: Marrom perolizado na versão DLX e Azul escuro e prata fosco na versão STF. Essas opções de cores são interessantes, pois agradam ambos os sexos, e isso tornam as vendas mais fáceis. Aliás, essa moto é unissex e, por isso, ela vai ter muita procura de modo geral.

Moto inovadora que torna o dia a dia mais fácil

A Honda PCX 150 tem ótimas características, e isso faz com que muitos consumidores se interessem por ela. Pois ela reúne muitas funções essenciais para torna o dia a dia mais prático. Com motor potente, designe moderno e atrativo, modernidade, segurança e bom preço, fica muito fácil optar por comprar esse modelo.

A Honda é uma marca consolidada e responsável por fazer diversos lançamentos de alta qualidade. Esse é o caso da Honda PCX 150!

Por Cristiane Amaral!

Honda PCX 150 2019

Honda PCX 150 2019


Modelo sucesso dos anos 60 está de volta e traz muita nostalgia e estilo.

Os admiradores fiéis de motocicletas consideradas verdadeiros ícones no mundo moto ciclístico não vão deixar passar em branco esta verdadeira pérola: a Triumph Bonneville T 100. Considerada um verdadeiro marco neste tipo de indústria, o modelo vem ressurgindo em novas versões ao longo de vários anos, entretanto, sem perder o seu tom clássico, motivo pelo qual a faz um verdadeiro 'tesouro' para os consumidores que não abrem mão da sofisticação e de um estilo incomparável.

Tudo na Boneville T 100 transporta para um tempo nostálgico, em plenos anos 60 quando este tipo de motocicleta era ‘cultuado’ pelos jovens da época como um símbolo de liberdade e de expressão da juventude da época. Certamente, alguém se lembra de ter visto um modelo destes em um daqueles famosos filmes de Hollywood onde tudo era sinônimo de rebeldia.

Mas deixando os detalhes glamorosos da época, mais do que uma integrante de algum cenário cinematográfico, a T100 está para a indústria de duas rodas como um verdadeiro marco dos avanços do mercado em pleno final dos anos 50 e início dos anos 60 quando o primeiro modelo chegou ao mercado europeu, mais precisamente o inglês.

Era 1959 e a primeira versão chegou primeiro para os consumidores britânicos com um motor de dois cilindros dispostos paralelamente e com um design tão original que se tornou a principal marca deste tipo de moto e que até hoje permanece nos modelos atuais já à disposição em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Quem já teve a oportunidade de pilotar uma máquina desta, com toda a certeza, teve a mesma sensação dos primeiros modelos feitos no ano do seu lançamento.

Uma das muitas características deste modelo exclusivo, é o seu famoso guidão posicionado mais para trás e que permite ao guiador manter-se o tempo todo ereto. Esta configuração é a mesma dos anos 60, 70, 80 e que atravessou todas essas gerações ao longo do tempo.

Para se ter uma ideia, na época em que foi lançada, o modelo original possui além do motor bicilíndrico, um sistema de suspensão em quatro e freios inovadores para a época.

Esta configuração foi mantida no modelo atual que, diga-se de passagem, já é montada aqui mesmo no Brasil, na unidade da empresa em Manaus.

Para não ficar para trás nos avanços tecnológicos ao longo do tempo, a Bonevile T 100 incorporou vários itens que garantiram a sua preferência junto a um grupo mais seletivo de consumidores.

Por exemplo, os novos modelos possuem sistema de injeção do tipo multiponto, com o sistema tradicional de refrigeração a ar. Apesar disto, a nova versão mantém a mesma estrutura com os tradicionais carburadores, tudo isto para conservar o seu estilo retrô.

Os guiadores que gostam de valorizar mais o estilo não têm o que reclamar, pois apesar do glamour ao longo do tempo, a T 100 vai de 0 a 100 Km/h em cerca de 5 segundos e pode atingir tranquilamente uma velocidade de 190 Km/h. Tudo isto com um motor que atinge quase 70 cvs de potência.

Para quem se preocupa com segurança, o modelo vem com dois discos de freios de 310 e 250 mm respectivamente para as rodas dianteiras e traseiras e pneus tamanho 19 (aro dianteiro) e tamanho 17 (aro traseiro).

O câmbio, do tipo manual possui cinco velocidades e permite a troca de tempo de modo suave, sem comprometer a perda de potência entre uma e outra.

Com relação ao preço, a Bonneville T100 surge no mercado por um valor inferior à suas principais concorrentes mais sofisticadas como a BMW/ Rotax e o consumidor poderá ter uma em sua garagem caso esteja disposto a desembolsar uma quantia de cerca de R$ 30.000,00.

Por Emmanoel Gomes

Triumph Bonneville T 100


Nova naked da Kawasaki será lançada em breve e trará características inspiradoras e interessantes.

Buscando mais espaço ainda no mercado internacional, a empresa japonesa Kawasaki vem trazer alguns vislumbres de sua nova Z900 RS, a sua nova naked no estilo clássico.

Vindo para poder integrar o seu lineup ainda no ano de 2018, a montadora Kawasaki anuncia que a nova Z900 RS será provavelmente apresentada como sua nova aposta nesse segmento das nakeds modelo clássicas, aproveitando ainda o destaque dos holofotes no Salão Tóquio de Motor Show, no seu país de origem o Japão, que acontecerá nas datas de 25 de outubro até 5 de novembro.

Para deixar seu público-alvo ainda mais animado e ansioso, com muita expectativa para seu lançamento, o seu canal oficial postou um novo teaser que, apesar de todos os anseios, revela um pouco da nova moto, mas deixa a sua apresentação ainda muito mais marcante, como sendo um destaque de sua marca durante esse evento japonês.

Ainda foram divulgados poucos detalhes a seu respeito, e deve trazer mais inspiração em suas linhas clássicas da empresa da Kawasaki a Z1, considerada uma de suas lendas da marca por volta dos anos 1970 e a paixão dos motociclistas em todo o mundo.

Nessas poucas imagens que foram divulgadas sobre sua novidade, elas vêm apresentando linhas bem similares à já comentada motocicleta Z1, que por sua vez, fez muito sucesso por conta da sua beleza ímpar, potência e a sua versatilidade.

Com essa nova Z900 RS, a empresa da Kawasaki promete poder trazer para nossos dias modernos a sua confiança e também a sua durabilidade da famosa motocicleta Z1, mas podendo contar também com as tecnologias que foram desenvolvidas nos modelos mais recentes, como o controle de tração, os modos de pilotagem e os ajustes mais aprofundados.

A Z900 RS deverá trazer para todo o mercado também o mesmo conjunto de mecânica da recém-lançada a Streetfigther da Kawasaki Z900. Ou seja, ela contará com o seu potente motor com quatro cilindros e com 948 cilindradas.

Esse modelo deverá ser bem capaz de oferecer ao seu piloto média de 125 cavalos na sua potência sendo na Z900 padrão e ainda 125 cavalos de potência nas de 9.500 rotações e nas duas versões o mesmo torque com 10,1 kgfm.

Ainda não há nenhuma informação adicional a respeito da data que a montadora japonesa realizará o lançamento oficial da nova Kawasaki modelo Z900 RS em todo mercado internacional.

Mas todos nós esperamos que esses novos detalhes, como um conjunto mecânico, e de sistemas além dos preços possam ser divulgados ainda no Salão Tóquio de Motor Show nesse ano.

A sua montadora não divulgou ainda se esse novo modelo será também comercializado em uma escala mundial ou se ela chegará e quando chegará ao Brasil.

Por enquanto o que nos resta é aguardar por mais informações e ir acompanhando pela internet todos os detalhes dessa nova máquina de duas rodas da empresa japonesa da Kawasaki.

Com certeza se ela vir a chegar ao Brasil será um sucesso de vendas, pois assim como os brasileiros amam carros importados as motos da Kawasaki são uma preferência unânime por todo o país.

Não deixe de ficar ligado em todas novas informações sobre esse modelo, e não perca as datas de estreia se ela realmente chegar por aqui. Com certeza será uma experiência única andar sobre as duas rodas desse magnífico modelo.

Hoje as motos de alta velocidade são muito seguras, e só sofre acidente grave quem é muito imprudente e irresponsável. Portanto, aqueles que gostam de motos de alta velocidade, porém respeitam a vida e os limites de velocidade de suas rodovias com certeza poderão andar sem nenhum problema a não ser em caso de um acidente causado por uma fatalidade.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Kawasaki Z900 RS 2019

Kawasaki Z900 RS 2019

Kawasaki Z900 RS 2019


Nova Harley-Davidson Street Bob é altamente potente e muito confortável.

Seguindo todos os padrões estéticos da antiga versão da Street Bob, e o motor da Twin Cam 96, a nova Harley-Davidson Street Bob, possui dois cilindros em “V”, além de ser refrigerada a ar com 1.585 cm³ de capacidade. Alimentada por uma injeção eletrônica para combustível a ESPFI, oferece uma resposta muito rápida, sem ao menos ‘engasgar’. Mas o seu grande diferencial é no seu torque: com 11,9 kgf.m e 3.250 rpm. Uma força suficiente para poder ‘empurrar’ 304 kg em ordem de sua marcha sem nenhum esforço.

Seja para poder largar nas frentes dos outros carros, em ultrapassagens ou até retomadas, a força do seu motor é brutal. Basta poder girar o seu acelerador com vontade. E ao mesmo tempo, seu V2 trabalha de uma forma dócil na estrada. Como por exemplo: usando 2700 rpm, na sexta marcha engatada e realizando nenhum esforço para isto, a moto chega a uma velocidade bem constante de até 120 Km/h. O seu consumo médio para esta viagem foi de até 19 km/l. Como a versão da Dyna Street Bob com uma capacidade de 17,8 litros com gasolina e possível conseguir rodar uma cerca de 300 km com o tanque cheio.

Outra característica benéfica desse motor, cuja sua arquitetura possui mais de 100 anos, é a sua entrega na potência de uma forma linear, sem nenhum susto, apesar do seu torque elevado. Na unidade que foi avaliada, a sua transmissão de seis velocidades é oferecia com engates precisos. Um pouco suave, mas nem tanto. Mas, isso já é uma característica bem conhecida da HD.

Na sua parte ciclística, ela segue o mais tradicional possível: um garfo telescópico com um sistema bichoque, e com ajuste na sua pré-carga da mola, compõem o seu conjunto de suspensões, copiam com uma certa propriedade as ondulações de cada piso. É claro que os seus pneus largos de 100/90B19 (D) e os 160/70B17 (T), são produzidos pela empresa francesa Michelin Scorcher, e também ajudam e muito nesta missão.

Para poder oferecer ainda mais segurança e muito mais confiança para o condutor motociclista, a nova Dyna Street Bob possui freios a disco em suas duas rodas e ainda possuem freios ABS de série. Em sua dianteira, uma pinça flutuante contendo quatro pistões e, em sua traseira, um flutuante com mais dois pistões. O seu conjunto ainda não foi exigido ao seu extremo, mas quando foi acionado com um pouco mais de vigor ele trabalhou como era esperado.

Na estrada, a nova Street Bob lembra muito, de certa forma, o antigo modelo do Ford Landau. Um carrão dos anos 1970 que rodava possuindo certa desenvoltura nas rodovias, com destaque ainda maior para o seu conjunto de suspensão.

A nova Street Bob conta apenas com um banco, sendo assim o seu piloto terá que realizar suas viagens com a sua mochila em suas costas ou ter que instalar algum acessório se desejar acomodar sua bagagem. Mas isso é uma característica ímpar da Harley.

O seu preço varia entre o valor de R$ 44.400 até R$ 46.050, dependendo do novo padrão de cores que escolher terá uma bela moto, assim como as cores Vivid Black que é em preta fosca, sendo ela em um tom ou até dois tons de cores seja preto, cereja ou azul ou a bem chamativa a Hard Candy Custom, com flakes nas cores prata, com bastante brilho, deixando a moto muito charmosa e chamativa.

Com certeza se procura uma moto custom e muito confortável, além de ser altamente potente a Harley é uma das melhores marcas para adquirir. E se ainda está procurando um modelo novo e com um design único a nova Harley-Davidson Street Bob é a melhor opção sem dúvidas nenhuma.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Harley-Davidson Street Bob

Harley-Davidson Street Bob


Nova Dafra Next 250 2018 traz muitas novidades e algumas interessantes atualizações.

Considerada uma das motos mais superpotentes do mercado atual, a nova Dafra Next 250 ano 2018 é ideal a todas as pessoas que estão procurando por motos de alta pilotagem em rodovias e centros urbanos que possuem vias rápidas. A nova Dafra Next 250 virá com muitas novidades e algumas interessantes atualizações, podendo se tornar ainda uma moto mais tecnológica, com mais modernidade e muito mais segurança. Você poderá conferir nesse artigo todas as informações necessárias em relação à nova Dafra Next.

A Dafra Next 250 chegará com certeza muito em breve para o mercado automobilístico no brasil. Mas muito antes do seu lançamento, ela já é bastante cobiçada entre todos aqueles que a admiram em modelos anteriores e as motos desta dessa linha e dessa categoria.

Este é o novo modelo da Dafra e virá ainda mais que completo, sendo muito essencial para todos aqueles que estão buscando uma motocicleta com um ótimo desempenho e um lindo design ainda mais moderno e encantador.

A seguir, poderá ter muito mais informações sobre a nova Dafra Next 250. Continue lendo conosco para poder conferir cada detalhe dessa máquina!

A melhor forma de conhecer a nova Dafra Next 250, claro depois de dar uma volta pessoalmente é tendo informação sobre cada uma de suas características. Por isso, estamos reunindo as principais neste artigo e com certeza as mais marcantes características da nova Dafra Next 250 ano 2018. Confira:

· A sua Refrigeração é a água;

· Seu Motor 2250cc contém injeção eletrônica em última geração;

· Sua Potência máxima é de 25 cv;

· Os seus Freios são a disco na parte da frente e em sua traseira;

· Seu Painel é totalmente moderno;

· A moto é ainda mais leve e muito ágil;

· Sua Partida é elétrica.

Essas são algumas de suas principais características. Mais adiante, você poderá ter mais informações não deixe de conferir até o final.

Suas dimensões são um comprimento de 200,5cm, sua altura e largura são de 105 / 79cm, os entre-eixos são de 132, o seu peso é de 170kg, a sua altura do assento é de 79cm, Capacidade do seu Tanque é de 14 litros, a Capacidade do óleo do seu motor é de 1,5 litro.

O Motor da nova Dafra Next 250 2018 é monocilíndrico com 4V SOHC e 249,4 cc, e sua refrigeração líquida, ele é alimentado por injeção eletrônica, a sua Ignição é eletrônica, a Partida é elétrica, o seu Diâmetro x curso é de 71 x 63cm, Taxa de sua compressão é de 10, 5:1, sua Potência entre cv a rpm é de 25 a 7 500 e seu Torque é de mkgf a rpm 2,75 a 6 500.

Essa nova Dafra Next 250 poderá estar disponível em todas as concessionárias brasileiras nas três cores. Branca; Preta e Vermelha.

O Teste de consumo ainda não foi realizado.

No geral, a nova Dafra Next 250 se destaca e muito no quesito economia. Porém, os testes de consumo ainda estão sendo feitos, e sendo esse o caso eles ainda não foram divulgados.

Mas, tratando-se de um modelo supereconômico, podemos esperar os seguintes resultados ou bem similares:

Uma Média de consumo com uso esportivo de 22,4 km/l e uma Média de consumo com uso econômico de 46,8 km/l.

Como já foi mencionado neste post, muitas dessas informações sobre o novo modelo está sendo mantida em um total sigilo. E uma dessas informações, é sobre o valor que a moto será vendida em todas as concessionárias brasileiras.

Especula-se também que a nova Dafra Next 250 2018 poderá custar uma média de R$13.790,00.

Com certeza será uma ótima opção para quem procura velocidade e economia. Fique atento às próximas novidades desse novo modelo da nova Dafra Next 250.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Dafra Next 250 2018

Dafra Next 250 2018


Modelo é uma moto esportiva, com um grande desenvolvimento nas pistas, sendo moderna e muita bonita.

Claramente no cenário nacional podemos observar a quantidade de motos esportivas que temos, e isso tudo devido ao quão chamativas são as mesmas, não só na parte estética, mas em seu desenvolvimento, e uma bem notada neste cenário é a Honda CB 650F, não tão popular como a Honda CB 600 por exemplo, mas bem comercializada e muito bonita. É uma esportiva, tem um grande desenvolvimento nas pistas, muitos usam para grandes e pequenas viagens, e para a cidade apesar de ser boa, não é tão recomendada, devido ao peso, peças próprias para estrada, e algumas outras coisas. Neste ano ela ganha a versão 2019, que promete muito, tanto em maior desempenho quanto em melhor aparência.

Começando então por sua aparência, é notável o quão mais agressiva e robusta ficou a moto, aliás, essa era a intenção da Honda. Como na maioria das produzidas atualmente, tanto pela Honda quanto por outra marca, as linhas expressam mais a ideia da agressividade, mas não são apenas linhas, elas ainda assim entram em harmonia com o resto da montagem da moto. Seu guidão também teve uma modificação, agora está localizado um pouco mais para baixo reforçando ainda mais a forma de esportiva, isso muda diretamente na posição de quem pilota, mas como não foi muita coisa para baixo o condutor não verá muita diferença.

A montadora também pensou no conforto de seus condutores, diminuindo o centro de gravidade da moto e isso influência diretamente no maior conforto de quem conduz, permitindo estabilidade maior, e na verdade é isso que os pilotos buscam atualmente, força, conforto e aparência boa.

Mais uma coisa que ajuda na estabilidade e conforto são os freios ABS que para quem não está familiarizado são aqueles que evitam que as rodas travem quando se faz uma frenagem brusca, consequentemente evitando uma queda, acidente ou algo do tipo. Quem dirige uma moto sem ABS, quando muda para uma que tem esse sistema, sente bastante a diferença, e provavelmente quando muda não deseja voltar para uma que não tenha.

Seus faróis também ajudam muito por ser de LED, isso por que farol de LED, além de transmitir a ideia da moto esportiva em estética, ainda pode proporcionar ao condutor uma visão mais ampla e maior segurança, pois se tiver conduzindo a noite pode observar caso tenha algum perigo próximo com frenagem ou desvio mais fácil.

Ainda na questão de segurança podemos citar suas suspensões que na versão anterior já eram muito efetivas e boas, agora estão ainda melhores, trazendo um sistema muito usado ultimamente apenas nas melhores motos produzidas, que é o SDBV que significa Showa Dual Bending Valve, que em comparação com o anterior é mais leve e garante maior confortabilidade ao ser usado, além da estabilidade ser maior e a sensação de segurança também aumentar.

Já na parte de visualização do condutor o painel de LED mostra fácil interpretação e isso ajuda muito em uma hora de observação rápida do painel e saber onde fica cada informação, pois essa organização permite isso.

O ronco da moto também é algo que chama muito a atenção, principalmente de pessoas que vêm a CB 650F passando, isso devido aos seus 4 cilindros, o escapamento único que é composto por 4 saídas, famoso 4×1 ajuda ainda mais o barulho, e ele ainda pode aumentar mas isso é opcional de cada um, pois terá que tirar o escape original para colocar um mais esportivo, isso pode resultar talvez na perca de garantia.

Resumindo então, para quem deseja comprar uma dessas nesse novo modelo é super recomendável e pode-se notar o tanto de qualidades individuais que foram adaptadas em relação a mesma moto mas no modelo ainda 2018.

Por Gustavo Martins

Honda CB 650F 2019


O modelo BMW F 850 GS 2019 possui design robusto, moderno e totalmente único.

Você está procurando uma big trail de média cilindrada para andar tanto no asfalto das estradas como nos trechos que não são asfaltados? Talvez a BMW F 850 GS 2019 seja a moto ideal para o que você está procurando!

Quer saber um pouco mais sobre essa novidade que foi apresentada no último Salão de Milão? Então confira o post a seguir e fique por dentro de todas as informações acerca da moto big trail BMW F 850 GS 2019!

Conheça a moto BMW F 850 GS 2019 e apaixone-se por esse motor incrível

Como todos os amantes de carros e motos já sabem, o Salão de Milão apresenta diversas novidades no mundo dos motores. A BMW aproveitou a oportunidade e lançou, entre muitos outros modelos, a motocicleta big trail de média cilindrada BMW F 850 GS 2019 que, segundo a empresa, funciona tão bem na estrada asfaltada, como em locais que não possuem asfalto.

Saiba tudo sobre o design da nova moto de média cilindrada da BMW

A novidade marca BMW possui um design único que encantou a todos que visitaram a feira mundialmente famosa Salão de Milão. A motocicleta assinada pela BMW modelo BMW F 850 GS 2019 possui design robusto, moderno e totalmente único.

A imponente moto da BMW ganhou uma estrutura metálica de aço tubular o que possibilitou que o seu visual ficasse ainda mais moderno, essa estrutura é ideal para práticas esportivas como off road.

Além disso, a nova motocicleta da BMW é equipada com um painel de instrumentos todo iluminado com luzes alaranjadas, a qual acende automaticamente nos ambientes escuros. O display de 5.5 polegadas também é um belo diferencial no design visual da moto da BMW, com tela TFT o painel mostra para o piloto todas as informações necessárias na hora do tráfego, tais como: nível do combustível, marcha engatada, temperatura do motor, hodômetro total e parcial e informações importantes sobre o tanque do veículo, além disso, o painel é equipado com velocímetro, conta giros, cronômetro, saída 12V para acessórios em geral, relógio e luzes de LED.

Incrível, não é mesmo?! A moto nova da BMW é ainda mais completa, seus bancos de assento são de altura diferentes, controle de tração ASC, comando de punhos de fácil acessibilidade, entre outras coisas.

Saiba mais sobre o motor dessa incrível máquina da BMW

O motor da moto BMW F 850 GS é bicilíntrico de 853 centímetros super potente, são 95 cavalos de potência que permitem com que o motorista corra de maneira segura e tranquila nas estradas do mundo. O motor é de quatro tempos e o sistema de arrefecimento é líquido. Seu disco dianteiro é duplo e o traseiro é simples. A suspensão da moto BMW F 850 GS é com ajuste eletrônico. O sistema ABS é acompanhado com sistema eletrônico. Os pneus da moto são de 12 polegadas.

Segurança do motorista

A motocicleta da BMW a qual estamos alando vem equipada com um sistema chamado eCall prórpio da BMW o qual é instalado na moto, e funciona por meio de satélite. O eCall permite que o piloto dono da motocicleta consiga pedir ajuda e seja rastreado, caso necessite, em caso de algum acidente.

Confira as informações da ficha técnica da moto BMW F 850 GS

INFORMAÇÕES SOBRE O MOTOR

TIPO DO MOTOR: Arrefecido com água, 4 tempos, dois eixos de cames na cabeça do cilindro, 4 válvulas por cilindros, lubrificação por cárter seco.

CURSO x DIÂMETRO: 77 mm X 84 mm

POTÊNCIA: 94 cavalos

TORQUE MÁXIMO: 92 Nm a 6250 rpm

VELOCIDADE MÁXIMA: + 200 km/h

Confira mais informações sobre a moto no site oficial da BMW www.bmw-motorrad.com.br/br/pt/index.html?gclid=CjwKCAjwsdfZBRAkEiwAh2z65tU1Cfdj2LV6Zbj6swpPKnPU7M4iIJg3BplYY7PD0FYEfPsQg8_LgBoC3AcQAvD_BwE.

Por Carolina B.

BMW F 850 GS 2019


A nova Honda CBR 1000RR SP tem design agressivo e muita tecnologia.

A nova Honda CBR 1000 SP tem muitas funções incríveis e é indicada para os amantes de motos esportivas. Esse novo modelo veio com sua aparência mais agressiva, o que faz ela se tornar muito mais atrativa. Essa moto é bem leve e ideal para quem curte fazer esportes sobre rodas. A ideia da marca é dar ao usuário dessa moto mais segurança, agilidade e muita emoção ao conduzi-la. Ela possui um acabamento perfeito, cheio de detalhes que não passam despercebidos. Então vamos falar dos pontos mais fortes dessa moto logo abaixo.

Moto com muita segurança

Para os usuários que prezam pela sua segurança, a nova Honda CBR 1000RR SP é muito indicada. Ela possui freios ABS de disco duplo que fica alojada na parte da frente da moto. Além disso, ela tem pinças novas que funcionam com mais leveza, pois tem a tecnologia das marcas Brembo. O novo modelo da Honda tem o seu sistema ajustado e configurado de forma elétrica em seu painel e eles são feitos conforme o modo de condução que foi escolhido. O sistema geral dessa moto é ajustado e configurado de forma eletrônica em seu painel. O usuário tem suspensão com 6 níveis que são 3 manuais e 3 automáticos.

Moto potente

A nova moto da Honda possui motor muito potente, que é ideal para os usuários quem gostam de testar a adrenalina no seu nível mais alto. Ele faz a potência máxima de 192 cv com torque máximo de 11,82kgfm, e o rpm máximo de 11000. Seu motor é o modelo DOHC que possuí 4 cilindros e torna a potência dessa moto ainda mais eficaz. O usuário dessa moto ainda conta com 6 tipos de velocidades.

Nova Honda CBR 1000RR SP possui muita tecnologia

Quem optar por esse modelo de moto, vai ter em mãos muita tecnologia. Essa moto traz algumas funções que a tornam mais moderna e completa e entre eles estão:

– Computador de bordo

– Painel LCD digital

– Sistema eletrônico que tem a função de controlar e monitorar a velocidade e reações no guidão (essa função também serve para deixar essa moto ainda mais segura)

– Acelerador eletrônico que serve para permitir acelerações mais precisas

Valor da Nova Honda CBR 1000RR SP

Para os consumidores que desejam adquirir essa moto, é preciso desembolsar um valor de R$79.990,00. E para quem acha que esse valor está salgado é preciso dizer que essa afirmação não procede. A Nova Honda CBR 1000RR SP é uma moto muito completa e capaz de dar a seu usuário muitos momentos de pura adrenalina. Além disso, ela tem muitas funções de segurança, o que torna as viagens mais agradáveis e inesquecíveis.

Para não focar muito no valor dessa moto, é preciso pensar que não se está apenas adquirindo uma moto e sim que ela é um investimento. Pois essa moto é uma máquina potente e muito resistente e sua durabilidade é de muitos anos.

Nova Honda tem medidas extravagantes

Outro detalhe positivo dessa moto é que ela é considerada grande. E por ser um modelo para o público aventureiro e que gosta de competições ela é considerada ideal. Suas medidas impressionam até os mais acostumados com outros modelos de motos. Veja abaixo:

– Altura de 1125 mm

– Largura 71

– Comprimento 2065

– Peso seco 1777 kg

– Distância entre eixos 1404 mm

– Altura do assento 834 mm

Nova Honda CBR 1000RR teve redução de peso

Uma informação que vai conquistar muitos consumidores, é que essa moto está 15 kg mais leve. Dessa forma ela se torna mais prática para pilotar e fazer altas manobras.

Essas são as principais informações sobre a Nova Honda CBR 1000RR SP!

Por Cristiane Amaral

Honda CBR 1000RR SP 2018


Kawasaki anunciou que todas as versões do modelo Versys 300 tiveram redução nos preços no Brasil.

Foi anunciado no Brasil que a Kawasaki reduzirá os preços de todas as versões da Versys-X 300. Ela foi lançada no país em setembro de 2017, e seu valor inicial era de R$ 22.900 e agora foi para R$ 19.900. Uma baixa considerável por ser uma moto tão potente.

Ela abaixou para poder brigar de frente com a BMW G 310, que tem como valor inicial R$ 24.900, porém ela vem com freio ABS já incluso de fábrica.

Todos os modelos tiveram baixa sendo que a mais barata agora custa R$ 19.900 e a mais cara R$ 25.900, que é a versão Tourer.

Lembrando que a Versys-X 300 possui o mesmo motor da Ninja esportiva 300, porém ela teve o aumento de 1 cavalo na sua potência. Sua embreagem conta com o sistema Assistido e Antideslizante, evitando que sua roda traseira trave em reduções bruscas de suas marchas.

Ela possui um chassi longo e suspensões avantajadas, para poder dar o charme de um modelo verdadeiramente aventureiro. Seus guidões são altos e as suas pedaleiras na posição que deixa suas pernas bem confortáveis. Ideal para quem gosta de viajar em uma moto aventureira.

Suas raias são de 19 polegadas dianteira e 17 traseira, pneus mistos com câmera de ar. Ela possui um disco simples de freio de 290 mm no freio da frente e 220 mm traseiro. Possui também sistema ABS opcional na sua versão básica e de série na versão Tourer que é a mais cara dos seus modelos.

Ela possui um lindo velocímetro digital com indicador de marcha, incluindo no painel hodômetro completo, medidor de combustível, média de seu consumo, temperatura externa, relógio e indicador de pilotagem o ECO.

Todas essas características você poderá encontrar em qualquer uma das versões da Versys. O pequeno diferencial está nos acessórios adicionais da sua versão top de linha a Tourer. Ela possui bolsas laterais, faróis de neblina de LED, ela vem até com uma tomada de 12 volts ideal para quem gosta de acampar, protetores de manete e motor, e um cavalete central.

Com certeza uma ótima opção para quem gosta de motos aventureiras, e usa para longas viagens. É muito econômica e confortável, trazendo para o motorista uma ótima sensação de poder ao pilotar sua moto.

Ela, além de tudo isso, é também muito potente, e econômica. Oferecendo tudo que você necessita em um só modelo. Com certeza absoluta é uma das melhores opções no mercado na atualidade.

Outro ponto muito positivo é essa abaixada considerável no seu valor. Tornando-se a melhor em custo-benefício sem dúvidas nenhuma.

Se você está pensando em comprar uma moto de grande porte, não perca tempo corra agora mesmo para uma concessionária Kawasaki e faça um teste drive em uma das versões. Para conferir de perto toda essa potência, dessa máquina de duas rodas.

A Kawasaki com certeza é uma das melhores montadoras mundialmente falando, e com esse preço super acessível é uma ótima opção de mercado, antigamente só pessoas milionárias podiam possuir uma Kawasaki ou Suzuki. Hoje o mercado mudou muito, e com o surgimento de outras marcas na categoria, seus preços ficaram muito acessíveis tornando possível realizar seu sonho de comprar uma dessas motos.

Portanto, se você é um dos que sempre sonhou em adquiri uma Kawasaki essa é sua grande oportunidade, de comprar uma ótima moto com um preço superacessível.

Não deixe para depois, pois esse valor pode sofrer alterações, corra e aproveite essa grande oportunidade.

Não deixe para depois, esses valores podem sofrer mudanças por algum fator externo fazendo com que perca essa chance única.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Kawasaki Versys-X 300


Modelo traz algumas alterações significativas em seu design, na sua parte eletrônica e na ciclística. Seu preço já foi definido e será comercializado por R$ 23.990.

Dos confins da Europa a empresa austríaca, KTM, responsável pela fabricação de motocicletas de alta categoria, faz surgir uma nova estreia oficial que chega ao solo brasileiro. O novo modelo de motocicleta, o KTM 390 DUKE, aterrissou no Brasil causando um impacto positivo. Ela porta algumas alterações significativas em seu design, na sua parte eletrônica e na ciclística. O modelo já tem preço fixo e será comercializado pelo valor de R$ 23.990.

Entre as novidades e especificações desta Naked, está a função intitulada ‘KTM My Ride’, que consiste em um sistema de espelhamento na conexão com o smartphone, no painel de tipo TFT colorido. O mesmo modelo de moto agora está munido de novo acelerador eletrônico e está aparelhada de inéditos faróis tipo LED instalados em posição vertical.

Com relação à mecânica, ao motor, o mesmo está equipado com um cilindro e mais 373,2 cm³, atingindo um desempenho, em termos de potência, que chega ao máximo de 44 CV em 9.000 giros. No caso do tanque de combustível do modelo Duke 390, o mesmo foi ampliado, ou seja, antes a capacidade era de 11 litros e agora possui capacidade 13,4 litros.

Ela chega ao consumidor equipada de um sistema de freio que opera a disco, o qual é de maior estrutura na parte sua dianteira. Deste modo, o sistema de freios tornou-se mais seguro, passando de 300 mm para a de 320 mm de diâmetro. Na parte traseira esta moto utiliza um disco simples com 230 mm de diâmetro. Este mesmo sistema de freios ABS, operante em dois canais, também pode ser desligado pelo piloto. Todo o design do cano de escapamento é inteiramente novo.

O modelo KTM Duke 390 pesa em torno de 149 quilos, o que o torna uma das motos mais eficientes no segmento. Na sua parte dianteira, a estrutura da suspensão utiliza um tipo de garfo invertido chamado, upside-down, oriundas da marca WP com 43 mm no diâmetro e 142 mm no que toca ao curso. Com relação à parte traseira, ela está equipada de Monoamortecedor, com garantia de 150 mm no curso. Fechando em alta qualidade, ela está aparelhada de rodas de liga com raio de 17 polegadas.

Está nova geração de motos produzidas pela companhia KTM, na linha da 390, está sendo comercializada em toda a Europa desde o ano passado, 2017. Estando suplementada e equipada com uma série de novos atributos e especificações em relação ao modelo anterior, a KTM 390 Duke se tornou bem sucedida em pouco tempo no velho continente.

Entre outras especificações estão: Chassis aperfeiçoados; nova suspensão; novo conjunto de iluminação; painel de instrumentos em novo design; o sistema de freios já citado; o tanque com maior capacidade. A moto foi sublimada em todo o seu conjunto, que a torna mais eficiente e atraente.

Outros detalhes sobre o motor incluem as seguintes características: o sistema foi mantido na estrutura de monocilíndrico em 373 CC que gera desempenho de até 44 CV, porém, nesta nova versão ela trabalha de modo mais eficiente por meio de giros mais baixos.

Esta moto está inteiramente preparada para chegar uma potência máxima que chega aos 7000 RPM, e a força de torque também foi intensificada ao ponto de atingir o valor de 3,57 no desempenho de 7.250 RPM, em até 3,77 KGFM em 7.000 RPM. Portanto, trata-se de um veículo de grande força e tração, combinando estilo e eficiência em um mesmo conjunto.

Há mais especificações que preenchem este novo modelo e o tornam um dos mais cobiçados no momento, no mercado de motos. Vale a pena conferir.

Por Paulo Henrique dos Santos

KTM 390 Duke 2018

KTM 390 Duke 2018


Modelo foi atualizado e apresenta novos faróis e desenho de tanque de combustível.

A Yamaha apresentou no mês passado no Japão uma versão mais atual da MT-07. Esse modelo foi lançado em 2015, uma moto com motor de 688 cc com 75 cv de potência.

Um novo visual com melhorias em seu conforto e partes estilizadas. Uma das partes que é percebido um novo estilo é o seu farol, muito semelhante ao modelo 09, mais largo e maior.

Em sua apresentação de lançamento em outros países apresenta outra cara com faróis duplos.

Tanque desenhado para motociclistas

O desenho do tanque de combustível foi projetado para melhorar o encaixe das pernas dos motociclistas, a sua capacidade continua a mesma, apenas seu estilo mudou. O tanque da nova MT-07 é comporta até 14 litros de combustível e 2,7 de reserva.

Performance e agilidade

A nova Yamaha MT-07 ou Master of Torque foi considerada em 2015 uma das melhores motos na categoria Street de 301 a 750cc. A sua combinação de performance e agilidade reúne todos os elementos para garantir ao motociclista mais diversão nas ruas e estradas que passa.

Uma motocicleta naked versátil está excepcional para quem curte velocidade e emoção. A tecnologia Crossplane Yamaha produz resultados de aceleração e performance impressionantes com motor de dois cilindros tem um torque de 6,9 kgf a 6500 rpm.

A agilidade nas pistas é porque possui quadro compacto e bem leve, trazendo facilidade na hora de pilotar, além disso, a segurança com seus freios ABS nas duas rodas, garantindo ao piloto uma melhor resposta na hora da frenagem.

Os freios ABS nas duas rodas são itens de série da Yamaha MT-09.

Vendida com opção de cores

A Yamaha Master of Torque 07 possui opção de três cores: as clássicas azul, preta e branca, o destaque fica com a cinza fosco com as rodas na cor amarela. A identificação de cada modelo é a Night Fluo com a combinação cinza fosco e rodas amarelas, a Metal Black com acabamento fosco e a Pearl White com branco perolizado, para pessoas que gostam de um estilo mais elegante.

Ficha Técnica da Master of Torque 07 e Preço

O preço sugerido de venda da Yamaha MT-07 é a partir de R$ 32.290, seu motor é do tipo DOHC de quatro tempos com refrigeração líquida e 8 válvulas, com 2 cilindros.

Possui potência de 74,9 cv a 9000 rpm, conta com embreagem multi-disco úmida, câmbio de 6 velocidades com sistema de partida elétrica, a transmissão primária de engrenagens e secundária através de correntes, abastecimento a gasolina.

Os freios a disco dianteiro duplo hidráulico com sistema que evita bloqueio na frenagem, e traseiro a disco hidráulico com o mesmo sistema evitando quedas em frenagens de emergência.

A altura do assento é de 805 mm e do solo de 140 mm, a Yamaha MT 07 tem 182 kg com tanque com 14 litros de capacidade.

Painel de Bordo

Um atrativo a mais é seu painel com computador de bordo e diversas funções que monitoram o funcionamento da moto e também da pilotagem. A sua iluminação por led, seu posicionamento está acima do guidão permitindo fácil navegação e leitura das informações de suas funções.

A Yamaha MT conta com uma vasta gama de acessórios que podem equipar um pouco mais sua moto, caso tenha interesse em saber quais acessórios podem ser acoplados em sua motocicleta acesse: http://bit.ly/acessorios-mt-07 e escolha qual item pode ser útil para o seu dia a dia.

Yamaha nas redes sociais

A Yamaha está presente nas redes sociais e você pode ficar sabendo de todas as novidades acessando sua fanpage no Facebook e interagir com outras pessoas que já compraram a MT-07, além de descobrir novos detalhes e obter mais informações a respeito da Master of Torque acessando a página no Facebook: https://www.facebook.com/YamahaMotorBrasil.

Achou interessante essa moto? Compartilhe com outras pessoas que poderão curtir também, se você já andou em uma MT-07 deixe seu comentário sobre o que você sentiu ao pilotar essa moto.

Por Marcio Ferraz

Yamaha MT-07 2018


Modelo traz muita tecnologia e conforto na linha 2018.

Primando pela elegância, estilo e apelo tecnológico, a Honda SH 150i é uma interessante scooter comercializada pela Honda no mercado nacional.

Na linha 2018, tanto a motorização como a transmissão continuam as mesmas, motor de 149,3 de cilindrada com transmissão automática CVT, a Honda também disponibilizou uma versão topo de linha, a DLX, com uma cor exclusiva (preta perolizada) tornando a atual SH 150i uma opção de entrada mais barata.

Design e Segurança

Além do acabamento sofisticado, dando estilo e charme a Honda SH 150i, seu design conta com lâmpadas de LED na dianteira imprimindo uma assinatura única ao conjunto, além de privilegiar uma melhor visibilidade ao conjunto.

A Honda SH 150i, conta com rodas de aro 16” trazendo mais conforto no rodar e no pilotar do motorista além de estarem conjugadas com o sistema anti-travamento ABS proporcionando total equilíbrio e controle na pilotagem.

Tecnologia até no Bolso

O sistema de acionamento do motor da Honda SH 150i pode ser feito por chave presencial, além da inovação e da praticidade, o condutor não precisa se preocupar sequer em tirar a chave do seu bolso para dar partida em sua scooter.

Fora isso, o motorista conta com uma conveniente tomada de 12 volts no próprio porta-objetos permitindo o uso variado ou para carregadores de smartphone, por exemplo.

Ainda a Honda SH 150i possui um sistema inovador que desliga o motor quando se encontra em marcha lenta por mais do que 3 segundos, a Honda denomina este sistema de Idling Stop, ele é automático uma vez que é religado quando a moto é acelerada, contribuindo para economia de combustível e o bolso do condutor.

Também presente na Honda SH 150i, o computador de bordo registra o consumo médio e também instantâneo do percurso feito, tem função relógio e também informa as necessidades para se fazer a troca de óleo periódicas, tudo isso incorporado ao conjunto de mostradores do painel.

Preço e Garantia

A Honda SH 150i é comercializada pela Honda com o preço sugerido de R$ 12.450,00, este é o valor sem frete e seguro.

As cores disponíveis são o Vermelho Perolizado e também o Azul Perolizado (em tom mais escuro).

A Honda oferece garantia de 3 anos com fornecimento de óleo gratuito e genuíno em sete revisões, sempre a partir da terceira revisão.

Especificações Técnicas da Honda SH 150i

Motorização e Sistema Elétrico

Motor de quatro tempos, com arrefecimento por líquido

149,3cc de cilindrada

14,7cv de potência com 7.750 rpm

1,40 kgf.m de torque máximo a 6.250 rpm

Transmissão CVT

Partida Elétrica

Alimentação por Injeção Eletrônica e Combustível principal a Gasolina

Ignição Eletrônica

Bateria de 12 volts com 5Ah e farol de LED

Dimensões e Capacidades

Peso de 129kg

Altura de 1158mm, Largura de 740mm e Comprimento de 2026mm

Entre eixos com distância de 1340mm

Altura de 799mm (contada a partir do assento)

Tanque de combustível com capacidade para 7,5 litros

Tanque do óleo do motor com capacidade para 0,9 litro

Características do Chassi

Chassi tipo monobloco

Suspensão dianteira com garfo telescópico de 100mm de curso

Suspensão traseira com dois amortecedores de 95mm de curso

Freio dianteiro a disco com 240mm de diâmetro

Freio traseiro a disco com 240mm de diâmetro

Pneu dianteiro de medida 100/80, com rodas de 16”

Pneu traseiro de medida 120/80, com rodas de 16”

Detalhes no site da Honda

Todos os detalhes desta ótima opção para o trânsito do dia a dia podem ser conferidos no link: https://www.honda.com.br/motos/sh-150i, inclusive com a possibilidade do preenchimento de um formulário de interesse de compra, destacando o estado e a cidade de onde se encontra o proprietário.

Com todas estas inovações e qualidades, a Honda SH 150i prova mais uma vez sua excelente vocação urbana sem abrir mão do conforto.

Por C.B

Honda SH 150i 2018


Linha 2018 trouxe importantes mudanças no design dianteiro, uma nova suspensão dianteira toda reforçada, além de um novo grafismo com nome da linha (Crosser).

A linha aventureira da Crosser da Yamaha já está disponível no mercado nacional em sua versão 2018. A Yamaha oferece inicialmente duas versões no mercado a Crosser 150 Z e Crosser 150 S.

A Yamaha Crosser 150 Z tem preços sugeridos de R$ 11.490,00 e trouxe importantes mudanças no design dianteiro com um novo para-lama, mais alto, chamativo e maior, e uma nova suspensão dianteira toda reforçada, além de um novo grafismo com nome da linha (Crosser). Como seu principal propósito de utilização é o uso em terra, as mudanças não só beneficiam o conjunto como reforçam um rodar bem mais adequado as suas vocações em terrenos mais sujos.

A motorização não mudou, são os mesmos 150cc com 12,4 cavalos de potência, injeção eletrônica e pistão com alumínio forjado com a transmissão de cinco velocidades.

Diferenciais da Linha 150 Z

  • A linha 2018 da Yamaha 150 Z ganhou um novo design na dianteira com um novo para-lama e também uma nova carenagem para o farol dianteiro.
  • O garfo dianteiro também ganhou novos protetores sanfonados e rígidos.
  • O painel da Yamaha Crosser 150 Z é multifuncional e bem completo com iluminação feita por LED, além de várias funções como hodômetro total e parcial, indicadores de combustível, conta-giros, indicador para marchas, marcador para relógio, indicador de nível de combustível e também a importante função ECO.
  • A Crosser 150 Z conta com o Lampejador de Farol no guidão dando maior segurança ao seu condutor em ultrapassagens e na sinalização da moto.
  • A Yamaha oferece ainda 3 (três) anos de garantia com as revisões a preços previamente fixados e peças originais Yamaha, através do programa Y-TEQ.

Principais Especificações Técnicas da Yamaha 150 Z

a. Motorização

Motor quatro tempos de um cilindro, com 149,3 cc de cilindrada, flexível, potência de 12,2 a Gasolina e 12,4 a Etanol, rotação máxima de 7.500 rpm, torque de 1,28 kgf a Gasolina e 1,29 kgf a Etanol, alimentado por injeção eletrônica, com partida elétrica e câmbio de cinco velocidades

A bateria é de 12 volts com 5 AH

A transmissão primária é feita por engrenagens e a transmissão secundária por corrente

O tanque de combustível é de 12 litros com 3 litros de reserva

b. Detalhes da Suspensão, Freios e Pneus

Suspensões dianteiras com Garfo Telescópico de 180mm de curso

Suspensões traseiras do tipo Monocross de Balança com 160mm de curso

Freio dianteiro com disco hidráulico de 230mm

Freio traseiro Mecânico a Tambor de 130mm

Pneu dianteiro de tamanho 90/90

Pneu traseiro de tamanho 110/90

c. Dimensões e capacidades gerais

Entre eixos de 1350mm

Altura de 836mm computada do Assento do condutor

Peso de 131kg, sempre em ordem de marcha

Tanque do óleo do motor de 1,25 litro

Tanque de combustível de 12 litros, com 3 litros para reserva

Altura de 1140mm, Largura de 825mm e Comprimento de 2050mm

Cores Disponíveis: Bege ou Dakar Areia, como a Yamaha denomina, e Azul ou Competition Blue, descrito no site da Yamaha.

Preços Sugeridos

Iniciados em R$ 11.490,00, preço à vista, sugerido sem frete ou valores com seguro.

Através do Consórcio Online Yamaha

Plano Nacional Yamaha: R$ 12.845,00 de valor de crédito, podendo ser pagos em 25x, 36x, 50x, 60x ou até 72x.

Plano Top Yamaha: R$ 13.981,00 de valor de crédito, podendo ser pagos em 25x, 36x, 50x, 60x ou até 72x.

No site da Yamaha

Mais informações e detalhes, além da possibilidade do preenchimento de um cadastro de interesse de compra e download de catálogo técnico, o futuro comprador pode acessar diretamente a página da Crosser no site da Yamaha: https://www.yamaha-motor.com.br/motocicletas/crosser-150/z.

Por C.B

Yamaha Crosser 150 Z 2018


As versões que chegarão na metade de 2018 no mercado estão repletas dos seguintes atributos: o comando único em estilo Joystick com iluminação, todos centralizados em seus ajustes, garantindo maior praticidade e intuição ao ser utilizado.

Depois do colapso da Triumph Motocicletas, a fabricante britânica foi assumida legalmente pela empresa denominada Hinckley na década de 80. No final do ano de 2017 a companhia lançou a nova linha Triumph Tiger 800. O lançamento deste top de linha global ocorreu primeiramente no EICMA 2017. No Brasil, esta motocicleta estreou em uma sessão no Salão Duas Rodas, portando mais de 200 melhorias. Este novo modelo lidera a marca em território nacional, com recorde de vendas. Entretanto, o lançamento oficial está previsto para o mês junho de 2018.

Esta série Tiger 800 compõe uma linha de três versões, iniciando pela top de linha intitulada XCa, seguida das XRx Low Seat, e a XRT. Esta sequência será vendida pela primeira vez no Brasil. O modelo Tiger 800 foi criado em 2010 e conquistou, por conseguinte, a crítica positiva internacional, reconhecida como um modelo apropriado ao público típico de aventureiros.

Esta geração renovada estreia carregada de atualizações tecnológicas, que garantem melhor desempenho no sentido de potencializar a capacidade desta nova Tiger 800, proporcionando maior versatilidade, suavidade e força tanto na estrada quanto nas ruas. A meta principal da companhia consistiu em melhorias específicas em termos de conforto, em estilo e em tecnologia. Entre outras inovações está a nova aparelhagem em seu motor.

Em seu design exterior a Tiger 800 porta um tipo de nova carenagem e uma pintura de alta qualidade. Em seu painel lateral está impresso um novo estilo de ilustração, com emblemas e demais detalhes de grande categoria. O escopo estava em oferecer um visual muito mais dinâmico e modernizado para estas versões, as quais se destacam em On e Off-Road em cada unidade, sem que esse recurso custe a descaracterização da moto.

Em cada versão estão instaladas especificações que portam diversas melhorias, entre elas um painel completo de instrumentos TFT (com cinco polegadas e totalmente configurável, o mesmo já visto na Street Triple 765 RS), sendo colorido também; com punhos atrelados ao guidão e demais comandos com iluminação de fundo, além do dispositivo de luzes em LED.

Em suma, a companhia Triumph atingiu mais um grau de aperfeiçoamento, eliminando alguns pontos fracos existentes na Tiger 800, os quais não possuíam praticidade em termos de meios de configuração das opções em seus ajustes eletrônicos. As versões que chegarão na metade de 2018 no mercado estão repletas dos seguintes atributos: o comando único em estilo Joystick com iluminação, todos centralizados em seus ajustes, garantindo maior praticidade e intuição ao ser utilizado.

Com relação ao guidão, o mesmo está posicionado em 10 mm mais próximo à posição do piloto; a parte do assento recebeu um tipo de espuma de melhor qualidade e o para-brisa agora possui ajuste para até cinco posições.

Esta série possui as três versões em Top de linha, Tiger 800, que estão aparelhadas com o mesmo tipo de motor que consiste em um Tricilíndrico de 800CC; com 12 válvulas e mais a função de refrigeração líquida, com capacidade de gerar a máxima potência de 95CV até 9500RPM, além do torque de 7,8 KGFM com 8000 giros. Portanto, trata-se de um propulsor entre os mais potentes e atualizados, garantindo maior força de modo imediato.

A função de escapamento está munida com um sistema 3 em 1, junto de um silenciador produzido em aço inoxidável, proporcionando maior leveza e melhor fluxo. No que toca ao banco a Tiger 800 vem equipada com duas posições de altura do assento: um de 810-830mm nas XR e outro de 840-860mm nas XC, com capacidade de ajuste em até 20mm de modo adaptar-se à forma de pilotagem ou aos tipos variados de terrenos. Nesse mesmo sentido, entre as versões da Triumhp, está a Tiger 800 XRx Low Seat, que vem equipada com uma suspensão mais abaixo em 760mm, configurando a medida de 50mm mais baixa que as demais versões Tiger 800 XR.

Os preços ainda estão estipulados, dado que a estreia oficial no mercado se dará a partir do mês de junho de 2018. Para mais informações, atualizações e especificações acesse o site: https://www.motorede.com.br/triumph-tiger-800.

Por Paulo Henrique dos Santos

Triumph Tiger 800 2018


BMW G 310 GS possui muita versatilidade, com design único trazendo elementos clássicos.

O novo modelo da BMW já está sendo muito falada por aí. Ela ainda não tem data certa para ser lançada, porém, já existe uma grande expectativa sobre sua desenvoltura e potência. Sua ficha técnica é capaz de deixar animado até os motociclistas mais exigentes. Então vamos conhecer os destaques dessa máquina.

BMW G 310 GS possui muita versatilidade

Um dos pontos positivos dessa moto é que ela tem a versatilidade como um dos seus pontos positivos. Para quem usa o trânsito urbano ela é uma ótima opção, pois possui muita agilidade. E também é muito forte para se pilotar fora da estrada. E já podemos afirmar que a BMW G 310 GS é uma companheira ideal para quem gosta de pilotar uma máquina no seu dia a dia.

Design único e perfeito

Quando olhamos para esse novo lançamento, já percebemos logo que ela é uma autêntica GS. Ela possui alguns elementos clássicos como: Para-lamas dianteiro próprio, alto e curto. Esse novo lançamento traz elementos clássicos de suas irmãs da linha GS. Suas dimensões compactas no meio dos eixos que é considerado curto, sua medida é de 1420 mm e sua roda dianteira mede 19 polegadas. Mesmo com essas medidas, a BMW G 310 GS lembra uma moto de porte grande. Pois por trás dessa carcaça existe muita potência.

BMW G 310 GS aceita diversos tipos de combustível

Outra informação bem relevante sobre essa máquina, é que ela pode ser alimentada por diversos tipos de combustível, e isso a torna uma moto versátil. E quem resiste a mistura de versatilidade e potência em uma só máquina? Acho que ninguém.

Vamos às informações do motor e toda parte elétrica dessa moto

Outra parte muito importante da BMW G 310 GS é toda sua parte elétrica e seu motor. Muitas pessoas que estão esperando esse lançamento estão ansiosas para saber tudo a respeito desse detalhe da moto. Até porque é muito importante avaliar esse quesito antes de concluir a compra. Já posso adiantar que as informações são bem animadoras e isso não é surpresa alguma quando se trata de uma BMW não é mesmo?

Ela possui motor monocilíndrico de refrigeração líquida de 313 cc medindo 80,0 mm x 62,1 mm, além disso, possui também quatro válvulas e dois eixos de comando e junto a ela tem a injeção eletrônica de combustível. Outra informação dessa moto é que ela tem o cilindro inclinado para traz e seu cabeçote é invertido em 180º Graus com entrada na parte frontal e saída na parte frontal também.

Com essa configuração é permitido abastecimento direto e melhora a mistura ar-combustível e isso determina uma potência de 34 cv a 9.500 rpm e um torque total de 2,9 kgf.m a 7.500 rpm para empurrar os 169, 5 kg (sem carga na moto).

Moto indicada para diversos tipos de pilotos

Outra informação bem legal desse novo lançamento, é que ela é indicada para diversos tipos de pilotos. E isso mostra mais uma vez o quanto ela é versátil. Ela possui uma posição de pilotagem bem confortável. Esse conforto é possível pilotando na estrada ou na cidade. Com a BMW G 310 GS os comandos seguem o padrão da marca, ela tem operação simples e segura, pois ela oferece diversas anatomias ao condutor e com isso ela oferece uma experiência agradável e satisfatória.

Ficha técnica da BMW G 310 GS

Motor- Um cilindro, arrefecido a líquido, 4 tempos e 4 válvulas

Bateria- 12 v- 8 Ah

Sistema de Ignição- Eletrônica

Sistema de partida- Elétrica

Capacidade cúbica- 313 cc

Tipo de combustível- Gasolina

Alimentação- Injeção eletrônica

Taxa de compreensão- 10,6:1

Transmissão- 6 velocidades

Transmissão final- Corrente

Torque máximo- 2,9 kgf.m a 7,500 rpm

Embreagem- Multidisco em banho de óleo

Potência máxima- 34 cv a 9.500 rpm

Capacidade total de carga- 345 kg

Distância entre eixos- 1.420 mm

Peso em ordem de marcha- 169,5 kg

Altura total- 880 mm

Altura do assento- 835 mm

Comprimento total- 2.075 mm

Pneu dianteiro- 110/80 R 19

Pneu traseiro- 150/70 R 17

Freio dianteiro- Disco simples de 330 mm com ABS

Freio traseiro- Disco simples de 240 mm com ABS

Rake- 63,3 º

Trail- 98 mm

Velocidade máxima de fábrica- 143 km por hora

Essas são as principais informações da BMW G 310 GS!

Por Cristiane Amaral

BMW G 310 GS

BMW G 310 GS


A nova BMW HP4 RACE tem motor de corrida e muitos outros detalhes.

A nova BMW HP4 RACE tem alto desempenho nas pistas e um design moderno que não a deixa passar despercebida. Ela traz soluções técnicas para dar o máximo de desempenho em circuitos. Por isso é indicada para executar corridas.

Novo lançamento da BMW é eleita como a “perfeição”

A BMW HP4 RACE é uma moto de corrida puro sangue. E possui e foram feitas com medidas de perfeição em seus mínimos detalhes. Ela possui uma edição limitada de 750 unidades, e isso quer dizer que a mesma será muito disputada. Com tanta perfeição, desempenho e potência, a fila de possíveis compradores deve estar bem grande.

Parte elétrica excepcional

Outra grande razão para comprar essa moto, é que sua parte elétrica é maravilhosa e supera qualquer expectativa. Esse modelo é comparado as motos oficiais do campeonato do mundo de Superbikes, se considerarmos o motor, a suspensão e a eletrônica. Com seu novo quadro de carbono ela consegue até superar os modelos das motos dessa competição. Esse é apenas um dos detalhes para provar que o lançamento da BMW vem para causar.

Modelo leve e ideal para competições

A BMW HP4 RACE é considerada extremamente leve, com o peso de 171 Kg já com seu depósito cheio. Por isso ela é considerada ideal para competição, pois o fato de não pesar tanto como outros modelos, aumenta muito seu desempenho. Ela apenas ultrapassa o peso das motos oficiais do campeonato de moto GP.

Novo modelo possui amortecedores Öhlins e basculantes inferior em liga leve

Esses tipos de amortecedores são ideais para motos de competição. Eles são responsáveis por manter a moto em equilíbrio e com muita segurança, e de quebra a BMW traz também a suspensão tecnológica invertida tipo FGR 300, o tipo de suporte GP TTX36 do fabricante sueco Öhlins. Essas funções são as idênticas as das motos usadas no campeonato mundial de Superbike.

Sistema de travagem com duas pinças

Outra informação dessa moto é que ela tem o sistema de travagem bem seguro. Ela possui duas pinças monobloco Brembo GP PR, que são apenas usados em campeonatos mundiais. A explicação para uma travagem perfeita e segura é a combinação com os discos de aço T-Type-Rancig com 6,5 mm de espessura e 320 mm de diâmetro.

Moto de muita potência

Esse novo modelo da BMW é indicado para os amantes de adrenalina e velocidade. Pois essa moto é muito potente e não é qualquer um que encara tanta potência assim. Como já foi dito antes aqui nesse artigo, a BMW HP4 RACE é uma moto para competições e comparada aos modelos de motos usadas em campeonatos mundiais, e por isso deve ser pilotada por quem tem experiência com máquinas potentes.

Conheça o sistema de tração da BMW HP4 RACE

O sistema de tração de moto é dinâmico e funciona cortando a ignição, o sistema de travagem do motor, controle de cavalinhos que tem a função de oferecer inúmeras possibilidades de ajustes e isso depende das condições das estradas nos circuitos. Outra notícia interessante, é que essas funções podem ser programadas para diferentes velocidades, isso só depende da escolha do piloto. Ele ainda pode explorar de forma geral toda a grande potência dinâmica que monta a HP4 RACE.

Ela ainda possui um limitador-Pit-Line que é usado para respeitar a velocidade máxima permitida nos pits. Isso funciona também para a função de partida ideal para proporcionar o melhor início de corrida e outras funções eletrônicas dessa moto.

Veja algumas funções da BMW HP4 RACE

– Painel 2D com gravação de dados e memória

– Função de arranque na partida (controle de arranque)

– Controle de tração Dinâmico DTC programável em 15 níveis

– Controle de travão de motor EBR programável em 15 níveis

– Cores BMW HP Motorport

– Carenagem em carbono com sistema de desmontagem rápido

E muito mais.

Como podemos ver a BMW HP4 RACE é um modelo moderno, seguro e potente. E tem outros muitos motivos para conquistar aqueles que amam motos e aventuras!

Por Cristiane Amaral

BMW HP4 Race


Modelo possui design compacto e robusto com acabamento em alumínio para os protetores da correia, guidão amplo, farol com lente de vidro e iluminação de LED.

Recentemente, a Ducati apresentou várias novidades no World Premiére 2018 e no Salão de Milão (EICMA). Uma das novidades que foram apresentadas é o modelo Scrambler 1100.

Com design compacto e robusto possui acabamento em alumínio para os protetores da correia, guidão amplo, farol com lente de vidro e iluminação de LED. Possui painel de instrumento com tela de LCD localizado ao lado direito do farol com borda intercambiável e conta com informações como contador de combustível, nível de tração, temperatura do ambiente, odômetro parcial 1 e 2 e mapas. Há ainda um segundo mostrador que exibe informações como velocímetro, luz de aviso e outras informações opcionais. Tem uma tomada USB por baixo do assento, painéis laterais substituíveis, um sistema de escape que termina com 2 silenciadores altos, bancos com altura de 790 mm o que garante que tanto o piloto como o passageiro tenham bastante conforto e rodas dual sport. As motos estão disponíveis em duas cores: Amarelo 62 e uma versão na versão de cor Shining Black.

Seu motor é uma variação do Motor Monster 1100 mas com uma estrutura totalmente nova. Está mais poderoso e com equipamentos melhorados. Possui bicilíndrico em L de 2 válvulas de 1.079 cc, distribuição desmodrônica, refrigeração mista ar e óleo que entrega uma potência de 86 CV as 7.500 rpm que cumpre a homologação Euro 4, seis velocidades, controle de Tração Ducati de quatro níveis (DTC).

O combustível é transportado por um taque de 14,7 L. As rodas dianteiras possuem discos duplos de 330 mm e a parte traseira possui um disco único de 245 mm.

Veja abaixo a ficha técnica da Ducati Scrambler 1100 2018:

VISÃO GERAL

Nome variante: Ducati Scrambler 1100

Quilometragem: 19.24 km

Cores disponíveis: '62 Yellow, Shining Black Status

Garantia: 24 meses

DATA DO LANÇAMENTO

Data de lançamento Ducati Scrambler 1100 deverá ser em março de 2018.

MOTOR E CAIXA DE ENGRENAGEM

Cilindrada 1079 cc

Número de Cilindros 2

Nº de Engrenagens 6

Potência máxima 86 HP/ 7500 rpm

Torque Máximo 88 Nm/4750 rpm

Descrição do motor: L-Twin, distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar

Sistema de combustível: Injeção eletrônica de combustível

Razão de compressão: 11.0: 1

Engrenagem primária: Engrenagens de corte direto; Cadeia de transmissão final; Roda dianteira 15; Roda traseira 39

FREIOS E SUSPENSÃO

Travão dianteiro 2 x discos semi-flutuantes de 320 mm

Disco traseiro de freio: 245 mm, calibre flutuante de 1 pistão com Bosch ABS de direção

Sistema de travagem: antibloqueio (ABS)

Suspensão dianteira: Marzocchi totalmente ajustável 45 mm

Suspensão traseira Kayaba monoshock, pré-carga e rebote ajustável

Roda dianteira: 150 mm

Roda traseira: 150 mm

RODAS E PNEUS

Pneu dianteiro: Pirelli MT 60 RS 120/80 ZR18

Pneu traseiro: Pirelli MT 60 RS 180/55 ZR17

Roda dianteira de 10 raios em liga leve, 3,50 "x 18"

Roda traseira de 10 raios em liga leve, 5,50 "x 17"

Pneus sem câmara

Rodas de liga leve

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Comprimento total: 2190 mm

Largura total: 895 mm

Altura total: 1330 mm

Distância entre eixos: 1514 mm

Peso seco: 189 kg

Curvatura / Peso úmido: 206 kg

Capacidade do tanque de combustível: 15 litros

INSTRUMENTOS

Velocímetro Digital

Tacômetro digital

Medidor de viagem digital

Odômetro Digital

Medidor de Consumo de Combustível Digital

Relógio digital

Luz ABS

Medidor de combustível digital

Indicador de engrenagem digital

Indicador de baixo nível de óleo

Indicador de bateria fraca Início elétrico

Carregamento USB

OUTRAS INFORMAÇÕES

Quadro / Chassis Estrutura de Trellis em aço tubular

Sistema de escape / silenciador 2-1-2 com conversor catalítico e 2 sondas lambda, silenciador gêmeo de aço inoxidável com tampas de alumínio e tampas de extremidade.

Por Lorena Ruiz

Ducati Scrambler 1100


Uma das vantagens deste lançamento deverá ser a rapidez para a recarga das baterias, pois ela deverá estar pronta para andar depois de 20 minutos recarregando.

A Vespa Elletrica estará disponível nas lojas a partir do próximo ano, sendo o primeiro modelo a utilizar este tipo de energia, abrindo portas para muitas novidades que virão depois, mas por enquanto a expectativa é que apenas o mercado europeu conte com esta facilidade. A apresentação da Vespa Elletrica foi feita no Salão de Milão, na Itália, na última terça-feira (07) e chamou a atenção do mundo inteiro.

Além de ser um veículo ótimo para driblar os trânsitos saturados nas grandes cidades, ainda garante maior economia no combustível e ajuda a preservar o meio ambiente. Só que por enquanto o preço não foi definido por enquanto, abrindo espaço para vários rumores, mas não há mais dúvidas de que esta é uma importante revolução para a companhia, que já deve ter muitos outros projetos em desenvolvimento, mas tudo muito bem guardado.

Os brasileiros deverão esperar bem mais do que gostariam, pois a marca não deu nem previsão de quando o modelo chegará por aqui.

Uma das vantagens deste lançamento deverá ser a rapidez para a recarga das baterias, um problema comum entre os veículos desta linha, mas esta Vespa deverá estar pronta para andar depois de 20 minutos recarregando, pelo menos é o que garantiu o presidente do grupo Piaggio, que já atua no Brasil desde 2016.

A versão de entrada vem com autonomia de 100 km e será a mais barata, enquanto a mais cara é uma versão mais robusta, com autonomia de 200 km, chamada de 'Elletrica X'. Ela conta com um gerador auxiliar para o motor elétrico e neste caso, a bateria precisará ficar recarregando ao menos por 4 horas.

Mas para os brasileiros, a Vespa Elletrica pode ser uma decepção, já que ela tem um desempenho muito próximo das 'cinquentinhas', quase já não vistas por aqui. A potência máxima é de apenas 5,5 cavalos, ou seja, é um veículo que dá para ir trabalhar e se locomover, mesmo em grandes centros urbanos, mas nada de muito pesado e nem de pressa.

Mas o brasileiro tem motivo de sobra para acreditar que a Vespa Elletrica não fará sucesso por aqui. Primeiro por causa do preço, pois estes veículos quando são lançados no mercado nacional, custam uma fortuna e segunda por causa da questão da própria energia elétrica, pois as contas de luz estão altas e ainda tem as bandeiras tarifárias no vermelho e em módulo 2. O brasileiro tem feito de tudo para economizar energia e deixar um veículo por horas, na tomada, recarregando, não vai ser para muitos.

Esses projetos são lentos e gastam anos para chegar ao mercado europeu, o que dizer então do Brasil. Em 2016 a Vespa apresentou um protótipo no Salão de Milão e só agora chega com o produto final.

Em relação à agilidade do modelo no trânsito, a empresa garante que o torque instantâneo favorece mais velocidade, não sendo este um empecilho para o proprietário. Um ponto a favor da Vespa Elletrica é que não há nenhum barulho, é um veículo extremamente silencioso, uma ótima notícia para os grandes centros urbanos, onde a poluição sonora é cada vez maior.

A Vespa Elletrica conta com um painel bastante colorido, com muitas informações na tela TFT e o consumidor poderá escolher uma das sete cores que estarão sendo oferecidas.

Se este é mais um modelo para o brasileiro contemplar de longe e continuar sonhando, sem ter como usufruir na prática, só o tempo poderá dizer. O país precisa urgentemente de veículos elétricos em suas ruas e avenidas, mas a infraestrutura e o problema da energia elétrica acabam prejudicando diretamente este setor. Vai ser preciso aguardar alguns anos para sabermos o que melhorou por aqui, pois só assim as empresas estarão dispostas a trazer suas novidades para os brasileiros.

Por Russel

Vespa Elletrica

Vespa Elletrica


O design arrojado do modelo combina com traços leves, em linhas fragmentadas em um estilo único, mais para o contemporâneo.

A Triumph Tiger 1200 XR é uma moto para quem gosta de aventura e precisa de muita potência, mas sem perder o estilo para ser usada na cidade. Este modelo foi preparado para enfrentar não só o dia a dia, mas qualquer caminho por onde você quiser se aventurar. Sozinho ou com os amigos, no asfalto ou não terra, você terá conforto e segurança, além de poder contar com muitas novidades.

São 3 versões para a Triumph Tiger 1200 XR, assim é possível escolher a que melhor atende ao seu estilo, sendo que em ambas é possível encontrar tecnologia de ponta, alto desempenho e economia. Já disponível no mercado nacional, o modelo é um dos que mais vem chamando a atenção e é possível citar vários pontos onde esta moto leva vantagem sobre a concorrência.

O primeiro deles é no visual, afinal, é impossível olhar para uma máquina dessa e não ficar admirado. O design arrojado combina com traços leves, em linhas fragmentadas em um estilo único, mais para o contemporâneo. No conjunto, a Triumph Tiger 1200 XR tem um visual que agrada a todos. No painel, instrumentos completos em um display em tela de LCD, trazendo tudo que o piloto precisa: medidor de combustível, velocímetro, indicador de manutenção e posição de marcha, relógio, temperatura externa e do líquido de arrefecimento e os dois modos de pilotagem, sendo eles, o Road e Rain.

Na ficha técnica da Triumph Tiger 1200 XR, é possível conferir todas as informações e novidades é bom ler tudo com bastante atenção, antes de sair por aí com esta máquina, pois tem muito o que conferir, aprender, para que possa conseguir tirar o máximo desta moto.

Confira alguns dos detalhes disponíveis na ficha técnica:

  • Cilindrada: 1215cc
  • Torque Máximo: 137 cv @ 9.300 rpm
  • Potência Máxima: 123 Nm @ 6.200 rpm
  • Caixa de câmbio: 6 velocidades
  • Transmissão final por eixo
  • Embreagem banhada a óleo, multidiscos operada hidraulicamente, auxiliar de torque

A altura desta moto, sem espelho, é de 1.400 mm, a distância entre eixos é de 1.520 mm, peso seco de 244 kg e a capacidade do tanque é de 20 litros. E por falar em capacidade do tanque de combustível, esta Triumph passou por uma avaliação, rodando em perímetros urbanos e também na estrada, sendo que o desempenho ficou além do esperado. Entre a cidade e estrada a média de consumo ficou em 15 km/litro, ou seja, mesmo estando em uma moto grande, relativamente pesada e potente, será possível andar por aí sem pensar que estará gastando muito, pois o consumo fica além do esperado, analisando todos os itens citados.

Quanto ao preço, aí é que muitos poderão ficar surpresos, pois ela oferece muito e isso tem um valor e não é baixo. São 3 opções da Triumph Tiger Explorer 1200 para o consumidor escolher, vejas as opções:

  • Tiger Explorer XR: R$ 54.900,00
  • Tiger Explorer XCX: R$ 65.990,00
  • Tiger Explorer XCA: R$ 78.500,00

A nova Tiger Explorer foi desenvolvida para ir a qualquer lugar, encarando qualquer distância, pois oferece conforto e informações detalhadas e importantes durante toda a viagem. Seja asfalto ou terra, ela tem uma infraestrutura capaz de encarar os desafios com tranquilidade. Este é um modelo para uma viagem transcontinental, então já dá uma ideia de que os obstáculos do dia a dia para ela não são nada.

Com tecnologia de ponta, o piloto tem muito mais estabilidade e controle que podem ser adaptados de acordo com suas preferências. A série XR é indica para quem gosta de estradas, enquanto as XC são para o asfalto e terrenos mais acidentados. Graças ao motor triplo de 1215cc, é possível ter muito mais torque, sem que para isto haja um consumo maior de combustível, conseguindo suavidade e progressão em todas as velocidades.

O ideal é conferir os três modelos e analisar com calma para fazer a escolha certa.

Por Russel

 Triumph Tiger 1200 XR


Com design exterior marcante e dinâmico a Honda GL 1800 Gold Wing conseguiu uma integração única entre a parte frontal e a traseira, o resultado foi uma melhora significativa na aerodinâmica para as viagens.

Intitulada sem exageros como a Rainha da Estrada, a Honda GL 1800 Gold Wing é pura sofisticação e conforto para o motorista que gosta de viajar.

Com muitos atributos Internos e externos a Honda aprimorou diversos itens na atual versão vendida sem abrir mão de suas já tradicionais qualidades.

A Rainha da Estrada

Com design exterior marcante e dinâmico a Honda GL 1800 Gold Wing conseguiu uma integração única entre a parte frontal e a traseira, o resultado foi uma melhora significativa na aerodinâmica para as viagens.

O conjunto ótico frontal acompanha novos desenhos de faróis, com vínculos e linhas marcantes ressaltando as linhas de estilo diagonal e dupla longarina do chassi, além de belo é harmonioso com todo o conjunto.

Os novos bagageiros com 150 litros de capacidade possuem alerta de fechamento incorreto para o motorista e podem ser abertos e fechados remotamente por meio do controle remoto.

Tecnologia em todos os Quesitos

A Honda GL 1800 Gold Wing possui marcha ré que pode ser utilizada em qualquer manobra de estacionamento, tanto que seu sistema de engrenagem é elétrico e pode ser acionado inclusive com a moto parada. O conforto é completado com o recurso de piloto automático que pode ser acionado em longas viagens caso o motorista necessite.

O sistema de som é um show a parte e sem dúvida alguma seu principal diferencial, além de conexão para Ipod, Iphone e pen-drive, tem suporte para MP3 e diversos outros formatos, tudo isto comandado diretamente no guidão de condução com todas as informações dispostas no console frontal no display de informações da moto. Os potentes alto-falantes Surround com seus amplificadores completam o conjunto permitindo um som de alta qualidade e nítido.

A segurança é capítulo a parte, além dos airbags que acompanham o modelo, ótimas frenagens são garantidas pelo sistema antitravamento que faz constante monitoramento tanto da parte traseira como na dianteira e atua nas frenagens de emergência ou em pisos de baixa aderência, além disso, a Honda GL 1800 Gold Wing é equipada com um sistema de frenagem combinada, o chamado DCBS que auxilia na frenagem total da moto.

Principais Especificações

– Motor arrefecido por líquido, de quatro tempo e seis cilindros e com transmissão de 5 velocidades

– Potência de 118 cavalos com torque de 5.500 rpm

– Torque de 17 kgf.m

– Cilindrada de 1832cc

– Partida com sistema elétrico

– Combustível utilizado a Gasolina com Alimentação por Injeção Eletrônica

– Bateria de 12V e 20 Ah

– Ignição de sistema eletrônico

– Capacidade do Tanque de Combustível de 25,5 litros já com a Reserva

– Capacidade do Óleo do motor de 4,6 litros

– Altura de 1455 milímetros, largura de 945 milímetros e comprimento de 2629 milímetros

– Entre eixos com distância de 1690 milímetros

– Distância do solo de 125 milímetros

– Peso de 387kg

– Assento com altura de 740 milímetros

– Chassi em alumínio

– Suspensão de Garfo Telescópico na Dianteira

– Suspensão Pro-link na Traseira

– Freios a disco flutuantes na dianteira com sistema anti-travamento de 296 milímetros

– Freios a disco flutuantes na traseira com sistema anti-travamento de 316 milímetros

– Pneus dianteiros de 130/70 de medidas

– Pneus traseiros de 180/60 de medidas

Preço e Como Comprar

O preço sugerido da Honda GL 1800 Gold Wing é a partir de R$ 119.900,00, sem a inclusão do seguro e do frete, divulgados no próprio site da Honda.

O futuro comprador interessado pode também preencher um cadastro e requisitar as principais informações do modelo citando sua cidade e estado no link: www.honda.com.br/motos/gl-1800-goldwing.

Além disso, todos os detalhes deste conforto sobre rodas podem ser acessados no link: www.honda.com.br/motos/gl-1800-goldwing.

Boa Viagem!

Por C. B.

Honda GL 1800 Gold Wing


Disponíveis nas cores amarela e preta, ambas metálicas, a BMW K 1600 Grand America possui um painel moderno com sistema de Bluetooth para a comunicação.

A motocicleta é um dos meios de locomoção mais usados em todo o mundo. Devido, a inúmeros motivos, nos quais pode-se citar: uma maior rapidez para se chegar ao destino final, a facilidade para se estacionar, o custo mais baixo em relação ao carro, por exemplo, por esse e por outros motivos, esse tipo de bem sempre possui um bom número de vendas em todo o mundo. Com isso, ao redor do planeta existem milhares de apaixonados por motos e cada anúncio de um novo lançamento, os aficionados por motocicletas ficam muito entusiasmados. E um dos mais recentes lançamentos é a BMW K 1600 Grand America. Conheça agora um pouco mais sobre o modelo e por que ele atende todos os requisitos para ser a sua próxima aquisição.

A apresentação oficial para todo o mundo da BMW K 1600 Grand America aconteceu na cidade italiana de Milão, durante a realização do Salão com a apresentação de novos modelos de veículos que vão ter disponíveis no mercado para a compra nos próximos meses. BMW K 1600 Grand America é uma motocicleta fabricada pela montadora de veículos alemã a Bayerische Motoren Werke, conhecida mundialmente por BMW. Com mais de um século desde a sua fundação, a BMW é uma das maiores montadoras de carros e motocicletas de todo o mundo. Presente em mais de 12 países com mais de 25 fábricas, os seus produtos são apreciados em todos os continentes, devido à qualidade, sofisticação, inteligência e outras tantas características que só um produto BMW apresenta. A Bayerische Motoren Werke é uma das líderes no mercado automobilístico mundial.

Nos últimos anos, as motocicletas da BMW vêm ganhando destaque devido a toda a tecnologia que elas apresentam. E um dos mais recentes lançamentos, a BMW K 1600 Grand America apresenta algumas peculiaridades, que podem fazer com que ela se torne objeto de desejo das pessoas. Primeiramente, o modelo foi inspirado nas estradas do continente americano, pois, a moto apresenta potência para percorrer milhares de quilômetros. E essa inspiração não foi algo surgido do nada, a BMW K 1600 Grand America é um produto voltado para as pessoas que moram em cidades localizadas em um dos países do continente americano. Visto que, esses locais hoje apresentam um trânsito atribulado e bastante movimentado, em que pedem veículos com grande desempenho. A BMW K 1600 Grand America apresenta seis cilindros, o que configura uma potência maior ainda para a motocicleta. Ela ainda conta também com 160 cavalos. Esta motocicleta pode chegar a uma velocidade máxima média de 160 km por hora.

Um ponto que merece destaque é o seu design. Disponíveis nas cores amarela e preta, ambas metálicas, a BMW K 1600 Grand America possui um painel moderno com sistema de Bluetooth para a comunicação. O seu painel é todo feito em LED. Além disso, seus bancos são um pouco mais espaçosos para que tanto o piloto quanto o acompanhante façam viagens seguras e mais confortáveis. Pensando na proteção das pessoas que vão usar a motocicleta, a BMW disponibilizou na BMW K 1600 Grand America barras laterais com proteção. O que pode proteger as pessoas que estejam na moto em caso de algum acidente. O seu para-brisa é mais alto, o que confere um ar característico de um veículo americano. Ela ainda conta com um bagageiro, com um ótimo espaço interno para que guardar os pertences do motorista e do acompanhante.

Mesmo considerada um modelo de luxo, essa motocicleta é ótima para o dia a dia, devido ao seu ar esportivo. Ainda não se sabe exatamente por qual preço a BMW K 1600 Grand America vai ser comercializada e nem quando ela vai estar disponível no mercado.

Por Isabela Castro

BMW K 1600 Grand America

BMW K 1600 Grand America

BMW K 1600 Grand America

Fotos: Divulgação


Modelo foi inteiramente atualizado, possuindo diversos atrativos.

Uma das marcas mais famosas, tradicionais e antigas de fabricantes de motos, verdadeira criadora das motocicletas, a Harley Davidson Motor Cycles, inaugurada nos Estados Unidos no ano de 1903, está promovendo o lançamento de seu mais novo projeto: Harley-Davidson Sport Glide Softail. Esta companhia norte-americana vai comemorar os seus 115 anos de existência em grande estilo no ano de 2018, já que fez estrear nesta última terça-feira, dia 7 de novembro, a até então inédita Sport Glide, em Milão, no EICMA (Esposizione Internazionale Ciclo Motociclo e Accessori).

Este é o mais recente modelo, constituindo o número nove desta linha, ou seja, ela está dentro da série Softail, mesmo assim, a nova moto está inteiramente atualizada. Este modelo possui qualidades variadas, entre elas o ser conversível, portanto, se trata de uma genuína Bagger, perfeita para longas viagens, aparelhada com uma proteção em novo design de aerodinâmica, além de estar munida de malas laterais mais firmes e resistentes, sendo que, também, ela tem capacidade de ser prontamente adaptada para um tipo Custom, bem mais versátil, garantindo maior eficiência no desempenho cotidiano.

A nova moto, Sport Glide, está munida de uma menor carenagem, cuja origem, para quem é especialista no assunto, é intuitivamente percebida como inspiração baseada na estrutura Batwing, própria dos modelos da série de Touring, podendo ser hábil e imediatamente desconectada ou instalada novamente, utilizando os grampos próprios de liberação rápida.

De acordo com informações auferidas da companhia, por mais condensada que seja essa versão, o grupo de características que constitui a parte da frente do veículo está projetada para driblar o vento que atinge o tronco do piloto, evitando, também, turbulências na parte do capacete, entretanto, os consumidores mais exigentes poderão optar pela instalação de uma proteção maior, com a substituição do para-brisa desta série por um de maiores dimensões.

As bagagens instaladas nas laterais têm capacidade de serem removidas e recolocadas de modo muito prático. São malas acopláveis, muito firmes, resistentes, possuem um mecanismo de trava por meio de chaves e códigos, além disso, as duas bagagens, quando unidas, possuem estrutura para 25,5 litros. Portanto, esta é uma das melhores Harley já produzidas.

Assim, sendo uma companhia muito prevenida a respeito das possíveis situações e preferências, este mesmo modelo conta com um conjunto de acessórios para os consumidores mais exigentes. A Sport Glide, por melhor que seja ainda pode conter menos espaço para algumas das pessoas que por ela se apaixonaram. Nesse sentido, a companhia da Harley-Davidson projetou uma série de atributos adicionais, para atender à demanda que certamente surgirá. Esse conjunto de acessórios contém desde bagageiros até um tipo de rack próprio para instalação de um excelente tour-pack, inteiro. Todo esse aparato possui uma íntegra relação entre suas partes, formando um conjunto de pronta liberação de modo a esta nova moto não ficar privada de sua característica essencial.

Este modelo está munido de um motor do tipo Milwaukee-Eight 107. Os seus atributos técnicos somados ao conjunto de equipamentos são todos próprios da linha Softail, 2018. Foi projetado um chassi inteiramente novo, além de novas suspensões, contendo a tecnologia de luzes em LED, aparelhada com dispositivos que geram controle da velocidade automaticamente, a partida pode ser acionada na ausência de chave, foram incluídas duas tomadas especiais para dispositivos USB e possui o melhor sistema de freios da atualidade, o ABS.

A motocicleta Sport Glide possui, também, um tipo inédito de suspensão na parte da frente, a qual foi projetada de modo invertido, portando barras de 43 mm; na parte de trás está instalado o monoamortecedor, que está munido de um sistema muito eficiente ajustes para pré-carga remoto. As chamadas direcionais, feitas de alumínio, estão adornadas de ilustrações esportivas. Na parte dianteira a espessura está em 18” e na parte de trás a espessura é de16”. Este modelo não conta com o chamado Kit Touring, assemelhando-se mais ao modelo Low Rider.

A moto, em si, é muito charmosa, muito bem desenhada, apesar de baixa, e configura o tipo mais desejado de motocicleta na atualidade.

Por Paulo Henrique dos Santos


Novo modelo foi apresentado no Salão de Milão trazendo uma fusão entre o retrô com o futurista o que garante um visual minimalista e elegante.

Substituída pela CB Twister, a antiga Honda CB 300, apesar do sucesso que fez por aqui, deixou de ser produzida no Brasil, em 2016. Porém, acaba de ser apresentada no Salão de Milão, o maior evento do segmento onde são apresentados os novos lançamentos, conceitos e tendência das marcas, uma novidade lançada pela Honda, a nova CB 300R.

Poucos dias antes de expor a CB 300R no Salão de Milão, a Honda publicou um vídeo promocional, anunciado seu novo conceito, Neo Sport Café (NSC), para a nova linha CB que seria apresentada no Salão de Milão.

A nova moto da marca, a CB 300R, fez sua estreia mundial no dia 6 de novembro no evento. A Honda descreveu o modelo como um ”modelo de esporte nu que combina a diversão e a beleza de uma bicicleta esportiva com um pacote de moto de nova geração”.

Seu design é uma fusão entre o retrô com o futurista o que garante um visual minimalista e elegante. Possui guidão de alumínio em borracha cônica, acabamento em vermelho metálico, iluminação de LED completa, faróis arredondados com luz de barra dupla, além disso, o farol dianteiro é o mais fino já montado em uma motocicleta da Honda, possui ainda painel de instrumentos com um visor de LCD/TFT fino e leve, que oferece informação de velocidade, nível de combustível, posição da engrenagem e luzes de advertência dispostas na parte superior. Conta com motor DOHC que funciona muito bem tanto na rodovia com na cidade, possui um cilindro com refrigerado a líquido, 286 cc, 4 válvulas, anéis de pistão de baixa fricção, radiador de núcleo de alta densidade, vela de ignição de irídio, o sistema de partida é elétrico, injeção eletrônica de combustível PMG-FI, a capacidade do tanque é de 10,0 L, possui ótima eficiência de combustível com gasto médio de 30,2 km / L, câmbio com seis velocidades que oferece uma ótima distribuição de engrenagem, transmissão final por corrente, freio dianteiro de disco duplo e traseiro de disco simples com acionamento hidráulico, a suspenção vem com garfo invertido, rodas de liga leve, garfos de 41 mm de diâmetro, braçadeira dianteira de 4 pistões de montagem radial, monoshock ajustável de pré-carga e pinça de freio de quatro pistões, sistema de lubrificação forçada por bomba trocoidal, ABS entre outros.

Veja abaixo a ficha técnica da CB 300R.

MOTOR

Tipo: Cilindro refrigerado por líquido

Deslocamento do motor (cm³): 286cc

Diâmetro e curso (mm): 76mm x 63mm

Taxa de compressão: 10.7: 1 Max.

Potência: 31bhp / 8500rpm Max.

Torque: 27,5Nm / 7,500rpm

Capacidade de óleo: 1.8L / 1.5L

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

Carburação: PGM-FI

Capacidade do tanque de combustível: 10,0L

Consumo de combustível: 85 mpg

SISTEMA ELÉTRICO

Iniciante: Elétrico

Capacidade de carga: 12V-7AH

Saída ACG: 318W

UNIDADE DE TRAÇÃO

Tipo de embreagem: Embreagem hidráulica molhada, multiplaca

Tipo de Transmissão: 6 velocidades

Transmissão final: Cadeia

QUADRO, ARMAÇÃO

Tipo Estrutura de diamante de aço

CHASSIS

Dimensões (LxWxH): 2012mm x 802mm x 1052mm

Distância entre eixos: 1352mm

Ângulo do casco: 24º

Altura do assento: 799mm

Liquidação do solo: 151mm

Peso no freio: 143 kg

Raio de giro: 2,3 m

SUSPENSÃO

Tipo Frente: Forquilha telescópica de 37 mm, curso 130 mm

Traseira: Amortecedor Monoshock, braço oscilante Pro-Link, curso 107mm

RODAS

Tamanho das rodas da frente: 17 polegadas

Tamanho das rodas traseiras: 17 polegadas

Frente de pneus: 110 / 70R17M / C 54H

Pneus traseiros: 150 / 60R17M / C 65H

Travões Tipo de sistema ABS: 2 canais com IMU

Frente: Disco flutuante sem obstrução de 296 mm com pinça Nissin de 4 pistões de montagem radial

Parte traseira: Disco de 220mm com pinça de pistão único.

Por Lorena Ruiz

Honda CB 300R


A Kawasaki Ninja H2 SX foi uma das atrações do Salão Duas Rodas de Milão.

O lançamento da Kawasaki aconteceu no Salão Duas Rodas de Milão, que começou nesta terça-feira, dia 7 de novembro de 2017. A moto Ninja H2 SX deu o que falar e arrancou muitos suspiros mesmo daqueles que não se abalam fácil. Essa moto significou mais do que um modelo novo da marca Kawasaki, a Ninja expandiu a família de motos estilo supercharged da marca Kawasaki.

Neste post iremos te contar como é essa super máquina, além de contar como foi o lançamento e o que esperar do mercado. Confira e tente segurar os suspiros!

Super potência e design arrojado, eis um resumo para a Kawasaki Ninja H2 SX

Dentro das milhares novidades e lançamentos no Salão Duas Rodas em Milão, que é o maior evento de lançamento e novidades de motos do mundo, a Kawasaki surgiu com uma enorme máquina para representar a sua marca. A Ninja H2 SX é muito potente, ela pode chegar a 210 cv de potência. Muita coisa, não é?! Não para por aí, a moto é muito mais que potente. Veja no post!

Muito além de um tubo convencional ou um novo acabamento, a nova Kawasaki ganhou muitas novidades

O modelo novo da Kawasaki se uniu ao modelo H2 e ao outro modelo H2R, formando assim uma linha de motocicletas que utilizam uma ótima tecnologia no motor: a sobrealimentação de ar, desse jeito o dispositivo utiliza um tipo de compressor para levar mais ar dentro do motor da moto, ao invés de utilizar gases de escape com objetivo de girar a turbina do motor, como muitas motos por aí.

Para o modelo Ninja H2 SX, os engenheiros responsáveis desenvolveram um modelo mais avançado de motor, o que deu às motos Ninjas características especiais, mas um tanto contida para o modelo de lançamento, deste jeito a moto se mantém mais confortável para o piloto que poderá dirigir por horas a fio, para por exemplo, pegar estrada e fazer uma viagem. Além de essas mudanças que formam um modelo espetacular, ergonomia da Ninja H2 SX se manteve mais reta e ereta, e estará acompanhada de malas de bagagem. Ou seja, o visual da moto lançada pela Kawasaki é totalmente inovador e muito bonito!

Potente, bonita e tecnológica – Ninja H2 SX é tudo o que você precisa para uma boa viagem ou um rápido passeio

É claro que motocicletas como a nova Kawasaki Ninja H2 SX arrancam olhares e suspiros de qualquer um, não é difícil se imaginar pilotando uma bela moto como essa que estamos falando no post.

Uma das mais faladas do Salão Duas Rodas e será ainda mais quanto inaugurarem as vendas para o modelo.

Outro item que faz os olhos de qualquer um brilhar é o painel desta máquina bela e potente: os dispositivos eletrônicos não foram deixados de lado na hora do planejamento deste eficaz projeto da Kawasaki, coisas como controle de tração, diversos modos de pilotagem pré programados e seguros freios ABS estão muito presentes na moto Ninja H2 SX. Não tem quem não goste e almeje uma beleza dessas.

Valores, datas de início de vendas e outras informações comerciais

O lançamento desta máquina suprema que é a Kawasaki Ninja é muito recente, ela foi apresentada ao público no dia 07 de novembro, e por isso não temos as informações sobre quanto irá custar para possuir essa motocicleta. O certo é que ela merece um bom pagamento, já que tem tudo o que qualquer um precisa para viajar bem tendo o vento da liberdade batendo no seu rosto.

Por David Ferreira

Kawasaki Ninja H2 SX


Nova moto irá substituir a Ninja 300 e terá como concorrente a Yamaha YFZ-R3.

A evolução é fato consumado, tanto no mundo biológico, quanto no mundo material e mecânico. Uma espécie ou um modelo sempre vem superar outro. Este é o caso da nova moto Kawasaki Ninja 400, cuja estreia demonstrou que a mesma deverá tomar o lugar da Ninja 300. Munida de um novo e mais potente motor, essa moto inédita atinge a escala de até 45 CV de potência. A empresa fabricante aproveitou a ocasião para exibir outro novo modelo: a Naked Retrô-Z900RS, no evento ocorrido no tradicional Salão de Tóquio, nesse mesmo ano de 2017.

A nova Kawasaki exibida no famoso Salão de Tóquio, em 2017, foi a mais recente moto lançada, intitulada Ninja 400, cujo design interior e exterior foi projetado no sentido de superar a já famosa Ninja 300. Esta nova versão está portando um chassi, um motor e um visual inteiramente inédito, ou seja, nunca antes visto ou experimentado, sendo que a motocicleta está em constante processo de evolução no sentido de fazer frente à grande concorrência que a Yamaha YFZ-R3 proporciona.

Potencializada com um tipo de motor munido com uma mais alta capacidade de cilindradas, a alcunhada "Ninjinha" atinge a força e rapidez de 45 CV ou HP, de poder automotivo, já que a versão anterior, a Ninja 300, está limitada ao grau de 39 cavalos-força. O renovado propulsor agora está aparelhado com 399 CC, em cilindradas e incluindo mais dois cilindros paralelos. Inovação em tecnologia.

Na parte dianteira da motocicleta, foi instalado um novo equipamento que consiste em um disco de freio com 290 mm em seu diâmetro. Em relação à parte traseira do mesmo veículo, esta está aparelhada com o mesmo tipo de dispositivo, mas com 220 mm de diâmetro. A tecnologia dos freios tipo ABS entra como uma opção. Além destes atributos importantes e sublimados, agora o tanque possui capacidade de segurar 14 litros de combustível, sendo que o novo modelo possui um peso integral de exatamente 172 kg, no caso da versão desprovida do dispositivo de freios em ABS, porém, os consumidores que decidam adquirir a versão munida de freios ABS estarão levando uma moto com um peso integral que chega a 174 kg, pois estando equipada com o citado dispositivo, mais componentes são adicionados à sua estrutura.

Assim como a estreia na Ninja 400, a companhia e montadora, de origem japonesa, aproveitou o momento ideal para exibir e demonstrar o valor de um novo modelo em visual, estilo retrô: a chamada Z900-RS. Tão bonita e atraente quanto a Ninja. Assim como o título do veículo faz compreender, esta motocicleta funciona por meio dos mesmos padrões da Naked moderna Z900, certamente produzida na mesma plataforma, entretanto, sofreu muitas e profundas alterações em seu visual, no sentido de promover um resgate do modelo clássico, tão conhecido, tão popular. O seu motor foi potencializado, acompanhando o processo de evolução da mecânica, com o intuito produzir um melhor sistema de torque, com giros mais baixos.

Ao olhar para as imagens das duas novas motos, salta aos olhos a evidência tanto no avanço do design, quanto na potência. A Ninja é tipicamente o estilo de moto esportiva, mais alta, em que o piloto precisa se inclinar bem para manter a precisão na arrancada; certamente muito confortável, dado o estilo do selim; o grosso cano de escape mira o céu em sua posição; a carcaça que cobre a parte de cima é bem desenhada e dá um aspecto mais ou menos futurista para a moto.

Em relação ao modelo Retrô, a Kawasaki Z900-RS, este mantem o clássico formato das motos japonesas, com seu tanque arredondado, na cor vermelha e com assento mais baixo, tal como a moto já é; mantém o seu farol dianteiro redondo, diferente da Ninja, que é retangular, mas tão eficiente quanto. É uma espécie de relançamento clássico munido de uma potência tecnológica moderna. Vale a pena conferir. Os interessados e em condições de adquirir uma moto com essa excelência podem acessar o site da Kawasaki para conferir as imagens e atualizações.

Paulo Henrique dos Santos


Yamaha inova em seu novo lançamento e traz a Niken, motocicleta de alta cilindrada e 3 rodas.

A Yamaha trouxe uma novidade no Salão de Tóquio. Ela vai lançar sua primeira motocicleta de alta cilindrada de 3 rodas. Já podemos assegurar que esse lançamento está causando alvoroço e existe uma grande expectativa em relação a essa motocicleta. Ela promete muita velocidade. A nova Yamaha Niken é ideal para gosta de aventura em cima das rodas, nesse caso é encima de 3 rodas.

Rodas inclináveis

A nova Yamaha tem uma diferença dos outros modelos de motocicletas que são vendidas no mercado. Suas rodas inclinam quando fazem curvas, que a torna parecida com uma moto de duas rodas comum. Ela tem um ponto que pode ser visto como negativo, a Yamaha Niken não possui segurança ao realizar uma curva, pois elas não possuem a mobilidade de um eixo de carro.

Yamaha Niken é uma moto grande e chamativa

Se você curte uma moto bem chamativa e grande, esse é um ótimo modelo a ser escolhido na hora da compra. A Yamaha Niken possui 2.150mm, de comprimento e 1.250 de altura e 885 mm de largura. Ela está na linha de alta cilindrada e seu motor terá 3 cilindros em linha. Podemos afirmar que pilotar a Yamaha Niken será uma grande adrenalina.

Evento em Milão irá revelar outros detalhes da nova Yamaha Niken

Ainda existem muitas informações sobre a nova Yamaha Niken, e essas informações serão dadas em um evento que será no salão de Milão e vai acontecer no mês de novembro. Nesse evento será confirmada a data que vai ser começar a venda da nova motocicleta e seu valor real.

Yamaha Niken é bem articulada

Esse modelo é considerado bem articulado, e a torna uma motocicleta de nível esportivo. Dando maior confiança ao seu condutor. A Yamaha Niken é um modelo esportivo, e tem grandes chances de ser um fenômeno de vendas, já que o público de motoqueiros esportivos é muito grande.

Motor potente

A Yamaha Niken tem motor potente e garante muita adrenalina em cima de suas 3 rodas. Com motor de 115 cv e 8,92 kgfm faz acelerar de 0 a 100 Km/h em menos de 4 segundos. É uma máquina na pista e certeza de muito frio na barriga.

Novo lançamento da Yamaha tem garfos invertidos

O segredo para manter a nova Yamaha Niken em pé, são seus garfos invertidos. Com isso esse modelo de motocicleta tem estabilidade em curvas, acelerações e frenagens, e isso torna a nova Yamaha ainda mais top.

Nova Yamaha é indicada para motoqueiros experientes

É claro que é uma tentação poder pilotar a nova Yamaha, porém, devemos ressaltar que essa motocicleta é muito moderna e potente, e não é qualquer um que vai saber conduzi-la de forma correta. Por isso ela não é indicada para pessoas que não tenham experiência em pilotar motos e motocicletas. Tanta modernidade e potência pode causar algum acidente nas mãos de um piloto iniciante. Essa é apenas uma dica.

Motos dianteiras lembram os esquis

Falando do designer exto da nova Yamaha Niken, podemos ressaltar que suas rodas dianteiras lembram muito os esquis. E essa foi uma estratégia para agradar ao público dos motoqueiros esportistas. E podemos afirmar que esse detalhe vai ser muito bem falado em seu lançamento em Milão.

Yamaha Niken promete amortecer impactos

Outra informação sobre esse novo modelo, é que ela tem o poder de amortecer impactos quando pilotada. Isso significa que o piloto vai se sentir seguro nas estradas. Seu poder de amortecer impactos nos desníveis que são encontrados é muito grande, e bem maior que a maioria dos modelos dessa categoria. Seu único problema é a segurança na curva, porém, a Yamaha promete resolver esse pequeno problema até seu lançamento!

Vamos aguardar o lançamento dessa supermáquina.

Por Cristiane Amaral

Yamaha Niken

Yamaha Niken

Fotos: Divulgação


Modelos estão à venda no Brasil. Confira suas principais características.

Agora está tudo certo! A Triumph se preparou muito e agora é oficial. A marca colocou dois modelos oficialmente aqui no Brasil e as 15 concessionárias da marca localizadas no mercado brasileiro já estão comercializando os modelos Triumph Bobber e Street Scrambler desde o dia 19 de junho deste ano.

A montadora concluiu que os modelos deveriam seguir a linha clássica da empresa, e foi isso que aconteceu. No primeiro anúncio, que foi realizado no Salão de Londres em 2016, a marca demonstrou os elementos da motocicleta Triumph Bobber, os dois principais são o visual e o motor de 1200cc. A marca manteve o design da moto do estilo da linha Bonneville, trazendo os princípios do modelo minimalista, que é uma tradição da marca para essa linha.

O modelo Street Scrambler, que é uma variação da Twin, está equipado com pneus mistos, guidão alto, escapamento com posicionamento distinto de saída dupla, rodas raiadas, motor de dois cilindros, SOHC e 900 cm³ com arrefecimento líquido, 8,16 kgf.m de torque máximo a 3.250 rpm, 55 cv a 5.900 rpm e outros detalhes que lembram ao estilo clássico com estrada.

O modelo Triumph Bobber segue a nova linha Bonneville T120, com o conhecido motor de 1200cc, motorização de dois cilindros High-Torque, transmissão de seis velocidades e arrefecimento líquido. O motor tem potência de 80 cavalos, torque de 10,5kgf.m aos 3.100 giros e rotações de 6.500. Esse tipo de motor garante um melhor desempenho mesmo em rotatividades mais baixas. O modelo tem um bom torque e uma ótima potência para esse estilo clássico.

A marca amplia a linha clássica da Triumph por aqui, que já conta com outros cinco modelos (Street Twin, Street Cup, Boneville T120, Bonneville T120 Black e Thruxton R). A Street Scrambler vem apresentando a mesma motorização de 900cc da já lançada Street Cup, que foi mostrada para o público no Salão de Motos de Milão de 2016. De acordo com a Triumph, cerca de 25% das vendas totais da marca aqui no Brasil são de motocicletas clássicas e até o final do ano de 2018 ela quer chegar aos 30%. O preço sugerido para a Triumph Street Scrambler é de R$ 41.990 e para o modelo Triumph Bobber R$ 49.990.

Por Carolina Costa

Triumph Bobber e Street Scrambler

Triumph Bobber e Street Scrambler


Modelo traz novidades e apresenta características que atraem os apaixonados por motos.

É fato. Milhões de brasileiros são verdadeiramente apaixonados por motocicletas, pois elas oferecem agilidade, economia e principalmente muita emoção.

E por falar em emoção, apresentaremos neste artigo uma motocicleta que oferece muita emoção, a Honda 160 Bros do ano de 2017.

Se você se encontra nesse grupo de apaixonados por motocicletas veja os detalhes da Bros 160 da Honda 2017.

A Bros 160 vem equipada com um painel digital que é uma das novidades deste ano. Com esse novo equipamento ficou fácil a visualização do velocímetro do hodômetro (parcial e total), marcador de combustível, farol e neutro, injeção eletrônica e luzes de pisca. Ou seja, com este novo painel o piloto fica por dentro de tudo que está acontecendo com a sua motocicleta.

Outro destaque na Bros é o seu farol, que possui um refletor multifocal que oferece à noite muito mais segurança aos ocupantes, pois a luminosidade é total, com um foco maior e dissipação de luz menor. Ideal para quem gosta de pegar a estrada em períodos noturnos.

E já falando de estrada, com essa motocicleta você poderá ir a todos os lugares que desejar sem nenhum tipo de problema ou aborrecimento, pois ela é equipada com um moderno sistema de suspensão dianteira do tipo telescópica que faz com que ela tenha uma grande capacidade para absorver impactos. Tudo isso ó é possível devido ao curso de 180mm, que oferece mais estabilidade e mais conforto nos mais diferentes tipos de terrenos.

São detalhes que fazem da Bros 160, a moto ideal para a estrada e para a cidade.

Com o motor OHC de 162 cc ela oferece um melhor desempenho de torque, além de baixa manutenção.

Econômica e menos poluente, pois em seu escapamento há um catalisador que garante que os níveis de emissão de gases que poluem sejam menos doo que o limite determinado pela lei.

Suas versões para 2017 são:

– Bros NRX 160 ESD: por R$ 9.350,00;

– Bros NRX 160 ESDD: por R$ 9.650,00;

Configuração 125 Bros:

– Bros KS 125: R$7.190,00;

– Bros ES 125: R$7.850,00

Configuração 150 Bros:

– Bross ES 150: R$9.050,00;

– Bross ESD: R$ 9.350,00.

Quem compra uma Honda Bross leva uma garantia de 3 anos, além de algumas manutenções gratuitas.

Conheça mias acesse o site da Honda.

Por Sirlene Montes

Honda 160 Bros 2017


Nova versão conta com um design mais imponente e agressivo.

A Harley-Davidson apresentou o seu novo modelo: a Street Rod 750, que tem como foco o uso nos centros urbanos, e que teve como base o modelo Street 750. A nova versão conta com um design mais imponente e agressivo. Além disso, o motor de 2 cilindros ficou cerca de 20% mais potente e também com 10% a mais de torque. Entre outros diferenciais, a Street – Rod conta com motorização High Output Revolution X V-Twin que tem 749 cm³ e também freios ABS de série.

A linha Street da marca é a que tem preços mais acessíveis para o consumidor, porém ainda não pode ser encontrada no País. Nos Estados Unidos, estima-se que a nova versão seja vendida por cerca de US$ 8.699,00.

Outra novidade apresentada pela marca é o novo modelo Roadster, que inclui combinações de recursos da linha premium como, por exemplo, freios dianteiros de disco duplo, suspensão traseira especial, além de braçadeira tripla robusta. Um dos diferenciais é o torque de baixa rotação que faz parte do modelo do motor Evolution V-Twin de 1200 cc, e o estilo único e inconfundível da marca que tem detalhes próprios como o guidão rebaixado, para-lama traseiro cortado, tampa no distribuidor com aletas e também a presença de protetores do escapamento preto com aberturas.

O modelo Street Bob destaca-se pelo desempenho devido à presença do chassi da Dyna, que é feito em estilo mais simples, despojado e hardcore e pela presença do motor V-Twin. A pilotagem é feita de forma muito segura, pois o chassi foi fabricado de forma extremamente rígida e, além disso, os componentes de suspensão e freios, também, fazem parte de uma categoria superior. Está versão destaca-se pela presença das rodas personalizadas de borracha premium, que foram criadas para proporcionar durabilidade, desempenho e emoção para o piloto.

O design poderoso faz parte do modelo Fat Bob, que conta com um exclusivo farol dianteiro e também lanterna traseira LED personalizada. A versão destaca-se também pelos pneus largos que foram montados em rodas de alumínio usinadas e pelo desempenho do motor Twin Cam 103 e freios a disco duplo, o que torna a pilotagem diferenciada e com muita emoção.

Por Babi

Harley-Davidson Street Rod 750


BMW lançou motos 1200 revisada, retrô e G 310 GS.

A montadora BMW realizou a apresentação da motocicleta inédita G 310 GS no Salão de Milão (EICMA), Itália, que se encerrou no domingo, dia 13 de novembro. A empresa apostou fortemente em sua família GS, lançando um novo modelo de entrada utilizando a plataforma 310, a mais top de linha que é a 1200 revisada e também um desenho retrô para fazer referência a primeira R80G/S do ano de 1980. Modelo este que ganhou para a marca o primeiro Rali Dakar. A G 310 GS é o segundo modelo da linha nova de cilindrada baixa e usa como base a naked G 310 R, que segue o estilo de aventura das outras GS’s com cilindrada mais alta. Seu visual é inspirado na famosa R 1200 GS e chegará ao Brasil no ano de 2017.

A nova G 310 GS tem a parte da base mecânica e o visual inspirado na famosa R 1200 GS e começará a ser fabricada no Brasil no ano que vem. Será utilizado apenas um cilindro e faz uso de um comando duplo de válvulas com refrigeração líquida que gera uma potência de 34 cv e um torque de 2,9 kgfm.

A principal novidade fica por conta do aro dianteiro de 19 polegadas, trabalhando com suspensões de curso maior (com pelo menos 40 mm a mais, agora passa a ter 180 mm nas duas), que continuam somente com ajuste de pré-carga na parte de trás. O guidão agora está mais próximo e alto, o que irá aumentar o conforto, além do pacote visual da GS que conta também um bagageiro e um pequeno para-brisa.

Do outro lado da linha, o modelo 1200 foi redesenhado com mudanças estéticas sutis, o motor foi revisado para a Euro 4. A eletrônica foi melhorada por meio de um ajuste de suspensões ESA continuamente adaptável. A nova versão Rallye, conta com pneus de cravo para uso fora de estrada.

Para finalizar, a montadora também realizou a apresentação da HP4 Race, uma opção somente par circuitos fechados do modelo superbike S1000RR com rodas, carenagem de fibra de carbono e chassi parecido com o que a montadora Ducati realizou com a Superleggera, porém esta está presente nas ruas.

Por Filipe Silva

BMW G 310 2017

BMW retrô 2017

BMW 1200 revisada 2017

Fotos: Divulgação


A empresa apresentou sua nova e renovada MT – 09, que ganhou aparências mais marcantes e furiosas do que o modelo antecedente.

A empresa Yamaha fundada por Genichi Kawakami em 1955 começou a produzir o seu primeiro protótipo em meados dos anos 1953, mas foi só em janeiro de 1955 que a produção foi iniciada e em fevereiro do mesmo ano que o primeiro modelo passou a ser comercializado.

Para mostrar aos admiradores de motocicletas o desempenho de suas criações a empresa teve a ideia de participar de corridas e foi no dia 1º de julho do ano de 1955 que a equipe subiu ao pódio em 3º lugar da corrida de subida do Monte Fuji e nas corridas subsequentes, garantiu em todas a primeira colocação quando então resolveu se destacar em corridas internacionais.

Com o passar dos anos e aumento das experiências, a Yamaha Motor passou a fabricar motores para automóveis, geradores e bombas de água. Porém, não deixaram para trás a linha de produção de suas motos.

E por isso a empresa acaba de apresentar sua nova e renovada MT – 09, que ganhou aparências mais marcantes e furiosas do que o modelo antecedente.

O painel de LCD já existente no modelo antigo permaneceu, porém, com uma localização mais favorável a visão do piloto. Os farois agora são duplos e de LED assim como a rabeta, que recebeu uma nova lanterna de LED.

Mas a mudança principal e mais atraente na nova Yamaha MT – 09 ficou por conta da dianteira toda modificada com base na supernaked MT-10.

As mudanças não pararam por aí, afinal não é só a estética um ponto importante para uma bela moto. A empresa também modificou a embreagem que agora evita o travamento da roda em reduções bruscas além de ter reduzido em 20% a carga para ser acionada, ficando mais leve e proporcionando mais conforto para o piloto.

Outra novidade importante é a mudança no sistema Quick Shift que zera a utilidade da embreagem na mudança das marchas.

Não houve mudanças no motor e nem no confortante amortecedor traseiro da Yamaha já conhecida.

Por Bruna Tabara dos Santos

Yamaha MT-09


As motos serão substitutas das versões ER – 6N e a Z800 e foram divulgadas na 74º edição do Salão de Motos de Milão, na Itália.

Desde 1973 que a empresa Kawasaki atua no Brasil fornecendo serviços e equipamentos para grandes indústrias aeroespaciais, navais, de construção, entre outras.

Após 35 anos, a empresa inaugurou sua primeira concessionária no Brasil, na região de São Paulo e depois de um ano notou-se que houve uma grande expansão da marca gerando confiança da empresa no país e então a mesma inaugurou em Manaus no dia de outubro de 2008 a primeira unidade produtiva da Kawasaki em território Latino – Americano.

A marca tem sempre uma forte atenção na hora da produção de suas máquinas com o meio ambiente e os seres humanos, tornando-a líder em tecnologia, inovação e expansão de um novo século.

Recentemente, após o término do Salão de motos da Alemanha a empresa divulgou os seus dois novos lançamentos, as novas Z650 e Z900.

As máquinas serão substitutas das versões ER – 6N e a Z800 e foram divulgadas na 74º edição do Salão de motos de Milão na Itália que aconteceu nos dias 10 e 13 de novembro de 2016.

A Z650 inovará com um motor 649cc enquadrada nas novas exigências feita pelo Programa Euro 4 que tem como objetivo reduzir as emissões de gases poluentes e com isso a potência também foi reduzida para mais ou menos 68 cv dos modelos antigos . A nova versão ainda conta com embreagem deslizante e um assento com 790 milímetros de altura.

Comparando com o seu modelo antigo ER – 6N, a Z650 chegou com seu peso reduzido, diferença que poderá resultar em uma melhor potência.

Mas as atenções foram todas voltadas para a nervosa Z900, que substitui a Z800 europeia.

Está versão vem de fábrica com uma suspensão com garfo invertido, amortecedores de 41mm, ajuste de pré-carga , suspensão traseira regulável, freios equipados com ABS e pinças de 30mm, motor de 948 cc podendo atingir 128 cv e assento de 794mm ideal para pilotos de estaturas baixas.

As cores dispostas para as duas versões são: branco perolizado, preto metálico e verde metálico.

Os preços e datas para lançamentos no Brasil ainda não foram divulgadas.

Por Bruna Tabara dos Santos

Kawasaki Z650 e Z900


Novo modelo estará disponível em duas cores: Preta com valor estimado em R$ 91.990 e Cinza e/ou vermelha com o valor estimado em R$ 94.990.

A marca Indian com suas linhas disponíveis no Brasil há um ano acaba de lançar para o mercado brasileiro sua mais nova produção, a Indian Springfield, concorrente direta com a Harley-Davidson Road King.

O modelo estará disponível em duas cores: Preta com valor estimado em R$ 91.990 e Cinza e/ou vermelha com o valor estimado em R$ 94.990.

A base da moto já é conhecida, assim como o potente motor V2 de 1.811 cc, porém para a nova versão houve pequenas mudanças e investimentos como versão mais leve por não apresentar mais as carenagens dianteiras, maletas laterais, farol em formato de "bolha" dianteira removíveis, partida sem chave e trava por controle remoto.

O visual clássica da Springfield traz com ela vários elementos tecnológicos, freios ABS, acelerador eletrônico, indicador de pressão nos pneus no painel, bancos com desenhos exclusivos, para-brisas e guidões menores, plataforma para garupa e protetores laterais na frente e atrás. Você ainda poderá incluir um sistema de áudio premium para curtir as músicas de sua preferência enquanto desfila com sua potente e clássica motocicleta pela cidade.

Dimensões: 2,58m de comprimento / 1,44m de altura / 99cm de largura / 1,70m entre os eixos / Altura do assento 66cm.

Este modelo assim como todos os outros da marca está sendo montado e produzido na cidade de Manaus e estará disponível em todas as lojas existente no Brasil, são elas: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Florianópolis e a mais recente inaugurada em Goiânia.

E o nome já é conhecido de algum lugar, certo?

Sim, o nome da moto é uma homenagem a cidade Springfield, em Massachusetts, cidade natal da marca que é a mais antiga fabricante de motocicletas dos Estados Unidos da América. Em 1901 George Hendee trouxe Oscar Hedstrom para juntos impulsionarem os projetos de bicicletas, mas nem imaginavam que após 115 anos a Indian se tornaria um legado e estaria no ranking durante todo o século XX.

Seus modelos mais conhecidos são a Scout que ficou popularmente conhecida até então, como a Indian mais rápida do mundo e a Chief (Clássica ou Vintage).

Por Bruna Tabara dos Santos

Indian Springfield


Moto é mais simplificada que as outras desta linha, tendo os requisitos essenciais para uma moto, com algumas usabilidades das motos mais antigas.

A BMW é muito conhecida por ser uma moto para estradeiro. Muitos que desejavam ir para a estrada optavam pela BMW R NineT. A BMW motorrad está na fabricação de motos há 90 anos, sendo 40 anos em fabricação de design próprio.

Não só pelo seu design rústico, mas pelo seu motor e características, ela é muito distinta. É compacta, usa peças de alta qualidade, permitindo que seja usada por muito tempo, sem que haja desgaste.

No show da Intermot na Colônia, Alemanha; a BMW motorrad apresentou a nova moto 2017 BMW R NineT Pure da linha R NineT. Esta moto é mais simplificada que as outras desta linha, tendo os requisitos essenciais para uma moto, com algumas usabilidades das motos mais antigas. Seu design também antigo, tem a aparência dos anos 70. Própria para os amantes de motos retrô, com características antigas e atuais.

A R NineT 2017, lembra bastante a moto da versão Scrambler, que foi apresentada no mesmo show em 2015. A 2017 BMW possui 110 cavalos de potência, com um motor antigo de boxer bicilíndrico, tendo 1.170 CC, da linha GS e um refrigerador de ar.

Em relação ao design da moto, ela ficou semelhante à primeira moto da R NineT, tendo o visual mais esportivo dos anos 1970, com as semi-carenagens laterais, um pequeno assento monoposto e rabeta alta

Nesta nova versão a BMW está parecida com a R90S, não só pela aparência mas, pelo mecanismo e pelas peças, não perdendo a cultura e a essência da BMW.

O foco da linha R NineT é ter uma característica mais esportiva tendo apenas 219 kg, mais econômica em comparação às outras da linha. Uma das características da BMW é permitir que suas peças sejam mudadas, dando liberdade de escolha para os motoqueiros. Possui uma vasta linha de acessórios.

A BMW possui fiação projetada separadamente, com as funções do veículo e do motor. Assim podem ser colocados componentes eletrônicos na moto, sem danificar o motor.

Outra opção de customização é o garfo telescópico invertido. Existem outros benefícios de customização na BMW R NineT, a critério do usuário.

Por Vitoria Souza Lira da Conceição

BMW R NineT Pure

BMW R NineT Pure

Fotos: Divulgação


O modelo chegou ao mercado para concorrer de forma direta com os dois modelos de renome no mercado, que são a Kawasaki Ninja 300 e a Yamaha YZF-R3.

No dia 25 de julho de 2016, a grande e renomada fabricante de veículos automotores Honda lançou, na Indonésia, a nova motocicleta CBR 250 RR. Este modelo chega como inédito, sendo que esta motocicleta foi projetada com propulsor de bi cilindro, o qual trabalha com refrigeração feita a líquido. A Honda CBR 250RR chega ao mercado para concorrer de forma direta com os dois modelos de renome no mercado que são a Kawasaki Ninja 300 e a Yamaha YZF-R3. Apesar de todas as especulações que ainda estão envolvendo este lançamento, neste primeiro momento a Honda optou por não divulgar maiores dados estatísticos a respeito do desempenho desse propulsor.

Mesmo sendo uma esportiva de pequeno porte, a CBR 250RR chegará ao mercado como uma evolução da CBR 250R, motocicleta esta que possui propulsor de apenas um cilindro, bem como um conjunto bem mais simples. Conforme a Honda divulgou, as vendas desse grande lançamento irão começar, na Indonésia, ainda no final deste ano, sendo que os planos da empresa são de fazer com que em breve chegue também no mercado japonês.

Para os brasileiros que sem sombra de dúvidas ficaram animados com mais este grande lançamento da Honda, a notícia triste é que a empresa não revelou nenhuma estimativa de quando o modelo será disponibilizado aqui no mercado brasileiro. Apesar de ter sido lançada somente agora nesta última semana, o conceito da CBR 250RR pôde ser visualizado na edição do Salão de Tóquio do ano de 2015.

As novidades estéticas da nova Honda CBR 250RR ficarão por conta da estreia de um inédito conceito de farol frontal, os veio disposto com duplo farol no modelo bumerangue, outro destaque estético do modelo é o escapamento que é dotado de saídas duplas, bem como a rabeta que além de ser esportiva e alta possui detalhes chamativos confeccionados com LEDs.

O acelerador do modelo é do tipo eletrônico, sendo que o propulsor funciona com três tipos distintos de mapas. Sendo que deste modo o condutor tem a possibilidade de fazer a opção entre uma entrega de potência mais esportiva ou mais linear.

O sistema de freios da motocicleta é ABS e com discos em ambas as rodas, a balança foi confeccionada em alumínio e as suspenções dianteiras invertidas.

Por Adriano Oliveira

Honda CBR 250 RR

Honda CBR 250 RR

Fotos: Divulgação


Confira os preços das novas Honda CB 650F e CBR 650F 2017.

No dia 12 de julho, a marca Honda apresentou a CB 650F e a CBR 650F, modelos da linha 2017. O que se percebe são mudanças no grafismo, que foi realizado por designers, no Brasil, e no controle de emissão de poluentes, para entrar de acordo com a segunda etapa do Promot4 – Programa de Controle da Poluição de Ar por Motociclos e Veículos Similares.

Os preços sugeridos para o estado de São Paulo e sem a cobrança de despesas como seguro e frete, são de R$ 37 mil para a CB 650F e R$ 38.800 para a CBR 650F.

Honda CB 650F x Honda CBR 650F

A Honda CB 650F chegou aqui no nosso País no final do ano de 2014, com o intuito de ficar no lugar da CB600 Hornet. Naquele ano, seu preço girava em torno de R$ 29 mil a R$ 32 mil, dependendo se o comprador optasse ou não pelo freio ABS.

A novidade para este ano é que os dois modelos, que são produzidos no Brasil, em Manaus, tanto a CB 650F quanto a CBR 650F, virão com freios ABS de fábrica, podendo ser escolhidas as cores vermelha ou preto.

A garantia das motos agora é de 3 anos e não tem limite de quilometragem. O cliente ainda conta com assistência 24 horas e resgate em países como Brasil, Chile, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Os motores serão de 4 cilindros, isto é, o mesmo, com capacidade de 649 cm³, torque de 6,4 kgfm a 8 mil rpm, potência de 87 cv a 11 mil rpm, além de seis velocidades no câmbio. Não podemos esquecer de falar que as motocicletas contam com o Sistema Doublé Over Head Camshaft – DOHC e duplo comando de cabeçote.

Já as rodas de trás trazem 17 polegadas com pneus 180/55-ZR17M/C e as da frente, da mesma polegada, 120/70-ZR17M/C. A capacidade do tanque de combustível, das duas versões, é de 17,3 litros.

Com dois níveis, os bancos destes modelos vêm com espuma macia. Já a sua rabeta curta chega para continuar o conceito Honda.

O que você achou sobre nosso artigo sobre a CB650F e CBR 650F, da Honda, modelos 2017? Compartilhe conosco as suas experiências!

Kika Akita


Dafra Fiddle III posta no estilo Retrô para conquistar o mercado brasileiro.

Que tal ter uma scooter. Melhor ainda, que tal ter uma scooter estilo retrô. É apostando nesse aspecto que a Dafra traz ao mercado a sua mais nova motocicleta, a Dafra Fiddle III.

Primeiramente, abordando o aspecto físico da motinha, é de se perceber que agrada em suas curvas e design. O seu estilo retrô dá um charme peculiar a scooter da Dafra. O farol meio arredondando, juntamente com os retrovisores cromados, trazem um ar de antiguidade misturado com a modernidade. Ainda, a motocicleta pode ser encontrada em duas combinações de cores: branco e vermelho e preto e dourado.

Segundo informações, a Dafra Fiddle III, no começo de julho, já deve estar no mercado para venda. A princípio ela seria lançada em fevereiro, contudo, o projeto sofreu com um atraso e não pode ser implementado na fabricação da scooter.

Entre alguns acessórios que podem ser encontrados na Dafra Fiddle III estão as rodas de 12 polegadas, tela de LCD e, ainda, uma entrada USB. A gama complementos e o design da Dafra Fiddle III combinam com o preço sugerido pela Dafra de R$ 11.390,00.

De maneira geral, a Dafra Fiddle III chega ao mercado para ser o modelo de entrada da Dafra, haja vista a marca já possui as scooters Cityclass 200i, a Citycom 300i e a Maxsym 400i.

No que diz respeito ao motor, fator primordial em uma boa motocicleta, a Dafra Fiddle III conta com um propulsor de 10,3 cavalos de um cilindro e que pode proporcionar à motocicleta uma quantidade de 124,6 cilindradas. O câmbio é composto pelo sistema CVT.

A Dafra Fiddle III conta, ainda, com um local entre o banco e a carenagem da motocicleta, em que é possível guardar objetos, principalmente, um capacete, a fim de evitar que o condutor tenha aquela sensação horrível de carregar o instrumento protetor da cabeça para cima e para baixo.

Do que se avaliou da Dafra Fiddle III foi possível perceber que ela pode ser uma excelente alternativa para os deslocamentos diários do usuário. Com seu estilo retrô, tende a conquistar os apaixonados por veículos que primam um design mais antigo, mas que esteja alinhado com acessórios da atualidade e proporcionem conforto e segurança.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Após algum tempo sem lançar nada no Brasil, a Yamaha voltou a investir no país e lança o modelo NMax 160.

Nos últimos anos a venda de scooter cresceu cerca de 801% no Brasil, segundo dados da Associação dos fabricantes de moto (Abraciclo). Econômica, leve e com um belo design, essa categoria garante a agilidade no transito, além do conforto e da praticidade oferecida. Com o tempo essa modalidade vai ficando mais atraente tanto no design quanto nas cores. Além da paixão brasileira por duas rodas, o conforto, a proteção aerodinâmica, espaços pra levar objeto debaixo do banco, tem feito com que cada vez mais as pessoas trocarem seus carros e transporte público pelos Scooter.

Agora a Yamaha volta a atuar no segmento dos Scooter compactos, e renova sua linha no Brasil. Desde o modelo Neo 115, que deixou de ser produzido a Yamaha não lançava nada na linha no país. Voltou agora com o modelo moderno NMax 160, esperando atingir 20% da fatia de consumidores de Scooters no país, que mesmo apesar da crise não para de crescer.

NMax é o primeiro Scooter 160 lançado no Brasil, abrindo boas vantagens em relação aos modelos já existentes aqui em questões de rendimento.  15,1 cv de potência. 1,47 kgfm de torque. O motor da Yamaha tem consumo em baixos giros e a desempenho acima das quatro mil rpm, trazendo um comando variável. Tem sistema ABS de série, freios a disco na frente e atrás.

O NMax vem com preço de R$ 11.390 em versão única. Nas cores vermelha branca e cinza. Saindo assim em grande vantagem em relação custo-benefício. Só devemos ficar atentos aos preços repassados pelas concessionárias. Em alguns estados só encontram-se o NMax por no mínimo R$ 12.000.

De olho na concorrência o NMax faz uma mescla de LEDS e lâmpadas comuns, o farol principal e a luz de freio são de diodos de luz, as setas e lanterna com lâmpadas de filamento. O espaço sob o banco cabe um capacete e mais alguma coisa. O banco trava quando está aberto, não precisando apoiá-lo nas costas enquanto guarda seus objetos.

NMax possui pneus largos lembrando ao TMax 530, lembrando um modelo esportivo. O aspecto do Scooter é bem legal, com um acabamento refinado com uma cobertura plástica sobre o guidão.  Painel digital, com ótima visualização. Com maior potência o NMax sai na frente no semáforo e nas retomadas é mais rápido que o concorrente. Com os freios ABS mesmo freando no molhado o Scooter para com segurança. Para quem procura praticidade estilo e economia o NMax é uma excelente escolha.

Por Dany Bueno

Yamaha NMax 160

Yamaha NMax 160

Fotos: Divulgação


Alguns aspectos negativos influenciam na escolha de ter ou não um scooter no Brasil.

Ainda que os scooters sejam os modelos de motocicletas mais populares na Europa e estejam cada vez mais em ascensão no Brasil, há algumas desvantagens em se optar por esse tipo de meio de locomoção por aqui. Como já é sabido de todos, as motos, de um modo geral, são mais econômicas e mais velozes com relação aos carros, especialmente no que se refere ao trânsito brasileiro cada dia mais caótico e cansativo. Assim, levando isso em consideração, que aspectos negativos são esses ao se comprar um scooter no Brasil?

O preço inicial para se adquirir esse modelo de moto muitas vezes sai mais alto que algumas motos convencionais e carros seminovos; logo, é importante se pensar em uma boa economia antes de se comprar o scooter.

Diferente de outros países, no Brasil é preciso fazer motoescola para se obter a CNH do tipo A para ser condutor de um scooter. Em outros lugares  do mundo é possível guiar um scooter de até 125 cilindradas com a CNH B para dirigir carros.

Em geral quem tem um scooter no Brasil também tem uma motocicleta convencional e, muitas vezes, incorre no equívoco de usá-las do mesmo jeito. Por exemplo, se na Europa o scooter é útil por conta do trajeto em ruas estreitas e percursos mais curtos e dentro do tráfego das cidades, no Brasil, é possível encontrar esses modelos transitado em vias expressas e nas estradas, de modo que esses veículos menores e com menos velocidade ficam vulneráveis nesse tipo de pistas e acabam congestionando o trânsito dos demais veículos.

Outro ponto é que a falta de uso das pernas para manobras mais corriqueiras, uma vez que se senta na scooter e não se monta, o condutor se vê mais suscetível às irregularidades da rua e menos habilidade com as pernas para equilibrar a moto nessas ocasiões.

No caso de haver necessidade de se realizar viagens periódicas ou se transitar constantemente para caminhos mais longos, o condutor de um scooter deve ficar atento para o fato de que, embora esse modelo seja bem econômico, ele ainda precisa ser abastecido. Muitas vezes seu tanque de combustível é pequeno, de modo que ficar longe de um posto de gasolina não é a melhor opção.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Scooter

Foto: Divulgação


Confira aqui os principais erros e perigos cometidos pelos motociclistas no trânsito.

Muitos motociclistas se sentem os donos da rua quando andam sob duas rodas. Mas as coisas não são bem assim, a via é um espaço de circulação pública, em que todos devem se respeitar mutuamente e primar pela sua vida e a do próximo. Entre algumas ações perigosas executadas por certos motociclistas, seguem as mais comuns:

O famoso “tirar do giro” é uma prática conhecida entre os aficionados por motos, mas praticadas apenas por péssimos condutores. Mas o que é isso? A atitude consiste em provocar a aceleração da moto em ponto morto até que o se corte o giro, o que não apenas traz um risco enorme aos demais condutores no trânsito, como também danifica o motor da moto, uma vez que a elevação de temperatura muito brusca, mediante a ausência de ventilação, é causa certa de superaquecimento. Até nas motocicletas com radiador, a necessidade de que o vento passe pelas aletas existe, de modo que ocorra o arrefecimento do líquido.

O tal “tirar do giro” é feito com a moto parada e a ventoinha impossibilitada de suportar o superaquecimento do motor, convertendo óleo em água suja. Para o motor pegar fogo, pouco custa!

 Há também o burnout ou vulgo “borrachão”. A prática é querida pelos borracheiros, seus bolsos agradecem aos motociclistas que o fazem. O processo consiste no travamento do freio da frente, engatamento da primeira marcha, aceleração ao máximo e em bruscamente se soltar a embreagem em seguida. Com isso, o pneu traseiro literalmente patina na pista e queima no asfalto, uma nuvem de fumaça fedorenta sobe e a detonação do pneu está garantida. Não se trata de ter habilidade, não é seguro e não é agradável.

Já os motociclistas que falam e/ou teclam no celular com a moto em movimento. Desatenção, movimentos involuntários e risco à via são suas consequências. Colocar o celular entre a orelha e o capacete então, sem comentários. Mas há ainda o caso dos motociclistas fumantes. Cigarro na boca, capacete aberto e moto em movimento: a combinação é insegura na certa.

Por fim, trafegar em velocidade em desacordo com a via é perigoso, seja para andar mais rápido, seja para andar mais devagar. Motociclistas que andam devagar na faixa esquerda em vias expressas atravancam todo o trânsito, bem como os apressadinhos que saem cortando até mesmo as outras motos são um risco para si e para todos.

Flávia Alves Figueirêdo Souza


Modelo foi criado a partir de uma BMW 650 XChalange e promove o encontro de um belo design com uma ótima engenharia.

Senso estético aguçado e conhecimentos além da média em mecânica resultaram em um modelo de motocicleta totalmente singular. Estamos falando da Octavia 650, cuja gestação levou seis meses!

Entendendo o design interessante e diferenciado como algo que requer paciência e criatividade ao realizá-lo, o sul-africano Jens Henkwl resolveu desmontar uma BMW 650 XChalange, mantendo intactos apenas o seu motor super potente Rotax BMW e seu quadro, dado sua confiabilidade e estabilidade para acrescentar às peças uma série de particularmente usinadas e customizadas manualmente, o que inclui o tanque de metal, seu banco de couro e uma traseira toda feita de fibra. Em sua oficina Hyde Designs monta a Octavia 650! Detalhista e minucioso, o autor da obra de arte trabalhou em cima de um conceito especial para a moto, de modo que ela prima por uma perspectiva angulosa e limpa.

A BMW 650 XChalange é um modelo enduro que conta com uma longa lista de itens opcionais e acessórios, destacando-se por seu quadro, suspensão e freios. Intrinsecamente aventureira, a permanência do quadro e do motor original na nova Octavia 650 não é sem propósito. Com um motor que possibilita que a moto tenha muita força, especialmente em baixas e médias rotações, de forma silenciosa e performática. O cabeçote e o mapeamento da injeção do motor Rotax já vieram modificados, tornando-se mais robusto e econômico.

Acabamento e detalhes minimalistas e bem cuidados caracterizam a Octavia 650, a saber: o posicionamento e o visual do escapamento, a incorporação das setas traseiras e luz de freio no chassi da moto, a linda usinagem na tampa do tanque de combustível e o painel sem poluição visual, já que conta apenas com o velocímetro analógico predominando-o. Esteticamente, a moto mistura o estilo vintage com algo futurista e o que parece contraditório resulta em um modelo único no mercado.

Avaliada em treze mil e duzentos dólares, a Octavia 650 é para os motociclistas descolados e despojados, mas que primam por bom desempenho, velocidade e estilo em um veículo só. A Octavia 650 é toda especial, sua carenagem personalizada se destaca, bem como a potência de sua desenvoltura, tratando-se de uma boa mescla entre engenharia e design.

Flávia Alves Figueirêdo Souza


A Téneré marcou época desde o seu lançamento. A motos passou por muitas modificações e conquistou fãs

A Yamaha XT660Z Ténéré é um sucesso de vendas e objeto de desejo de muitos motociclistas. O que poucos têm conhecimento é que a história do modelo teve início no ano de 1979. Confira aqui toda a história de um dos modelos mais desejados da década de 80.

Em meados da década de 70, as fabricantes japonesas disputavam por um espaço no mercado automobilístico, proporcionando modelos de multi-cilindricos e de alta potência. Para garantir o seu espaço, a Yamaha trouxe ao mercado a XS750 DOHC, que contava com propulsor de quatro tempos, três cilindros e sistema de refrigeração a ar.

No entanto, era preciso inovar para continuar no mercado automobilístico. Foi então que em 1976, durante o evento Salão de Motocicleta de Tóquio, a Yamaha anunciou o seu novo modelo, a XT 500, que contava com um motor de quatro tempos, 500cc e sistema de refrigeração a ar.

O modelo causou um grande alvoroço entre a mídia, já que diferente dos outros modelos fabricados pela marca, a XT 500 era voltada para eventos de Enduro, modalidade muito popular na época.

O sucesso do modelo logo se espalhou pelo mundo, chegando a ser popular até mesmo na América Latina onde foi comparada a marca Rolls Royce, responsável por fabricar automóveis de luxo e alto desempenho na época.

No final da década de 70, precisamente durante o ano de 1979, ocorreu à primeira competição Rali Paris-Dakar, evento que se iniciava no continente europeu e atravessava o continente africano, tendo fim na costa marítima de Dakar, no Cabo Verde. Como poucas fabricantes se interessavam pelo evento, a Yamaha disponibilizou seu modelo XT 500. O resultado? O piloto Cyril Neveu obteve o pódio nas duas primeiras edições da competição com o modelo da empresa.

Em 1983, a Yamaha decidiu que era hora de evoluir mais uma vez, a XT 500 deu lugar a XT600Z Ténéré. O modelo contava com tanque de combustível de 30 litros, propulsor monocilíndrico de 600cc, sistema de frenagem a disco na roda dianteira e um ótimo espaço em seu bagageiro. O nome Ténéré – que significa “deserto” – foi dado graças a um trecho da competição de Rali Paris-Dakar.

Como era de se esperar a motocicleta se tornou um sucesso de vendas, principalmente em países do continente europeu.

Em 1986, a motocicleta sofreu mudanças para se adaptar ao terreno urbano, ganhando partida elétrica e redução em sua reserva de combustível, que passou para 23 litros.

Em 1988, o modelo ganhou uma leve reestilização que lhe rendeu os clássicos faróis duplos, além de freio a disco também na roda traseira. Já em 1991, o modelo teve seu tanque reduzido para 20 litros, a fim de deixá-la compacta e garantir uma fácil pilotagem.

Chega ao fim à era Ténéré 600 em 1994 sem nenhuma alteração no seu design desde 1991. No Brasil, o modelo foi substituído pela XT 600, que logo deu origem a XT 660.

A Yamaha lançou a XTZ 660 Ténéré em grande parte do mundo, no entanto o modelo não chegou ao Brasil. A motocicleta foi fabricada durante seis anos (1993 a 1999).

Vale lembrar, que a Yamaha também iniciou a produção da Yamaha XTZ 750 SUPERTÉNÉRÉ. O modelo foi comercializado no Brasil até o ano de 1997, quando foi substituída pela Yamaha TDM 850.

Em 2011, a Yamaha voltou a fabricar os modelos da linha Ténéré. No Brasil, é possível encontrar todos os modelos da linha: XTZ 250, XT 660Z e XT 1200Z.

Por Wendel George Peripato


Novos modelos chegam ainda esse ano e tem seus preços divulgados

As clássicas Bonneville da Triumph são repaginadas e preço é de R$ 42.500 mil

A linha Triumpph entra no Brasil totalmente renovada. Fábrica fez anúncio por ocasião da pré-venda da Bonneville T 120, bonneville T 120 Black e Truxton R, nas concessionárias que comercializam as marcas.

A dupla foi equipada com motores nunca visto em outras motos, de dois cilindros e 1200cc, acelerador eletrônico, arrefecimento líquido e sistema ABS. Além do controle de tração as novas Bonneville têm modos de pilotagem diferenciados. Chegaram para juntar-se a ‘Street Twin’ de 900cc, que vem sendo comercializada desde março.

As Bonneville da Triumph são uma exaltação ao clássico da marca. A T 120 chega ao mercado no mês de julho seguida da irmã T 120 Black , que tem chegada prevista para setembro. Quanto a nova Truxton R, versão mais alta da linha, uma referência ao passado da marca com preço bem mais salgado que as outras, R$ 55.000 mil.

Segundo Paul Stround, diretor de vendas e marketing da linha, ele acredita que as várias modificações de olho num público mais diverso, contribuirão para o aumento das vendas das linha ‘clássicas modernas’. Atualmente são vendidas 55 mil motos por ano. As atuais Bonneville e Truxton R com motor arrefecido a ar de 865cc, não serão mais fabricadas.

T 120 e T 120 Black

Moldada ao estilo da Bonneville lançada em 1959, a T 120 surge como versão mais clássica dos modelos atuais. Com rodas raiadas, o farol e a saída de escapamento todo cromado e com ‘visual retrô’.

O diferencial da Black fica por conta das peças que aparecem pintadas em preto, com ar de moto customizda, porém a base mecânica é a mesma.

O novo motor de dois cilindros e 1.200cc, a refrigeração líquida produz 80,2 cv na potência máxima, deu a nova Black o apelido pela Triumph de 'High Torque'.

As versões da Bonneville foram montadas sobre quadro tubular de aço como garfo telescópico normal. Nos freios são usados disco duplo de 310mm com pinça de dois pistões na roda dianteira. Seu peso à seco é de 244 kg e capacidade para 14,5 litros.

As opções de cores da T 120 são: Vermelho metálico, vermelho prata e preta e branca. Já a Black vem com o preto metálico e grafite fosco.

Truxton R

Com previsão de chegada no mercado em julho a nova moto oferece as cores, vermelho e prata. Com motor igual ao das T 120 ela é diferente na engrenagem do volante e na potência de 97,8cv.

Para quem aprecia motos antigas esse é um excelente modelo.

Por Ruth Galvão


Montadora japonesa promove evento na Europa para anunciar a mais nova celebridade em duas rodas, a nova Yamaha Tracer 700, uma crossover confortável e potente originária da Yamaha MT-07.

Os apaixonados por velocidade que preferem sentir a adrenalina de uma boa corrida de motocicleta vão adorar, especialmente nesta semana, porque grandes montadoras como a Indian e BMW estão movimentando o mercado nacional com o lançamento de seus ‘novos e potentes modelos’.

O grande acontecimento da semana ficou por conta do lançamento na Europa, do novo modelo da Yamaha Tracer 700. O modelo se baseia na Yamaha M-07 e foi anunciada pela montadora japonesa de mesmo nome.

Ela chega aos salões com o esplendor de uma moto potente e confortável, para quem gosta de desfrutar de longas viagens sobre duas rodas, mas não se preocupe com o visual, pois ele continua arrojado e aventureiro. sem perder a elegância.

Novo visual da Yamaha Tracer 700

Mesmo tendo origem da Naked MT-07, a nova Yamaha T-700 se diferencia por ter um visual baseado no conforto e aventura. Diferente dos modelos anteriores , o MT-07 e MT-09, ela vem focada na posição de pilotar mais vertical que o modelo de origem. Também recebeu maior reforço mecânico que permite percorrer longas distâncias.

De acordo com a montadora, o desenvolvimento da Yamaha Tracer 700 foi planejado com muita paixão e total dedicação. Com um ‘design minimalista’, a nova Yamaha pretende oferecer uma pilotagem ágil e de responsabilidade, para garantir mais conforto e versatilidade.

Motor

Uma das chaves para o sucesso que a nova Yamaha é o motor de 689cc, feito com exclusividade para a ‘estrela’. Isso é o que garante a montadora.

O motor vai dar melhor rendimento e mais estabilidade ao piloto.

A nova Yamaha Tracer 700 foi equipada com motor de dois cilindros paralelos e quatro válvulas, com potência de 74,8 cv e câmbio de seis velocidades. Além disso, a moto possui Freios de disco dianteiro de 282 mm e disco traseiro de 245 mm, mais pneus com aro 17 e tanque de combustível de 17 litros de gasolina, tendo mais autonomia porque é três litros maior que o de suas irmãs.

Quem gosta de velocidade e pode se aventurar a comprar esse tesouro terá que ir à Europa, porque a montadora não deu garantias de seu lançamento fora do mercado europeu. Lá ela pode ser adquirida por 8.000 euros (32.000 em real).

Por Ruth Galvão


Não era necessário possuir CNH para pilotar motocicletas de 50cc, porém uma nova lei passou a exigir a habilitação.

Algumas motocicletas 50cc (50 cilindradas) ou também conhecidas como "cinquentinha", são muito utilizadas no Brasil, especialmente na região Nordeste. Para o uso dessas motos não era necessário possuir CNH, no entanto, desde agosto de 2015 há uma lei que passa a exigir que esses veículos sejam emplacados.

Recentemente, foram impostas mais exigências para quem pilota essas motos. Antes não era necessário possuir a CNH, mas a partir de 31 de maio o Contran irá exigir a habilitação dos condutores das famosas cinquentinhas. Inicialmente o prazo para que os motoristas possuíssem a habilitação era até 3 de março, no entanto, foi adiado devido a um pedido da Associação Nacional de Usuários de Ciclomotores (ANUC).

Esses ciclomotores possuem 50 cilindradas e atingem uma velocidade máxima de 50 km/h. São muito utilizadas por serem simples, práticas e serem mais baratas, estando na faixa de R$ 3.700,00. O motorista deve se lembrar que a carga da moto (que conta com quem está pilotando e se houver, o passageiro e a carga) não deve ultrapassar de 140kg.

Algumas marcas que não eram tão conhecidas no mercado, começaram a ter seus nomes mais consolidados após a nova lei que exige a CNH. Um exemplo é a Shineray, que possui até dez opções de motos 50cc. Essa marca criou até mesmo um portal para facilitar a regularização dos antigos veículos nos termos da nova lei. O portal tem se mostrado bem eficiente, já que os clientes podem fazer um cadastro que já irá contar com uma base de dados oficial do Denatran com as características do veículo em questão.

Esses ciclomotores são altamente recomendados para deslocamentos urbanos, de curta distância. É comum que sejam utilizados para locomoção dentro de uma mesma cidade. No entanto, não é permitido que eles sejam utilizados em vias de trânsito rápidas. Se utilizados em pista de rolamento, devem ser conduzidos pela direita.

Outro ponto de grande importância é o capacete. Ele é obrigatório e caso o piloto não o esteja utilizando a infração irá render sete pontos na carteira e uma multa de R$ 191,54. Além disso, o direito de dirigir será suspenso, o veículo será apreendido e a habilitação suspensa.

Por Isabela Palazzo

CNH moto 50cc

Foto:Divulgação


Condições especiais para aquisição por financiamento são oferecidas pela Harley-Davidson no Brasil para a linha 2016.

As concessionárias brasileiras já receberam a linha 2016 da Harley. São mais de dez modelos das custom mais famosas do mundo. E, atentando ao mercado recessivo brasileiro – em meio à crise econômica – a Financial Services da marca oferece condições especiais para aquisição por financiamento.

O setor financeiro da montadora firmou taxa de 0,99% ao mês e parcelamento com valor fixo para até 24 meses no pagamento do saldo. Para que o financiamento seja concedido, a entrada deve ser de no mínimo 50% sobre o valor total da motocicleta desejada.

Entre toda a nova família de Harleys, as Sportster são as que mais chamam atenção dos amantes de motos.

A Iron 883 cilindradas tem o acabamento quase todo em preto, design agressivo e tanque de gasolina em estilo clássico da marca com capacidade para 12,5 litros. O guidão e comandos nele são simples e com acabamento preto, em visual minimalista. As lanternas traseiras são de LED e têm os piscas integrados. As rodas são de liga de alumínio com freio ABS. O amortecedor traseiro tem regulagem de altura. A Iron sai por R$ 42,9 mil. O opcional é a pintura diferenciada Hardy Candy Custom, que adiciona mais R$ 1,5 mil ao valor de venda.

Já a Forty-Eight tem como cor original o bordô e a capacidade do tanque é de 7,9 litros. Ela tem pneus personalizados, mais robustos que outros modelos. O motor de 1.200 cilindradas também tem predominância da cor preta, porém as tampas são cromadas. O velocímetro, culturalmente de mostrador único, tem conta-giros e indicador de marchas. Os freios de ABS tiveram aumento nos discos em relação à versão anterior da moto para melhor desempenho. A Forty-Eight tem valor de R$ 50,7 mil. As cores opcionais, tom de vermelho diferente e Hardy Candy Custom, custam respectivamente R$ 350 e R$ 1,1 mil.

Por Bruno Klein

Harley Iron 883

Harley-Davidson Forty-Eight

Fotos: Divulgação


Nova Biz traz novidades e atualização em sua versão 2016.

A Honda Biz, motoneta que começou a ser comercializada no ano de 2008, desde a sua criação, sempre fez muito sucesso, devido ao fato de ser um meio de transporte rápido e prático para locomoção urbana.

É nessa perspectiva, que a Honda fez o anuncio no dia 9 de dezembro do lançamento da nova Biz 125 2016. A motoneta já está disponível para aquisição em toda rede de concessionárias da marca. Nessa nova edição a moto, além de uma atualização, ganhou novo grafismo, painel de instrumento digitalizado e com nova grafia, bem como um espaço maior no porta-capacete.

Na parte mecânica, ela foi equipada com propulsor bicombustível monocilíndrico OHC de quatro tempos e 144,9 cc, com arrefecimento feito a ar e injeção eletrônica. Este novo motor que foi inserido nela possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 9,2 cavalos a 7.500 rpm e o torque de 1,04 Kgfm a 3.500, dados estes obtidos mesmo com ela abastecida com gasolina ou etanol.

A Biz 2016 possui transmissão semiautomática e a tradicional partida por pedal, contudo a fabricante disponibiliza com opcional partida elétrica. Nessa versão 2016, foi incorporado no modelo um novo catalizador, o qual já está de acordo com as exigências trazidas pelo Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (Promot 4), programa este que entrará em vigor no mês de janeiro de 2016.

Essa nova edição da famosa Honda Biz será disponibilizada para os consumidores em três cores branca, preta e vermelha em apenas uma versão que será a EX, nos detalhes ela traz sistema de freio a disco na roda dianteira e rodas de liga leve.

O preço de comercialização sugerido pela fabricante, sem o frete, é de R$ 8.790,00, sendo que a partir deste novo modelo 2016, a moto já sairá de fábrica com três anos de garantia e sem limites de quilometragem, bem como fornecimento gratuito de óleo em sete revisões. 

Por Adriano Oliveira

Honda Biz 2016

Honda Biz 2016

Fotos: Divulgação


Modelo foi apresentado no Salão de Milão e traz ótimas características.

Para quem anda antenado no mundo das máquinas sabe que o Salão de Milão é a porta de entrada, o cartão de visitas de muitas fabricantes de motos. E foi justamente lá, no Salão de Milão, que a KTM decidiu apresentar no dia 17, a 1290 Super Duke GT.

O novo modelo chega com novidades como o acréscimo de diversas características que remetem aos modelos touring e o chassi, que nada mais é do que o esportivo pertencente à família de “nakeds”. A título de curiosidade além do citado modelo a 690 Duke também mostrou ao público um pacote com mais esportividade.

Mas vamos aos detalhes. A nova GT da KTM, derivada da 1290 Super Duke, conta com um potente motor bicilíndrico de 1301cc e 173 cavalos de potência. E isso ainda aliado a itens típicos das “estradeiras” como um tanque com capacidade para 23 litros, um assento mais confortável, controle de velocidade e para-brisa ajustável.

Obviamente que não podemos deixar passar os equipamentos de série que estarão presentes na versão 2016. Entre eles vamos encontrar  manopla aquecível, suspensão semiativa, luzes diurnas de LED, 4 modos de pilotagem, controle de estabilidade e freios ABS – ambos com sensor de inclinação.

Seguindo com a linha de motos vale lembrar que a Super Duke R desembarcou por aqui no mês de abril deste ano. O preço na época era de R$ 79 mil.

Para ter o “direito” de carregar a letra “R” no nome que, para os mais desavisados, serve para designar os modelos mais esportivos, a “naked” 690 Duke teve algumas alterações como o aumento da potência do motor monocilíndrico de 73 para 75. O que só foi possível com o uso de alguns equipamentos de ponta como o silenciador Akrapovic.

Para completar a 690 Duke R ainda traz o diferencial da pinça de freio Brembo, as tradicionais rodas com a cor laranja, controle de tração, ABS com sensor de inclinação e suspensão WP totalmente ajustável.

Pelo visto o Salão de Milão de 2015 vai trazer novidades incríveis para o setor.

Por Denisson Soares

1290 Super Duke GT

1290 Super Duke GT

1290 Super Duke GT

Fotos: Divulgação


Nova motocicleta possui três opções de pilotagem e conta com controle de tração.

Um dos grandes lançamentos do mundo das motocicletas foi realizado recentemente: trata-se da Yamaha MT-10, motocicleta que passa a fazer parte da tradicional família MT da montadora. Com isso, a Yamaha entra de vez na disputa da categoria das supernakeds. A MT-10 vem acompanhada de novidades, um design arrojado e muita tecnologia. Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

É importante destacar que a MT-10 é nada menos que uma versão revisada e adaptada para a via urbana da já conhecida Yamaha R1. Dentre as mudanças necessárias para que a MT-10 conseguisse cumprir seu papel, podemos destacar a mudança no motor da R1 que ganhou nova tomada de ar, novo escape, além de sistema de injeção mais específico. O objetivo dessas alterações é aumentar a entrega de torque em baixas e médias rotações, pois a MT-10 é destinada a vias urbanas.

Algo bastante interessante nesta motocicleta é o fato de a mesma contar com três opções distintas de pilotagem: Standard, Opção A e Opção B (opção A é um pouco mais pesada, sendo que a B é a mais indicada para uso urbano), além do controle de tração. Outro ponto bastante interessante é quanto ao sistema de embreagem, que é assistido e deslizante, com isso o mesmo deve deixar a manete um pouco mais leve e a roda traseira não irá travar em situações com reduções mais fortes.

Visando um conforto ainda mais dos seus clientes, a Yamaha revisou a posição do chassi de alumínio, sendo que o guidão é mais alto e aberto. A moto também conta com o chamado cruise control, trata-se de um piloto automático que tem como função manter a velocidade escolhida sem que seja feito o uso do acelerador.

A moto também se destaca quando o assunto é segurança, haja vista os freios a disco duplo na dianteira com 320 mm e disco simples na traseira de 220 mm, sendo ambos ABS. O visual agressivo e moderno é outro grande destaque deste lançamento da Yamaha. Já em relação ao painel digital, saiba que o mesmo foi projetado em posição central e lembra bastante o painel da MT-07.

As vendas oficiais da Yamaha MT-10 iniciam em 2016 no mercado europeu. Já em relação ao mercado brasileiro, a expectativa é de que a mesma só chegue em 2017.

Por Bruno Henrique


Nova geração da moto ganhou novos modelos e 2 motores inéditos.

A montadora Triumph divulgou no dia 28 de outubro a nova geração da Bonneville. A nova geração ganha incríveis novos modelos e 2 motores inéditos.

Os modelos devem chegar em território brasileiro no ano 2016. De acordo com a empresa Triumph, a geração da Bonneville foi 100% restruturada, sendo composta por 5 modelos, como segue:

– Bonneville T120;

– Black Edition;

– Street Twin;

– Thruxton 1200;

– Thruxton 1200 R.

A grande novidade fica por conta da Street Twin. Este modelo será o primeiro a chegar em solo brasileiro.

Entre as especificações técnicas, podemos citar seu novo motor de dois cilindros e 900 cc. Neste modelo, o sistema de refrigeração que configurava os modelos antigos da Bonnevile, foi descartado, dando entrada a um dispositivo líquido.

Para os modelos T120 e Thruxton, foi desenvolvido um novo motor de 1200 cc, mas com potencialidades diferentes entre ambos. No que se refere o modelo T120, o bicilíndrico atinge 10,7 kgfm de torque a 3.100 rpm.

Já no modelo Thruxton, o aumento foi de 62%, chegando a 12,23 kgfm a 4.950 rpm, garante a Triumph. Para conferir todas as especificações técnicas dos novos modelos, é só acessar o site oficial da marca.

Apesar de um certo aspecto retrô, a Triumph acabou engendrando algumas características modernas na nova linha. A montadora manteve até um certo ponto, o visual retrô da linha Bonneville. Mas para não se perder em meio a contemporaneidade, a Triumph acabou modernizando todo o conjunto estético dos novos modelos, não somente os motores.

Cabe ressaltar que a Chassi e suspensões também são novidades e os modelos passam a contar com diversos sistemas eletrônicos.

Entre outras novidades destacáveis, além de ABS de série em toda nova linha, os modelos T120, T120 Black, Thruxton e Thruxton R possuem modos de pilotagem, acelerador eletrônico e controle de tração.

Por Felipe Pancheri Colpani

Triumph Bonneville 2016

Triumph Bonneville 2016

Fotos: Divulgação


Modelos foram reestilizados e ganharam novas alterações.

Após realizar a reestilização da CBR 500 R, modelo esportivo da família 500, como já era esperado por muitos a renomada fabricante de veículos automotores Honda não deixaria de renovar também as irmãs CB 500X e CB 500F, a renovação desses dois modelos foi realizada, a fim de que eles continuassem no mesmo nível técnico da CBR 500R. Com inspiração retirada da VFR 800X Crossunner, motocicleta totalmente renovada no ano de 2014, a Honda confirmou que iria renovar não só a CB 500X, como também as crossovers NC 750X e VFR 1200X, porém, os consumidores podem ficar no aguardo que em breve a Honda irá anunciar a renovação da naked da família 500.

Na CB 500X os principais destaques ficarão por conta da inserção de um novo para-brisa que ficou 100 mm mais alto que o utilizado anteriormente, essa alteração foi feita para que o conforto dos pilotos, na estrada, fosse otimizado. Além disso, o modelo ganhou lanterna e farol novos de LED, nova suspensão dianteira com ajustamento pré-carga e manete de freio com ajuste na altura. Para garantir um funcionamento mais suave e preciso, o câmbio deste modelo também foi revisado.

Já na NC 750X, uma das motocicletas mais comercializadas na Europa, a Honda fez a modificação completa do seu visual, a fim de conseguir dar um ar mais robusto e uma aparência mais aventureira. Para conseguir isso, a fabricante inseriu novo farol e lanterna de LED, o para-brisa foi elevado em 70 mm.

A versão NC foi contemplada com uma nova suspensão dianteira Showa, a qual possui ajuste de compressão e retorno, o amortecedor traseiro continua com ajuste apenas na pré-carga. Outra alteração bastante interessante sofrida por este modelo foi o aumento do prático guarda-volumes que era de 21 e passou a ser de 22 litros, o qual fica localizado no local onde fica o tanque de combustível nas motos convencionais. Além dessas modificações a motocicleta ganhou novo painel similar ao da recém-lançada CB Twister e um novo escapamento que apesar de ser menor possui um som mais grave, característica esta que faz o motor bicilíndrico de 745 cm³ ter um barulho maravilhoso.

E, por fim, na VRF 1200X, as grandes novidades são ajustes de altura no para-brisas, os três níveis inseridos no modo S na versão que possui câmbio automático (DCT), a única opção comercializada no Brasil e com anúncio de chegada da nova África Twin, logo não aguarde pela versão equipada com câmbio manual de Crosstourer. 

Por Adriano Oliveira

Honda CB 500X

Honda CB 500F

Honda NC 750X

Honda VFR 1200X

Fotos: Divulgação


Parceria entre o piloto de Fórmula 1 e a montadora de motos de luxo fez surgir uma moto de grande estilo e ótimas características.

Lewis Hamiltone MV Agusta criam uma moto em parceria. Essa é uma grande ação de marketing.

A MV Agusta é uma empresa que fabrica motos de luxo. O bacana é que o modelo foi desenvolvido pelo bicampeão da Fórmula 1 em parceria com a marca. Essa novidade promete ser um dos principais destaques do Salão de Milão.

A moto foi lançada no dia 15 de agosto e já está fazendo sucesso. O visual, o design e o preço ainda não foram divulgados. A moto tem motor de 3 cilindros e 798 cc, além de 140 cavalos. A expectativa é que o produto consiga alavancar ainda mais a força da MV Agusta no mercado de duas rodas em todo o mundo. A moto, por sua vez,  foi baseada na Dragster RR

Hamilton falou sobre sua paixão também pelos veículos de duas rodas e que isso, sem sombra de dúvida, terminou por fazer com que ele tivesse essa ideia. Afinal o campeão do automobilismo também já mostrou interesse em pilotar, quem sabe, num torneio de Moto GP. É possível encontrar nas redes sociais e na internet, fotos de Hamilton com sua criação. Um detalhe interessante é que Ayrton Senna também já lançou uma moto, no caso uma do modelo Ducati.

O modelo da moto da MV Agusta em parceria com Lewis Hamilton é uma nova versão da Dragster que, naturalmente, tem tudo para agradar aos fãs em geral. O centro de desenvolvimento da MV disse que está muito feliz com esse projeto e que novos modelos ainda irão surgir daqui para frente.

A moto, como era de se esperar, será muito veloz e estilosa. Pois bem, o que podemos esperar dessa parceria? Essa é uma pergunta que teremos a resposta em breve.

O que vocês acharam dessa novidade?

Por Madson Lima de Oliveira

Moto da MV Agusta e Lewis Hamilton

Moto da MV Agusta e Lewis Hamilton

Fotos: Divulgação


Novo modelo é vendido por R$ 53.800, e traz diferenciais interessantes em sua mecânica e design.

A ideia foi projetar uma moto que, mesmo sendo compacta, de forma nenhuma abriu mão da potência. Assim é a nova Suzuki GSX-R 1000, uma moto que além de linda, promete trazer fortes emoções e aventuras para os amantes de verdadeiras máquinas sob duas rodas.

A Suzuki sabe que a concorrência não está para brincadeira, por isso, decidiu colocar no mercado uma moto repleta de diferenciais. Um desses diferenciais está na personalidade que a moto tem, sendo ao mesmo tempo compacta e tão imponente. A proposta foi abrir um pouco mão do espaço físico para se trabalhar mais no quesito força e velocidade.

Vamos a uma breve ficha técnica para entender como funciona isso – a Nova Suzuki GSX-R 1000 tem 999 centímetros cúbicos de cilindrada, podendo chegar a uma potência de 11.500 rpm, Sem dúvidas, com características como essa, é possível se chegar a velocidades incríveis. O motor é de quatro cilindros com 16 válvulas, concebida em quatro tempos com refrigeração líquida. O tipo de ignição é eletrônico e a partida é elétrica, com um sistema de alimentação por injeção eletrônica. Ela ainda possui o modelo de transmissão de seis velocidades e, quando acelerada, aí vem o que mais causa frisson na nova Suzuki GSX-R 1000: o ruído da máquina, que chega a marca de 97,7 decibéis. É de colocar qualquer coração a mil por hora, ou por segundo.

Para maior segurança, o freio traseiro é a disco e os freios dianteiros de disco duplo. Afinal, não adianta oferecer tanta potência e velocidade sem o suporte necessário para a segurança dos seus proprietários. O design é de uma modernidade incomum, algo que a Suzuki sempre gosta de fazer em todos os seus projetos de moto.

O preço da nova Suzuki GSX-R 1000 2016 é de R$ 53.800,00, sendo que as concessionárias Suzuki estão autorizadas a parcelar esse valor em até 24 vezes, com taxa zero de juros.

Saiba mais sobre essa máquina no site www.suzukimotos.com.br e anime-se para ter a sua. 

Por Michelle de Oliveira

Suzuki GSX R-1000 2016

Foto: Divulgação


Motos no estilo tricilíndrico foram apresentadas no Salão Duas Rodas 2015.

MV Agusta revelou as motos Turismo Veloce, Stradale e Dragster no Salão Duas Rodas 2015. O fato é que a empresa está em uma nova fase e, com isso, espera aumentar ainda mais suas vendas, além de conquistar clientes ainda mais fiéis ao poder da Marca.

Em nossa matéria, no entanto, o leitor poderá ficar por dentro de mais informações sobre as três motos lançadas no maior evento de motos da América Latina, que ocorreu em São Paulo.

No evento, a MV Augusta lançou três motos no estilo tricilíndrico. Os modelos ainda continuarão sendo criados na fábrica Dafra, de Manaus. O CEO da empresa em nosso país, Vladimir Zaitseff, revelou que a MV está numa fase de mudanças e transições no mercado, algo bastante positivo para o mercado de motos no Brasil.

A Turismo Veloce é a primeira Sport-touring fabricada pelo grupo. Trata-se de um modelo de alta performance e tecnologia e que ainda tem a vantagem de ter sido inspirada na Porsche Panamera. É um veículo arrojado e com um design diferente e moderno que promete agradar.

A Stradale possui um motor de 115 cv e  é uma crossover confortável, isto é, uma mistura de motard Rivale com touring. Além disso, e da beleza evidente, a moto teve seus bancos rebaixados, o que a deixou ainda mais radical e moderna. Sua proposta é bem interessante.

A Dragster também conta com o mesmo motor de todas, mas, claro, com uma configuração única. É uma moto de modelo radical e turbinada, sem contar que possui as seguintes características: design impactante, rabeta curta e pneu traseiro largo.

Com essas novidades, e com uma nova pegada em termos de mercado, a MV Agusta espera se consolidar ainda mais com suas motos. 

Por Madson Lima de Oliveira

MV Agusta Turismo Veloce

MV Agusta Stradale

MV Agusta Dragster

Fotos: Divulgação


Modelo é a primeira motocicleta street de pequeno porte da marca e será vendido no Brasil no 2° semestre de 2016.

Em breve, o mercado brasileiro de motocicletas, quinto mercado do mundo da BMW Motorrad, irá receber algumas novidades importantes que serão trazidas pela marca alemã. No Salão Duas Rodas 2015, a principal atração trazida pela marca foi a estreia mundial da motocicleta Concept Stunt G310, protótipo este que será a primeira motocicleta street de pequeno porte da marca.

Apesar de ser pequena, ela foi projetada com um propulsor de 310 cc, rodas no tamanho 17 polegadas, além disso, a motocicleta conta com garfo telescópico na dianteira e balança monoamortecida na traseira, fatores estes que evidenciam ainda mais a proposta urbana deste modelo que deve gerar uma moto de produção, entre 250 e 500 cc, que será fabricada e vendida no Brasil no ano de 2016, contudo somente no segundo semestre.

As cores escolhidas para a moto conceito foram verde e amarelo combinados com azul, branco e vermelho da BMW Motorsport. Essas cores fizeram a confirmação da importância que o Brasil terá para o futuro deste modelo, haja vista que esta motocicleta será fabricada principalmente para ser comercializada no Brasil e na Ásia.

Mesmo a BMW jurando que o motor de 310 cc que foi inserido no conceito não serve com dica para indicar qual será a cilindrada do propulsor da versão de produção, assim como as linhas da carenagem, posicionamento do motor e quadro em treliça, essas características ajudaram bastante para se ter uma perspectiva de como será a pequena BMW.

O quadro desta motocicleta será tubular, sendo que a concentração de massas em torno dele servirá para indicar um conjunto dianteiro em uma posição mais baixa e uma balança traseira mais alongada.

As rodas deste modelo serão de liga leve e no tamanho 17 polegadas, o sistema de freio utilizado será o de disco, já a transmissão final será feita por meio de corrente.

Por Adriano Oliveira

BMW Concept Stunt G310

BMW Concept Stunt G310

Fotos: Divulgação


Modelos serão comercializadas no Brasil com preços de R$ 15.990 (200 Duke) e R$ 21.990 (390 Duke).

Os motociclistas agora têm uma grande novidade para andar pelas ruas no Brasil: a Dafra-KTM realizou um anúncio informando que comercializará os modelos 200 Duke e 390 Duke ABS no país. Além das próprias motocicletas em si, também foi anunciada a chegada de toda a linha de roupas e acessórios exclusivos, que deverão estar disponíveis nas concessionárias.

A Dafra-KTM já conta com diversas lojas dual brand em funcionamento no Brasil, nas cidades de São Paulo, Santo André, Santos e Campinas (todas no Estado de São Paulo), além de Florianópolis (SC), Cabo Frio, Niterói e Duque de Caixas (todas no Rio de Janeiro), Brasília (DF), Maringá (PR) e Belo Horizonte (MG).

A expectativa, de acordo com o gerente de marcas da Dafra no Brasil, José Ricardo Siqueira, é de que até o primeiro trimestre de 2016, sejam inauguradas mais 11 lojas dual brand espalhadas pelo país. Todas já estão em fase avançada, e devem cumprir a expectativa. Além das atuais 5 flagships (lojas com um padrão de qualidade acima da média), a marca deve chegar ao total de 22 concessionárias dual brand.

Esse formato de loja (dual brand) é raro no Brasil, porém na Europa é algo já difundido. A Dafra acredita que juntas, as marcas se complementam, pois possuem perfis de consumidores diferentes, não representando uma verdadeira concorrência. Com essas novas concessionárias, o motociclista poderá não apenas curtir as motocicletas, como também desfrutar dos acessórios que trazem as duas marcas.

Com preços de R$ 15.990 (para a 200 Duke) e R$ 21.990 (para a 390 Duke), as concessionárias ainda oferecerão a oportunidade de realizar um test ride e um exclusivo atendimento pós-venda.

A expectativa é que esse modelo de loja dê certo no Brasil, e quem sabe outras marcas, não apenas de motocicletas, adotem a ideia e ofereçam condições personalizadas para os consumidores finais.

Por Felipe Villares

Dafra-KTM 390 Duke ABS

Dafra-KTM 200 Duke

Fotos: Divulgação


Montadora apresentou o teaser da nova Ninja, modelo ZX-10R 2016, que traz novo design e atualizações.

Uma das motocicletas mais desejadas do mundo é a Ninja, da Kawasaki. Esse modelo marcou gerações por ser uma supermotor, com potência e design arrojados e, agora, a montadora oriental acaba de revelar duas imagens em um teaser que apresenta a nova Ninja, modelo ZX-10R 2016.

Pelas imagens reveladas, é possível perceber que a carenagem ganha novo design, mas sem perder a essência de agressividade bem característica da Ninja. A clássica cor verde, também aparece nesse teaser, que deixou muitos fãs ainda mais aguçados por esse novo modelo.

Ainda não há muitas informações oficiais confirmadas pela Kawasaki, mas o que a montadora informou até agora é que a nova Ninja ganhará um novo sistema de freios, além de uma atualização na suspensão. Detalhes específicos sobre esses itens não foram revelados.

O líder do projeto, Yoshimoto Matsuda, disse que a base dos modelos antigos foi utilizada para criar esse modelo 2016, mas a motocicleta deve ganhar melhor desempenho depois dessas atualizações. Participaram também do projeto, os pilotos Tom Sykes e Jonathan Rea, que auxiliaram no projeto para deixar a Ninja mais competitiva e potente desde a sua criação.

Como era de se esperar, a nova Ninja será um dos modelos mais aguardados para os próximos salões de motocicletas, e talvez até dos que incluem veículos de quatro rodas. Especula-se que ela deve aparecer para o público no Salão de Milão, na Itália.

Informações adicionais, como valor de entrada e configurações mecânicas (como potência, cilindradas, bloco de motor) ainda não foram divulgadas. Também ainda não se sabe em quais mercados a Ninja ZX-10R 2016 será comercializada, nem se o Brasil está nessa lista.

Porém, se for seguir as configurações mecânicas do modelo atual, obviamente podemos esperar uma motocicleta com uma superpotência, capaz inclusive de superar os carros de rua mais velozes do mundo.  

Por Felipe Villares

Teaser Kawasaki Ninja ZX-10R 2016

Foto: Divulgação


Muitos motoristas querem trocar o carro por uma moto, mas é preciso saber se adaptar ao jeito de pilotar uma.

Muitos motoristas pretendem trocar o uso do carro pela moto e os benefícios são claros: motos não ficam paradas em congestionamentos, possuem baixo de custo de manutenção em comparação com os carros, gastam menos combustível, são menos poluentes, são fáceis de estacionar, o custo de aquisição é bem mais acessível, e em muitos lugares motos não pagam estacionamento ou pagam um valor muito menor.

Mesmo com tantas vantagens é necessário ter a consciência de que é preciso se adaptar, apesar da facilidade as diferenças entre os 2 tipos de transporte chamam atenção para alguns cuidados, portanto, fique ligado nas dicas que daremos a seguir:

1.       Todo cuidado é pouco:

Muitos acidentes envolvem motociclistas que muitas vezes são considerados abusados no trânsito. Não tente manobras arriscadas, lembre-se que a melhor forma de garantir a sua segurança é ter atitudes sensatas, portanto, não abuse e dirija com muita atenção.

2.       Capacete: equipamento é obrigatório para condutor e passageiro.

Apesar da obrigação legal, muitos motociclistas não respeitam as regras, além do uso é necessário manter as viseiras abaixadas durante o percurso, invista em bons equipamentos de segurança.

3.       Compre um modelo de moto que atenda às suas necessidades:

Existem centenas de motos no mercado que são segmentadas de acordo com o uso, saber escolher é fundamental para evitar futuros transtornos.

4.       Treinamento nunca é demais:

Sabemos que ter a carteira de habilitação não significa estar preparado para dirigir no caos do trânsito, praticar em vias pouco movimentadas é uma boa iniciativa, além de dar mais experiência aumenta o nível de confiança do condutor.

5.       Planejamento de Percurso – Iniciantes devem evitar lugares de trânsito intenso:

Locais com trânsito intenso necessitam de muita habilidade na direção da moto, se você está começando, opte por vias mais tranquilas, tenha planejamento de percurso e fuja de enrascadas.

Esperamos que estas dicas te auxiliem na adaptação do uso de sua moto e desejamos boa sorte no seu percurso!

Por Beatriz Duarte

Pilotar moto

Foto: Divulgação


Modelo Softail Breakout é uma das principais novidades da linha 2015 da Harley-Davidson.

A grande fabricante de motocicletas Harley-Davidson fez o lançamento de uma de suas principais novidades da linha 2015 que é o modelo Softail Breakout, junto com esta novidade a marca também trouxe outras duas novidades que são os modelos: Street Bob e Low Rider.

A Softail Breakout será comercializada nas concessionárias da empresa em todo país a partir de R$ 58.700. Esta motocicleta chama bastante atenção, devido ao fato dela não ter a aparência de um modelo de linha de produção comum, tendo em vista que logo a primeira vista a impressão de quem a visualiza é de que esta moto tenha passado por uma customização.

Por ser muito bonita, por onde passa esta moto sempre acaba despertando os olhares do público, principalmente, se a que for vista for a que possui um esquema de pintura especial brilhante denominado Hardy Candy Custom,  apesar desta pintura deixá-la ainda mais bonita, se o consumidor quiser ter este opcional  terá que desembolsar um valor de R$ 60.350 pela moto.

Há ainda uma opção de valor intermediário, opção esta que vem com dois tons de cores e é comercializada pelo valor de R$ 59.150. Realmente a moto é bem grande e apresenta um motor bem avantajado, contudo devido ao fato dela ter um assento baixo em relação ao solo a sua condução é feita com muita facilidade, outro fator que ajuda a facilitar a condução é o fato de que a maior parte do peso dela fica distribuída na sua parte inferior, todavia não ache que esta é uma motocicleta das mais leves, pois tem um peso de 309 kg.

A Breakout, apesar de ser uma versão mais acessível, ela manteve o mesmo estilo já visto por aqui trazido pela CVO Breakout, a qual era vendida pelo valor de R$ 98.600, mas esta versão mais barata possui um efeito estético bastante similar.

Quanto à motorização esta motocicleta possui um motor de dois cilindros e 1.585 cc e um toque 11,8 Kgfm a 2750 rpm, conjunto este que trabalha com o câmbio de 6 marchas. 

Por Adriano Oliveira

Harley-Davidson Softail Breakout 2015

Harley-Davidson Softail Breakout 2015

Fotos: Divulgação


Empresa optou por reduzir em 18% a fabricação de motocicletas no País para evitar mais demissões.

O cenário de crise econômica em 2015 é bastante forte e vem atingindo diversos setores da economia brasileira. Um dos grandes exemplos é a produção de motocicletas, que vinha registrando bons números nos últimos anos, porém, apenas na Zona Franca de Manaus já tem nada menos que uma produção 18% inferior que no primeiro de semestre de 2014 se comparamos os números da Honda. Além disso, o primeiro semestre de 2015 registrou 14% a mais de demissões quando compararmos o mesmo período em 2014.

Vale ressaltar que a queda na produção de motocicletas por parte da Honda é algo bastante preocupante, haja vista a mesma ser a maior fabricante de motocicletas de todo o Brasil. É importante destacar que a baixa na produção de motocicletas foi uma alternativa que a Honda encontrou para evitar mais demissões.

Além disso, saiba que a Honda busca enfrentar o atual momento de crise investindo pesado na motocicleta mais popular da marca, a CG 150. Com isso, a montadora está renovando o modelo aqui citado. Além disso, outro grande destaque em meio à crise é a Honda Pop, haja vista ser um modelo mais popular e acessível financeiramente.

Portanto, com a queda de produção de motocicletas da Honda o grande desafio será manter o nível de vendas de 2014 com os modelos aqui citados. Com isso, a montadora teria base suficiente para manter os empregos no segundo semestre de 2015.

O gerente da Honda, Mário Okubo, acredita que o mercado das motocicletas pode manter sua estabilidade em 2016 e a partir de 2017 deve começar a se recuperar. Segundo ele, um investimento pesado de linhas de crédito por parte do governo é o essencial para a recuperação do setor. Portanto, seria algo similar à liberação de crédito por parte de alguns bancos para os veículos de quatro rodas, o que acaba facilitando o financiamento de tais veículos.

A Honda é uma das principais marcas no mercado das motocicletas, sendo a responsável por 80% do mercado brasileiro.

Por Bruno Henrique

Honda CG 150 Titan

Foto: Divulgação


Modelos R 1200 GS e R 1200 GS Adventure serão produzidos em Manaus e terão os preços de R$ 69.900 e R$ 78.900, respectivamente.

Foi anunciado oficialmente pela grande empresa fabricante de veículos automotores BMW a iniciação da montagem dos modelos R 1200 GS e R 1200 GS Adventure. Esses dois modelos são as motocicletas do topo de linha da gama aventureira da marca e serão montadas aqui no País, na cidade Manaus.

Conforme o que já foi divulgado pela BMW, os interessados em adquirir estas motocicletas aqui no Brasil já podem comprá-las nas concessionárias da marca na pré-venda, sendo que elas estão sendo vendidas por R$ 69.900 (o modelo R 1200 GS) e R$ 78.900 (o modelo R 1200 GS Adventure). Essas duas versões são limitadas GS Trophy, na configuração premium.

Antigamente, estas motocicletas, quando chegavam aqui no País, eram trazidas da Alemanha e eram comercializadas por aqui com preço a partir de R$ 74.400 no modelo GS tradicional, e de R$ 87.900 na versão Adventure.

Apesar de ainda a BMW não ter feito a divulgação do valor de toda a linha, há a expectativa de que as versões sejam comercializadas por um preço mais barato, segundo as informações divulgadas pela montadora, em princípio, as concessionárias brasileiras irão receber somente os modelos da versão premium, os quais serão montados aqui no Brasil e serão comercializados pelos valores mencionados acima.

Com relação aos detalhes técnicos destas motocicletas, a R 1200 GS traz como propulsor o tradicional motor da BMW bicilíndrico de incríveis 1.170 cc com sistema de arrefecimento misto realizado por ar e água, este motor tem a capacidade de gerar uma potência máxima de 125 cavalos e um torque de 12,7 kgfm. Na versão Adventure a motocicleta vem com uma altura  maior em relação ao solo e o reservatório do tanque de combustível com capacidade maior, neste caso com 30 litros.

Estes dois modelos já virão de fábrica com itens visuais de comemoração da final do Rally GS Trophy 2014, bem como soft bag e protetor de motor. 

Por Adriano Oliveira

BMW R 1200 GS Adventure

Foto: Divulgação


Produção nacional de motos teve queda de 25,2% em julho deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado. Já no acumulado do ano, a queda foi de 12%.

Um dos segmentos que mais vinha crescendo nos últimos anos acaba de registrar perdas significativas em sua produção. Trata-se do segmento da produção nacional de motocicletas, haja vista o recuo de 13% no mês de julho e 25,2% quando a comparação é feita com o mesmo mês em 2014. Já quando o assunto é o acumulado de 2015, de janeiro a julho, o resultado também é uma baixa sendo essa de 12% quando comparamos com os sete primeiros meses de 2014.

Vale ressaltar que os dados informados no início desta matéria são números oficiais da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, a Abraciclo. Apenas em julho de 2015 tivemos a produção de 101.721 unidades, sendo que a venda no atacado já soma 752.747 de janeiro a julho de 2015, o que representa uma baixa de 9,3% com o mesmo período em 2014.

Já quando o assunto é a venda no varejo, o resultado também não é agradável: queda de 10,6% no acumulado do ano. Quando a comparação é feita no varejo, houve um crescimento de julho em relação a junho na faixa de 6,6%, porém, o cenário é de queda de 11% quando a comparação é feita com julho de 2014. Portanto, a situação no varejo também não está longe dos resultados negativos do atacado.

Mesmo com os números dos primeiros sete meses de 2015 e o atual cenário econômico brasileiro, o setor como um todo acredita na possibilidade de o mesmo se recuperar nos próximos meses e voltar a crescer.

Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, vários fatores influenciaram os números negativos dos sete primeiros meses de 2015, dentre os quais: férias coletivas nas fábricas, principalmente aquelas que estão localizadas no Polo Industrial de Manaus; atual cenário econômico do país, onde a inflação cresce juntamente com as taxas de juros; baixa oferta de crédito quando o assunto é a aquisição de veículos em geral; taxa de desemprego crescendo e etc.

Além disso, quando falamos de exportações o cenário também é de recuo, pois as unidades exportadas somam 26.815 de janeiro a julho de 2015, o que representa baixa de 49,3% quando comparamos com o mesmo período em 2014.

Por Bruno Henrique

Produção de motos

Foto: Divulgação


Novo sistema de freio será disponibilizado para as motocicletas mais luxuosas da marca.

A renomada fabricante de veículos automotores, a BMW, mais uma vez saiu na frente e dessa vez foi a pioneira e já anunciou que, no ano de 2016, irá fazer o lançamento oficial um sistema inédito que foi batizado com o nome de Dynamic Brake Light, ou seja, luz dinâmica de freio, este sistema em princípio será disponibilizado apenas para as motocicletas mais luxuosas e completas da marca.

Este sistema irá funcionar de maneira análoga ao assistente que já é utilizado nos automóveis da montadora alemã, sendo que ele será ativado quando o motociclista estiver freando. O processo de aviso de frenagem do sistema irá ocorrer através de dois níveis distintos de alerta e será visualizado nas lanternas traseiras da motocicleta, os dois alertas serão o de frenagem forte e o outro será o de frenagem emergencial.

O sistema de frenagem forte será ativado todas as vezes que a motocicleta começar o processo de frenagem e estiver com uma velocidade acima de 50 Km/h, sendo que neste caso em específico a luz de freio da moto começará a piscar em uma frequência de 5 hertz, o que sinalizará para os demais condutores a execução da manobra, este será um sistema muito inteligente, pois as piscadas intermitentes só irão cessar quando o motociclista aliviar por completo a pressão sobre o sistema de freios.

O outro sistema funcionará de modo complementar e se o condutor da motocicleta necessitar insistir na frenagem até chegar aos 14 Km/h as luzes de seta passarão a, também, piscar de maneira intermitente, tal como o conhecido pisca-alerta existente nos carros, e seguirão piscando até a motocicleta consiga retornar novamente a uma velocidade mínima de 20 Km/h.

Apesar de ser um sistema inovador, este sistema irá fazer de maneira automática o que muitos motociclistas mais experientes já fazem de maneira manual que é o ato de ir pisando no pedal de freio de forma intermitente, a fim de que os outros condutores consigam ser alertados com o piscar da luz de freio, além de tornar a motocicleta mais visível principalmente nas situações em que as condições de visibilidade não forem muito favoráveis. 

Por Adriano Oliveira

Sistema Dynamic Brake Light

Foto: Divulgação


Queda registrada nas vendas de motocicletas foi de 10,5% no 1º semestre de 2015. Honda foi a responsável por 80% das vendas, seguida da Yamaha e da Suzuki.

Durante o primeiro semestre do ano foram emplacadas 641.796 motocicletas em todo país, o que representa uma queda de 10,5% em relação ao mesmo período do ano passado, que alcançou 717.707 unidades vendidas. O resultado foi considerado o pior desde o ano de 2006. Os dados foram divulgados pela Fenebrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Segundo a organização, a Honda foi responsável por aproximadamente 80% das vendas de motocicletas realizadas no primeiro semestre deste ano, vendendo 519.575 unidades. A japonesa Yamaha emplacou 76.058 unidades, alcançando a marca de 11,8%. Já a montadora Suzuki garantiu 1,5% das vendas.  As montadoras Dafra e Shineray foram responsáveis pelo restante das vendas do segmento.

Isso ocorre porque a economia brasileira tem passado por maus momentos desde o início do ano. O aumento do dólar, o aumento da taxa básica Selic e o aumento da inflação fizeram com que os brasileiros deixassem de consumir vários produtos, dentre eles as motocicletas. Além disso, as instituições financeiras diminuíram o volume de financiamento para venda de imóveis e automóveis.

Em maio do ano passado, foram comercializadas 105.506 motocicletas. Já em junho deste ano foram emplacadas 101.130 unidades, o que representa uma queda de 4,1%. Se compararmos as vendas do mês de junho de 2014, a queda é de 2,63%. Apesar da diminuição de vendas em relação ao ano passado, o segmento de motocicletas é o menos afetado pela economia até o momento.

Segundo dados da Fenabrave, houve queda de 20,7% na venda de veículos automobilísticos (carros, ônibus, veículos comerciais leves e ônibus). A organização acredita que os consumidores brasileiros estão deixando de comprar automóveis para adquirir motocicletas, o que de certa forma está auxiliando o segmento.

A Fenabrave prevê que até o final do ano sejam emplacadas aproximadamente 1.301.204. Se o resultado for confirmado, haverá queda de 9% em relação às vendas realizadas no ano passado.

Por Wendel George Peripato

Venda de motos

Foto: Divulgação


Novo modelo será vendido na Europa, Estados Unidos, Austrália e Japão.

A montadora japonesa Honda anunciou no dia 11 de junho deste ano, o lançamento de sua nova motocicleta conceito baseada em modelos utilizados no campeonato mundial de corridas de motos, o MotoGP. O modelo batizado de RC213V-S possui preço de 184 mil dólares para o mercado americano. Já no Brasil a motocicleta custaria R$ 567.400, muito mais que um automóvel esportivo, por exemplo.

O modelo deverá ser fabricado e distribuído para o continente europeu, Estados Unidos, Austrália e Japão. A Honda descarta a possibilidade de o modelo ser vendido no Brasil. Na Europa o preço do modelo é ainda maior, sendo comercializado por 188 mil euros, algo em torno de R$ 655.386.

O sistema de válvulas pneumáticas utilizado no modelo de corrida foi alterado para um sistema de molas, que são comuns nos modelos esportivos. Além disso, o câmbio possui seis marchas, e a função de troca de marchas rápidas foi removido, porém o modelo não deixa a desejar.

O sistema de frenagem utilizado é o ABS e a motocicleta conta com freio a disco duplo na dianteira, já na traseira a motocicleta é dotada de freio a disco simples e suspensão Pro-Link.

Segundo a empresa, o modelo utilizado em campeonatos sofreu algumas mudanças mecânicas para transitar em vias urbanas. Para que obtivesse permissão para ser usada nas ruas, o modelo possui motor V4 de 999 cilindradas, que é capaz de atingir impressionantes 101 cavalos de potência máxima em alta rotação. Entretanto, no continente europeu a motocicleta será disponibilizada com melhor performance, sendo capaz de atingir 159 cavalos.

A versão europeia do modelo possui uma leve vantagem sobre a americana, já que é possível adquirir um kit de forma opcional, que faz com que o modelo atinja 215 cavalos de potencia. Dessa forma, o peso bruto da moto é reduzido em dez quilos, passando de 170 Kg para 160 Kg.

O design externo pouco mudou, porém existe a adição de retrovisores, escapamento silencioso e descanso lateral. A motocicleta deverá estar à venda a partir de 13 de julho pelo site oficial da Honda.

Por Wendel George Peripato

Honda RC213V-S

Honda RC213V-S

Honda RC213V-S

Fotos: Divulgação


Modelos Scout, Roadmaster, Chief Classic, Chief Vintage e Chieftain serão fabricados e vendidos no Brasil.

A fabricante americana Indian Motorcycles tem sua estreia marcada no Brasil para outubro deste ano, no Salão Duas Rodas, que acontece em São Paulo. Desde o ano passado há especulações sobre a venda dos modelos da marca no mercado nacional. Mas agora há bem mais que especulações, pois a marca confirmou o acordo para a montagem de 5 de seus modelos, a partir de kits CKD, em Manaus (AM). A montagem será feita na planta da Dafra, onde já acontecem montagens de BMW, Ducati, MV Augusta e KTM. Além disso, a marca planeja abrir concessionárias no Brasil, nas principais regiões.

A Indian é uma fabricante centenária  e é concorrente direta da Harley-Davidson no segmento custom,  tendo inclusive, já conquistado uma fatia do mercado da Harley, devido ao forte investimento do Grupo Polaris, que comprou a Indina em 2011, para conseguir trazer de volta, reconquistar fãs antigos e envolver os novos, mostrando que a Indian é uma empresa tão sólida quanto a Harley.

A linha de motocicletas Indian conta com 5 modelos, a Scout, seu mais recente modelo, a Roadmaster, Chief Classic, Chief Vintage e Chieftain. Segundo Rodrigo Lourenço, diretor executivo da Polaris na América do Sul, a família Chief vem buscar a fatia de consumidores que atualmente são da Harley. E segundo Lourenço, a empresa acredita que a Scout vai trazer um público novo.

Estima-se que no último trimestre de 2015, as primeiras concessionárias já sejam abertas, com continuidade em 2016, quando acontecerão inaugurações nas maiores praças. A Indian não terá o mesmo número de lojas da Harley, que são 19, mas há grandes expectativas com relação ao Brasil, mesmo com a atual recessão.

Essa notícia agrada em cheio os amantes de motocicletas, uma vez que a tradicionalíssima Indian tem os mais lindos modelos de duas rodas – quem conhece sabe, quem não conhece, procure conhecê-las. E aguarda-se o início dos trabalhos, que, além de ótimo para a economia, irá gerar empregos.

Por Elia Macedo

Fotos: Divulgação


Modelo chegará às concessionárias em julho com preço inicial de R$ 17.990 e terá 2 versões: standard e ABS.

No dia 11 de junho a Kawasaki anunciou uma das novidades mais aguardadas deste ano: o preço da Z300. A notícia é esperada desde abril, quando o modelo Z300 foi anunciada junto com outra 4 novidades que incluiam a Ninja H2 e a Vulcan S.

O modelo chegará às concessionárias em julho e terá preço inicial de R$ 17.990. Esse valor, no entanto, não inclui o frete até a residência do comprador ou o seguro da moto.  O novo modelo contará com duas versões: standard e ABS. As cores disponíveis para a versão sem  ABS são verde, cinza ou laranja, O modelo com ABS disponível será o topo de linha e tem preço sugerido de R$ 19.990. O modelo completo porém continuará somente com a opção da tradicional cor verde.

A motocicleta tem a mesma base da esportiva Ninja 300, sem a carenagem. O modelo conta também com inspiração baseada no visual do modelo Z800. O modelo Z300 vem com um estilo visual mais agressivo, conhecido como Naked e é mais apropriada para o dia a dia.

O motor da nova Z300 é o mesmo do modelo Ninja 300, bicilíndrico que rende cerca de 39 cavalos de potência a 11.000 rpm e incríveis 2,8 kgfm de torque a 10.000 rpm. Outras atrações do modelo serão o câmbio de seis velocidades e o quadro em estilo Diamond, em aço.

Se você quer uma motocicleta veloz, com um design arrojado e com boa funcionalidade para seu dia a dia, o modelo Z300 é o indicado para você. A Kawasaki acredita que em breve esse novo modelo tome o lugar da Ninja 300 como seu modelo líder de vendas. No ano de 2014 foram vendidas cerca de 2.478 unidades do modelo Ninja 300 no Brasil. A fabricante está bem otimista com as novas funcionalidades do modelo Z300 e os consumidores esperam ansiosos pela sua chegada ao mercado.

Por Patrícia Generoso

Kawasaki Z300

Kawasaki Z300

Kawasaki Z300

Fotos: Divulgação


Novo modelo superesportivo atrai pessoas que gostam de surf e traz vários itens interessantes.

A galera dos esportes radicais, principalmente do surf, agora tem mais um motivo para comemorar, já que a BMW lançou um modelo superesportivo que promete fazer a cabeça dos que gostam de um estilo clássico, mas com uma pegada diferente.

Esse novo modelo, batizado de Concept Path 22, é no estilo Scrambler e foi baseado em outro modelo, da R nineT, que é um modelo também da montadora alemã e que possui mais capacidade de personalização. A apresentação da Concept Path 22 ocorreu em um festival que engloba surf, arte e motos, na badalada praia de Biarritz, na França.

De acordo com Edgar Heinrich, chefe de projeto da BMW, esse novo modelo foi muito mais pensado para atrair pelo design do que por suas especificações de desempenho. E essa Scrambler também foi pensada para contemplar o evento na França, que é muito tradicional no mundo do surf. Ainda segundo Heinrich, a Concept Path 22 é a interpretação própria dos designers para o modelo R nineT.

Entre os itens desse modelo estão um assento de couro que é curto, bem como a própria rabeta. O farol circular possui uma grade, já que provavelmente o motociclista surfista pegaria muita areia, e isso serviria para proteger o farol. Os pneus com cravos também foram pensados para terrenos diferentes, com areias e pedras. A roda dianteira é alta, lembrando um estilo cross, e o escape também é elevado.

Além disso, a Concept Path 22 vem com um design bem praiano, com desenhos suaves na carroceria. E como chave de ouro, já um suporte, para que o surfista possa levar sua própria prancha sem problemas maiores.

Por enquanto, esse é apenas um conceito lançado pela BMW. Mas como todo veículo conceito, é bem possível que lancem outro modelo baseado nesse lançamento. A chance de sucesso é grande, já que muitos surfistas gostariam de uma motocicleta radical para sua prática de relaxamento diário.

Por Felipe Villares

BMW Concept Path 22

BMW Concept Path 22

BMW Concept Path 22

BMW Concept Path 22

Fotos: Divulgação


Nova moto será lançada em junho deste ano e terá a capacidade de entregar uma potência de 300 cv.

A Bienville Legacy, uma moto com uma cara bem futurista pode muito bem ser definida em apenas uma única palavra: Excêntrica. Bom, na verdade este é o primeiro aspecto que chama a atenção das pessoas, mas a moto apresenta um trunfo para poucos já que conta com um motor que traz a incrível capacidade de entregar uma potência na casa dos impressionantes 300 cavalos.

Criada nos Estados Unidos a Bienville Legacy já tem até data para fazer sua estreia no mercado (oficialmente). A informação é de que isso acontecerá no mês junho, por ocasião da realização do festival de Goodwood. O festival acontece no Reino Unido, no final do mês citado.

 Três anos para ficar pronta:

O projeto envolvendo o desenvolvimento da Bienville Legacy, que agrega um visual bem diferente de tudo que já foi visto até então, demorou nada mais nada menos do que três anos para chegar em sua fase final.

Foi um bom tempo de trabalho para o projeto ser concluído. Mas, como dissemos, a partir do mês de junho deste ano o mundo terá à sua disposição uma moto com o motor V4 de 1.560 cc. E que, claro, vai entregar os 300 cavalos apontados no início.

Muita gente tem se perguntado como é que a moto pode chegar a essa potência, ou melhor, o que foi feito para que isso fosse possível. Resumindo, muito dessa possibilidade é devida a presença de um sistema chamado de “supercharged”. Esse sistema traz uma sobrealimentação de ar e isso é um fator fundamental para que a potência final do motor possa aumentar significativamente.

Por esse aspecto e alguns outros, a Bienville Legacy contará com um nível de potência bem maior do que o que é encontrado na maior parte das motocicletas que se encontram a disposição dos consumidores no mercado atualmente. A maioria delas não passa muito da faixa dos 200 cavalos de potência.

Para ser mais exato nesse ponto há no mercado apenas uma única moto que tem o potencial de chegar aos 300 cavalos de potência: a Kawasaki Ninja H2R.

Por Denisson Soares

Moto Bienville Legacy

Moto Bienville Legacy

Fotos: Divulgação


Para aumentar sua participação no mercado, a Traxx lançou a moto TSS 250. Em junho as versões de 150 cilindradas também serão lançadas no Brasil.

A marca pertencente ao grupo China South Industries Group, Traxx, praticamente não atua nas regiões Sul, Sudeste, e Centro-Oeste do Brasil. Sendo assim, como estratégia para ampliar suas áreas de atuação surge o modelo TSS 250 por R$ 9.590,00. Além do modelo 250cc, no mês de junho, as versões de 150 cilindradas adentrarão mercado de motocicletas no Brasil.

Atualmente a Traxx, que pertence ao maior grupo de fabricantes de motocicletas de todo o mundo, tem sua base de produção na cidade de Manaus, capital do Amazonas.

Segundo matéria divulgada pela revista Duas Rodas, a motocicleta agrada logo nas primeiras impressões: o design é significativamente atraente, com combinação das cores vermelha com branco e preta com branco, consagrando-a com os adjetivos “bonita e moderna”.

Outro ponto positivo para a Traxx TS 250 foi o conforto. Destacam-se a posição agradável de pilotagem da moto – capaz de garantir ergonomia confortável ao piloto; o banco e os pedais esportivos.

Além dos itens citados, a revista Duas Rodas caracteriza o modelo como uma motocicleta com bom comportamento dinâmico. Contudo, a revista enfatiza que o modelo possui um motor inferior às demais motocicletas de 250 cilindradas do mercado, assimilando-se mais a uma de 200 cilindradas. O arranque é bom (torque de 1,7 kgf.m a 6.000 rotações por minuto), no entanto a baixa potência do motor peca ao não colaborar para ganhar velocidade.

Os freios são bastante “borrachudos”, o que compromete um pouco as frenagens, chegando a ser necessário apertar com força os freios para pará-la em altas velocidades.

No geral, a moto do renomado grupo chinês agradou, sendo que os pontos negativos não são tão grandes e, dificilmente, serão capazes de fazer o comprador final desistir da aquisição ao levantar esses fatores. Em outras palavras, parece que a TRAXX irá conseguir cumprir com o propósito da motocicleta: seu objetivo em aumentar a sua fatia de mercado. O modelo TSS 250 possui um preço mais baixo que suas concorrentes e, esse é um diferencial do mercado, capaz de aumentar a clientela da marca.

Por Júnior Beluzzo

Traxx TSS 250

Traxx TSS 250

Fotos: Divulgação


Em abril de 2015 foram produzidas 101.856 unidades de motocicletas no Brasil, uma queda de 30,7%.

A crise financeira afetou diversos ramos de indústrias e camadas da sociedade no Brasil. E a indústria de motocicletas não ficou de fora dessa. Segundo a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), a produção desses veículos caiu 30,7% em abril deste ano.

Essa comparação é feita com o mesmo período do ano anterior. Já com relação a março de 2015, a queda também foi significativa: 20% menos motocicletas fabricadas. Se comparado aos quatro primeiros meses de 2014, o mesmo período desse ano sofreu uma redução de 17,4%. E os prognósticos não são dos melhores para os próximos meses.

Em abril de 2015, foram fabricadas no país 101.856 unidades de motocicletas, o que não se pode considerar um número baixo. Porém, com a alta taxa de desemprego e inadimplência, boa parte da produção fica parada nas fábricas, obrigando as empresas a darem férias coletivas forçadas a seus funcionários. Esse quadro já é realidade há alguns meses entre as indústrias de automóveis (carros e caminhões), sobretudo no ABC Paulista, onde a taxa de desemprego aumenta a cada dia.

No mercado de motocicletas, a única notícia boa é que o número de exportações cresceu se compararmos abril com o mês anterior, com um aumento de 63,8%, totalizando 2.761 unidades de motocicletas exportadas. Porém, se comparado com o mesmo período do ano anterior, esse número sofreu uma queda de 60,3%.

De acordo com Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, as indústrias esperam uma boa recuperação desse mercado para os próximos meses, sobretudo após as férias coletivas dadas pelas empresas no meio do ano e com o acontecimento do Salão Duas Rodas, que será realizado de 7 a 12 de outubro, e deve aquecer as vendas no setor.

A expectativa é que a economia se recupere, e tanto as concessionárias possam vender mais, como as fábricas produzirem mais unidades.

Por Felipe Villares

Produção de motos-1

Foto: Divulgação


Linha City Pro é voltada para motocicletas de até 150cc que são usadas diariamente.

Quem pensa que a Michelin fabrica apenas pneus para carros e automóveis de corrida, engana-se. A marca acaba de lançar uma nova linha de produtos, para modelos de motocicletas de até 150cc.

Os novos pneus da Michelin estão disponíveis em nove medidas, para rodas com aros 16, 17 e 18 polegadas. A atenção maior para essa nova linha, batizada de City Pro, é voltada para os veículos de duas rodas com até 150cc que tenham uso diário. Isso inclui diversas categorias, como mototaxistas e motofretistas.

Segundo a fabricante francesa, seus novos pneus são até 20% mais resistentes à perfuração, o que é ótimo, sobretudo para o caos das grandes cidades. Além disso, ele dura até 10% mais em termos de quilometragem, se comparado com seus maiores concorrentes.

De acordo com o gerente de marketing da Michelin, Flávio Santana, a nova linha de pneus possui três camadas de lona e uma camada adicional de borracha. Isso faz com que o produto tenha maior resistência. Com novos desenhos nos sulcos e dos riscos, os novos pneus ainda possuem maior aderência em pisos molhados, dando mais segurança ao motociclista. Com essa tecnologia, o escoamento de água se torna maior.

A empresa francesa ficou por quatro meses realizando testes em sua nova linha. Entre os meses de novembro de 2013 e março de 2014, a Michelin utilizou 48 motocicletas com os pneus City Pro para realizar seus testes, conduzidas por mototaxistas. O resultado mostrou que, após 440 mil quilômetros, haveria um furo a cada 100 mil km (o que é um número bem significante, mostrando alta resistência e durabilidade dos pneus). A média de durabilidade foi, para pneus traseiros, de 20 mil km, e para pneus dianteiros, de 30 mil km.

A marca não divulgou os valores iniciais da nova linha de pneus, mas sabe-se que eles estarão disponíveis no mercado a partir de maio deste ano.

Por Felipe Villares

Novos pneus da Michelin

Foto: Divulgação


Modelo conta com algumas mudanças e com preços que partem de R$ 64.900 chegando a R$ 74.900.

Mais uma novidade está chegando ao mercado automobilístico. Agora é a Ducati que está chegando com novas mudanças que vai agradar todos os amantes desse veículo sobre duas rodas.

A Ducati está com novas adaptações como um motor Testastretta 11º na mesma potência de 162 cavalos, mas ainda mantêm os dois cilindros e 1198,4 cc. O  novo modelo pode ter uma cifra com a 9.250 rpm, mas já tinha a Diavel com 9.500 rpm. Como sofreu essas novas alterações, a moto parece que será menos agressiva e apresentará um estilo linear.

A potência do motor torque que era de 13 kgfm com 8.000 rpm passou para 13,3 kgfm, com o mesmo 8.000 rpm. Também inovou com um sofisticado farol dianteiro, novo sistema de escape, confortável assento para motorista e passageiro, adaptação também de moderno e seguro freio ABS.

O modelo também traz controle de tração para proporcionar mais facilidade em todos os modos de condução do motorista ao pilotar a moto, possibilita um consumo econômico e oferece alta potência para alcançar até mais de 200 km/h.

A estreia de divulgação foi no ano de 2011, mas agora que o veículo poderá ser confeccionado no estabelecimento de Manaus. E o preço sofreu uma alteração do modelo antigo justamente pelas novas alterações sofridas, sendo que era o valor de R$ 59.900 para o modelo antigo. Agora vai iniciar com o valor de R$ 64.900 e poderá chegar até R$ 74.900.

O modelo oferece um estilo esportivo, passou por novas adaptações que proporcionam mais segurança e conforto, não esquecendo os detalhes que permitem mais sofisticação ao produto. Além do sistema de injeção eletrônica, alta qualidade do sistema com 6 machas, partida elétrica e ignição eletrônica que já oferecia antes.

Portanto, os interessados em andar neste possante de duas rodas podem começar a pesquisar o preço e as ofertas promocionais de lançamento antes de chegar a custar o preço apresentado de R$ 74.900. Não perca tempo, mas pesquise bem para obter boas vantagens antes de fechar o negócio.

Por Jaqueline Mendes

 

Ducati Diavel

Ducati Diavel

Fotos: Divulgação


Confira as características da nova moto

Após ter sido revelada no Salão de Milão no ano de 2014, os amantes das motocicletas agora podem deixar a expectativa de lado, pois a nova Kawasaki Ninja modelo H2 desembarcará no Brasil no mês de junho. Esta motocicleta foi desenvolvida com um estilo futurista e para dar um ar de beleza e elegância nesse modelo a Kawasaki optou por utilizar uma pintura na cor prata, a qual ainda conta com um efeito reflexivo.

Para quem gosta de potência e velocidade essa motocicleta também não deixou a desejar nesse quesito, haja vista que ela foi equipada com um motor de quatro cilindros, o qual é capaz de produzir uma potência de nada mais nada menos do que 210 cilindradas, o que junto com um câmbio de seis velocidades e que dispensa o uso de embreagem, por causa da ajuda de um quick-shifter, essa é uma motocicleta que foi retirada das pistas e adaptada ao uso convencional. Esse motor citado é o mesmo modelo de motor que foi utilizado na moto de corrida voltada para competições a Ninja H2R, porém ele teve que ter a sua potência reduzida, porque neste modelo de corrida a potência do motor é de 998cv.

Porém, toda essa potência teve quer ser aliada a itens de segurança para que a motocicleta seja segura e confiável para que a estiver pilotando, logo a montadora inseriu de série itens importantes, tais como, freios ABS, controle eletrônico de tração, bem como um sistema inovador, que nunca foi utilizado pela Kawasaki, trata-se de uma balança do tipo monobraço.

Contudo, se você se animou e gostou dessa novidade, o grande fator desanimador é o valor no qual esta motocicleta será comercializada aqui no país, uma vez que o valor será de R$ 120 mil, valor este que para se investir em uma motocicleta é muito alto, a não ser para quem realmente for apaixonado por motocicletas de luxo e tiver dinheiro disponível para tal investimento. Em princípio, sabendo que talvez a demanda por aqui seja baixa a Kawasaki já divulgou que inicialmente só irá trazer para o país 28 unidades para iniciar a comercialização.   

Por Adriano Oliveira

Kawasaki Ninja H2

Kawasaki Ninja H2

Fotos: Divulgação


Modelo será produzido em Manaus e terá o preço aproximado de R$ 8.990

A já conhecida marca chinesa com significativa produção de motocicletas anunciou novas linhas e a produção da nova Traxx TSS 250 no Brasil no dia 26/02. A nova linha anunciada vem com modelos de 250, 160 e 150 cc e mantém a proposta da marca para uso urbano. A empresa anunciou que as características das motocicletas foram adequadas às necessidades do mercado brasileiro e cair no gosto da população. Como já foi dito a nova família se chamará TSS.

A nova TSS 250 já teve sua produção em Manaus anunciada. A moto mais potente da família conta com um motor com apenas um cilindro e conta com injeção eletrônica e freio a disco em ambos os eixos. No painel observamos um mix entre instrumentos digitais e analógicos numa combinação de tecnologia e economia. Segundo a estimativa da empresa a moto deve sair para o consumidor pelo valor de aproximadamente R$ 8.990,00. A potência informada da moto é de 16 cavalos quando a 7.500 rotações do motor por minuto e seu torque máximo é de 1,7 kgfm quando em 6.000 rpm. A refrigeração se dá a ar e é auxiliada por um radiador a óleo. A empresa chinesa afirmou que a moto é capaz de render até 50 km/litro de combustível o que a torna uma das mais econômicas para essa cilindrada. Obviamente a moto não será tão esperta quanto uma Fazer ou uma Next. 

O design é bonito, mas não é impressionante ou diferenciado. As setas com lâmpadas de LED são embutidas nas abas laterais do tanque e os discos de freio dão um visual mais esportivo para a moto. 

Enquanto isso a 150, bem mais modesta utiliza uma configuração a carburador mais simples. A empresa anunciou ainda que a 160 está passando por novas configurações para melhor se adaptar ao mercado brasileiro. A empresa chinesa já tem uma base mundial sólida pelo baixo preço dos produtos e relativa qualidade por ela oferecida.

Por Nosf

Traxx TSS 250

Traxx TSS 250

Fotos: Divulgação


Novo scooter está à venda com preço sugerido de R$ 9.390

Após dois anos, a fabricante Dafra iniciou as vendas do modelo Cityclass 200i. O modelo possui visual moderno e arrojado, sistemas de freios combinados, assoalho plano e outras tecnologias. O modelo possui design baseado no Garelli XO 200. Para ser comercializado no Brasil, o scooter recebeu aproximadamente 150 modificações.

O modelo possui motor de um cilindro, que gera 13,8 cv de potência máxima a um torque máximo de 1,41kgfm. O modelo conta com câmbio CVT, o que torna a pilotagem suave além de reduzir o consumo de gasolina que fica armazenado em um inédito tanque de 6 litros sob o assento.

A motocicleta acelera 0 a 80 km/h em apenas 10 segundos, sendo sua velocidade máxima de 105 km/h. O que garante ao motorista maior desempenho quando estiver trafegando por zonas urbanas.

O modelo conta com rodas em alumínio de 16 polegadas que em conjunto com pneus Pirelli Diablo Scooter auxiliam na maior absorção de impacto e garantem também maior segurança ao motorista por possuir diâmetros maiores que os padrões.

Sob o assento, o novo scooter da Dafra conta com um espaço capaz de levar um capacete e, ainda há um porta-objetos.

Entrando no mundo da tecnologia atual, a Dafra inova e oferece uma entrada USB sob o painel que dá ao motociclista a autonomia de carregar um celular, um dispositivo de músicas, entre outros. O dispositivo é bem completo, compartilhando de elementos digitais e analógicos que traz diversas informações como marcador de combustível, conta-giros, relógio, hodômetros total e parcial e alerta de manutenção.

Em quesito de segurança a Dafra CityClass 200i não decepciona. Ela conta com freios a disco dianteiro e traseiro, e aí está a grande novidade, o modelo conta com o sistema do tipo combinado, que reparte a frenagem entre as rodas dianteira e traseira, como na linha 2015 da Honda CG 150 Titan.

Com o preço sugerido de comercialização de R$ 9.390, a Dafra Cityclass 200i se mostra um scooter adequado ao mercado. O modelo é encontrado nas concessionárias Dafras nas cores branca e preta.

Por Wendel George Peripato

Dafra Cityclass 200i

Dafra Cityclass 200i

Dafra Cityclass 200i

Fotos: Divulgação


A KTM, através de sua parceria Dafra, divulgou recentemente o recebimento da 1190 Adventure no Brasil com o valor recomendado de R$ 79.000. Sendo importado da Áustria, o modelo tem motor de 2 cilindros em V que atinge 148 cavalos de potência e peso de 2217 kg. Seu grande concorrente no país é a BMW R 1200 GS, que é fabricada em Manaus pela Dafra, com valor acima de R$ 69.900.

Considerando os sistemas que ajudam na segurança de condução na 1190, está presente o dispositivo combinado de ABS, que faz a repartição da frenagem entre as rodas, prevenindo o travamento delas.

Segundo a companhia, o ABS tem modos de regulagem eletrônica e atuação aprimorada em curvas. Fabricado em parceria com a Bosch, o sistema possibilita que freios ABS e controle de tração atuem em conjunto, com a meta de ajudar o motociclista a não ter perda de controle da moto. O sistema como um todo é denominado como “Motorcycle Stability Control” (MSC), que significa “controle de estabilidade para motocicleta”.

Para completar os controles, a 1190 tem acelerador eletrônico e embreagem deslizante, que previne o travamento da roda em reduções acentuadas de velocidades. O painel é de LCD e por meio dele existe a possibilidade de modificar os níveis de atuação do controle de tração e os 4 modos de condução da moto, que são Sport, Street, Rain e Off-Road.

De acordo com a empresa, no Off-Road é possível o piloto diminuir a ação do ABS na roda de trás para uma pilotagem mais esportiva. A 1190 possui em sua ergonomia assento de espuma de 2 níveis com regulagem de altura para o piloto, ajuste do suporte dos pés e modificação do para-brisa dianteiro.

Outros componentes de destaque são o chassi tubular ultraleve, o acelerador eletrônico “Ride=By-Wire”, a embreagem deslizante, o conjunto de suspensões de alto curso WP e o amortecedor de direção WP.

Por Felipe Couto de Oliveira

KTM 1190 Adventure

KTM 1190 Adventure

KTM 1190 Adventure

Fotos: Divulgação


A montadora japonesa Kawasaki confirmou que venderá no Brasil o modelo Ninja H2 que é sucesso de vendas no exterior. A empresa que não revelou a data de lançamento e o preço do veículo, afirmou em nota que o veículo deverá ser vendido "em breve" em território nacional.

O modelo possui base na versão H2R, motocicleta projetada para pista que possui 300 cavalos de potência. O coração do modelo é composto por um motor de quatro cilindros, com 998 cilindradas, que geram impressionantes 200 cavalos de potência. O motor possui câmbio de seis velocidades, e conta com a tecnologia quick shifter, sendo possível realizar a troca de velocidade sem utilizar a embreagem. Quanto ao peso, o modelo possui 238 kg sem contar o tanque de gasolina e fluidos utilizados. Seu tanque tem capacidade para acomodar 17 litros de gasolina.

O design é inovador e robusto. O material prata é utilizado para causar um efeito refletivo nas carenagens, dando a impressão que se está olhando para um espelho. A motocicleta de luxo possui tecnologia de controle de tração e freios ABS, que garante ao motociclista maior estabilidade e segurança nas pistas. Além disso, o modelo conta com suspensão monobraço, o sistema de suspensão é utilizado para ganhar desempenho e garantir o máximo de contato entre a roda e o terreno. A inspiração para a Ninja H2 teve grande influência no passado da empresa. A motocicleta Mach IV, contava com motor de 2 tempos e possuía 750 cv de potência, também era chamada de H2. Ambos os modelos contam com uma grande taxa de aceleração e potência. O símbolo utilizado na motocicleta foi utilizado pelo fundador da empresa na fabricação de seus primeiros navios. A inspiração para a Ninja H2 teve grande influência no passado da empresa. A motocicleta Mach IV, contava com motor de 2 tempos e possuía 750 cv de potência, também era chamada de H2.

A empresa, que não revelou a data de lançamento e o preço do veículo, afirmou em nota que o veículo deverá ser vendido "em breve" em território nacional.

Por Wendel George Peripato

Kawasaki Ninja H2

Kawasaki Ninja H2

Fotos: Divulgação


Nas próprias palavras do diretor de design do projeto Livewire, Kirk Rasmussen, a nova moto “é uma ótima motocicleta que, por acaso, é elétrica”. Ao menos é assim que ele descreve a versão da Harley-Davidson. O modelo em termos gerais está mais leve com 208 kg.

Outros aspectos que chamam a atenção é a agilidade da motocicleta. A aceleração entra na linha do impressionante. Para ter mais exatidão nesse ponto basta dizer que de 0 a 100 km/h ela leva 3,8 segundos.

Curiosamente a Livewire chega como a primeira motocicleta movida a eletricidade. A produção está a cargo da fábrica de Milwaukee, nos Estados Unidos que, diga-se de passagem, acabou ficando famosa pelo ruído bem característico de seus motores V2.

Apesar de todas as notícias e barulho em volta do modelo é importante lembrar que tudo ainda está em fase de desenvolvimento. De qualquer maneira o dito projeto já anda pelas concessionárias dos Estados Unidos desde o mês de junho do ano passado. Claro, que o objetivo é que os interessados e curiosos que podem vir a ser clientes conheçam o produto.

Já para o mercado europeu ainda não há previsão de estreia por lá do modelo. Entretanto, as informações são de que os testes lá começarão em breve.

O que vale mesmo destacar é que esse projeto ainda está em fase de estudo e deverá um pouco até chegar ao mercado. Para começar a moto não conta com embreagem e muito menos câmbio. Se você está se perguntando sobre a transmissão final fique sabendo que ela é feita por correia dentada.

Outro aspecto que tem despertado comentários é sobre a questão das suspensões tanto na parte dianteira quanto na parte traseira. A maioria dos especialistas aponta que as mesmas são duras demais até mesmo para as ruas da América do Norte. Mas isso quer apenas dizer que os ajustes estão por vir e são possíveis.

O tempo de recarga da Livewire é de três horas e isso em uma tomada de 220V.

Por Denisson Soares

Harley-Davidson Livewire

Harley-Davidson Livewire

Harley-Davidson Livewire

Fotos: Divulgação


A crise brasileira continua afetando todos os setores e agora é a vez das motos amargarem baixa nas vendas. A redução no número de motos comercializadas no mês de fevereiro foi de 21,5%.
Para se ter ideia da queda no setor, em fevereiro do ano passado, foram emplacadas 119.504 unidades. Em fevereiro deste ano, foram apenas 93.796 unidades. E em relação ao mês de janeiro, a queda foi de mais de 13%.

A notícia desanima não só as empresas envolvidas diretamente na venda de motos, como todas as outras, pois a venda de motos vem servindo como uma espécie de "termômetro" para a economia, pois as pessoas estão adquirindo o veículo para se locomoverem com maior facilidade, seja para ir ao trabalho, faculdade ou para o lazer. As motos também são muito procuradas por profissionais que trabalham sobre duas rodas, na entrega de documentos, produtos, alimentos, medicamentos e vários outros itens.

O anúncio de queda na venda das motos significa que não apenas este setor, mas vários outros estão em crise e reduzindo custos e cortando vagas de emprego. Em janeiro deste ano a redução nas vendas, de acordo com a Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – foi de 13,6% e em fevereiro, a redução chegou a 21,5%. Os números preocupam e muito, pois mostram que a crise vem só se agravando.

Somando as vendas de janeiro e fevereiro deste ano, temos 202.435 unidades comercializadas, que é um número 20% menor se compararmos com as vendas obtidas nos meses de janeiro e fevereiro de 2014, onde foram comercializadas 253.163 unidades. Nos últimos 9 anos, este foi o pior resultado.

As motos da Honda continuam mantendo a liderança absoluta nas vendas, pois teve 74.945 motos emplacadas, deixando a marca com 79,9% do mercado. A Yamaha segue na segunda posição, tendo emplacado 11.847 unidades, ficando com 12,6%.

A Suzuki ficou com a terceira posição, vendendo apenas 1.289 unidades, apenas 1,37% do mercado, seguida pela Dafra que vendeu 8 unidades a menos que a Suzuki, garantindo só 0,9% do total das vendas.

Por Russel

Vendas de motos

Foto: Divulgação


Desenvolvido para ser um modelo global, a nova Yamaha NMax apresenta um design arrojado e esportivo, lançado para competir com o Honda PCX 150, líder de vendas na categoria. A NMax é uma nova proposta da série Max, que tem feito muito sucesso na Europa, desde o lançamento da linha em 2000.

Dentre as novidades apresentada pela NMax, podemos citar o motor de refrigeração líquida, chamado de Blue Core, com comando SOHC e válvulas variáveis. Com ambas as rodas de 13 polegadas, o sistema de frenagem recebeu a tecnologia ABS, para proporcionar maior segurança aos condutores.

Além da refrigeração líquida, outra novidade no motor são as 155cc  contra as 152,9cc de sua rival Honda PCX. O novo scooter da Yamaha tem potência máxima de 15cv a 8.000 rpm e 1,47 kgfm de torque, com peso total de 127 kg.

Outros recursos apresentados pelo modelo são: o farol fumê que, além de ser muito atraente, dá mais esportividade ao modelo; o painel digital com várias funções, dentre elas o relógio digital, o indicador de consumo médio de combustível e o medidor de óleo; a tampa de combustível é externa, o que poupa o usuário do desconforto de ter que abrir e levantar o banco toda vez que for abastecer e o bagageiro sob o banco com tamanho e formato generoso, capaz de acomodar um capacete convencional sem dificuldades, proporcional o máximo de conforto aos usuários.

O modelo foi criado e lançado na Indonésia e a expectativa é de que sejam vendidas 12 mil unidades no país este ano. O valor de referência é de 27.400.000 rúpias, que equivale a aproximadamente R$ 5.700,00. O modelo será lançado primeiramente nos países Asiáticos, mas a intenção que alcançar o mercado global. Até o momento, a Yamaha do Brasil não se manifestou sobre a possibilidade da vinda do novo scooter para o mercado brasileiro.

Por Allan Carlos Marques

Yamaha NMax

Foto: Divulgação


A BMW Motorrad, divisão de motocicletas da empresa, divulgou recentemente a presença da nova F 800 R no mercado brasileiro, aproximadamente três meses depois de ter sido apresentada mundialmente no Salão de Milão. O modelo trata-se de uma versão otimizada da motocicleta fornecida antes no País, com fatores novos na estética e pequenas modificações na mecânica.

O visual da BMW F 800 R 2015, segundo a companhia, foi completamente renovado, tendo como fator principal o novo farol de formato tipo escudo, junto com os últimos lançamentos da série, ligado com a nova bolha que está no painel de instrumentos. As carenagens laterais e a rabeta também foram reformuladas.

As rodas também tiveram modificações e mostram um design renovado, produzidas em alumínio de liga leve, com 17 polegadas de diâmetro, possuem pneus de classificação ZR, com as medidas 120/70 na parte da frente e 180/55 na parte de trás. Somado a isto, a F 800 R possui sua altura em comparação ao solo diminuída em 100 mm, passando a ser de 790 mm.

O motor bicilindrico ficou mais eficaz, indo de 87 para 90 cavalos, e torque de 8,77 kgfm, presentes a partir dos 5.88 giros. Teve também o encurtamento da relação das duas primeiras velocidades da transmissão de seis marchas. O modelo possibilita atingir uma velocidade de 200 km/h e tem consumo médio de 20,8/l.

Citando os componentes, o modelo possui manoplas aquecidas, controle de pressão dos pneus (RDC), cavalete central e tomada de 12V, como também o indicador de ABS, freios ABS, computador de bordo e pisca em LED já fornecidos antes. O modelo está presente nas cores branca, azul com preta e azul com branca, com valor recomendado de R$ 37.900.

Existiram algumas alterações na parte ciclística que a tornaram mais acessível e otimizaram sua performance. A suspensão dianteira, como exemplo, neste momento possui garfo invertido (upside-down) que tem melhor resposta sobretudo em pilotagens mais esportivas.

Por Felipe Couto de Oliveira

BMW F 800 R

BMW F 800 R

BMW F 800 R

Fotos: Divulgação


Os apaixonados pela família MT (Master of Torque) da Yamaha têm o que comemorar. Acabou de ser lançada no mercado brasileiro a MT-07, com design singular e agressivo, ao mesmo tempo. Além das características de uma legítima MT esse modelo ainda possui uma alta performance e ainda tecnologia de ponta.

Com nada mais nada menos que dois cilindros lineares e fortes, e ainda um excelente torque, a MT-07 promete muita agilidade com facilidade para pilotagem.

Ela ainda conta com um compacto e potente motor, o DOHC, que possui quatro tempos com dois cilindros em linha, sendo quatro válvulas para cada um destes, ou seja, totalizando em oito válvulas. Possui ainda refrigeração líquida, e 689 cilindradas que alcançam 74,8 cv atingidos a 9.000 rpm e torque de 6,9 kgfm a 6.500 rpm.

Outra vantagem é que o peso da MT-07 é reduzido e a massa centralizada, com apenas 179kg na versão standard e 182kg na versão com ABS em ordem de marcha. O resultado disso tudo é pura adrenalina e diversão.

Esse modelo ainda oferece muita segurança, com sistema de freios tanto na versão STD quando a ABS, com dois discos flutuantes de 282mm e 4 pistões hidráulicos em cada pinça na roda dianteira e um disco de 245mm na traseira.

Para acompanhar a tecnologia o painel da MT-07 possui display em LCD e iluminado por LEDs, totalmente digital. Possui relógio, indicadores de marcha e combustível, hodômetro total e parcial, indicadores de temperatura do liquido de arrefecimento, temperatura do ar de admissão, dentre outras opções muito atraentes.

O melhor de tudo é que esse modelo possui um valor considerável, com preço público sugerido de R$ 26.990,00 + frete na versão standard e R$ 28.490,00 + frete na versão com freios ABS. No Brasil, a MT-07 estará disponível nas cores Matt Grey (Cinza Fosco), Competition White (Branco) e Racing Red (Vermelho) em todas as lojas da Yamaha. 

Por Camila Caetano

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Fotos: Divulgação


A Dafra está atenta com a categoria Scooter e pensando nisso, a fabricante anunciou o lançamento de mais um novo modelo: o Cityclass 200i. A motocicleta, que foi apresentada ao público brasileiro durante a realização do Salão Duas Rodas em 2013 e é a prova de que a Dafra está apostando forte no segmento, chega ao Brasil sem concorrentes com a mesma cilindrada e com preço sugerido de R$ 9.390.

Com foco no público jovem, o Cityclass 200i está praticamente sozinho na categoria com este tipo de motorização, já que a motocicleta mais próxima da realidade da scooter da Dafra é a Honda PCX com 150cc e preços a partir de R$ 8.600.

Comercializada nas cores pérola e preta com prata, a moto dispõe de vários itens de conforto e segurança, como o porta-objeto com fechadura e entrada USB para carregar o celular, GPS, ou qualquer outro dispositivo eletrônico compatível, ganchos para sacola que aguentam até 2 kg, assento em dois níveis com tecido antiderrapante, bagageiro traseiro, compartimento sob o banco que acomoda capacete de qualquer tamanho, além do painel de instrumentos com visor digital e analógico que abrange diversas funções, como o velocímetro e o tacógrafo (conta-giros), relógio, hodômetro parcial e total, alerta de manutenção, indicador do nível de combustível, entre outros. Para completar, o modelo ainda vem com freios a disco na dianteira e na traseira com sistema de acionamento combinado FH-CBS (Full Hidraulic Combined Brake System), que proporciona maior segurança na condução, bem como rodas de liga leve de 16 polegadas calçadas com pneus Pirelli 100/80 na dianteira e 120/80 na traseira.

Quanto à sua motorização, o Cityclass 200i vem equipado com motor monocilíndrico quatro tempos OHC com injeção eletrônica e 199,1 cm³, capaz de entregar 13,86 cv de potência e torque de 1,41 kgfm. Trabalhando em conjunto com o propulsor de 200cc o scooter traz uma transmissão automática do tipo CVT, que garante maior conforto na pilotagem.

Vale lembrar que a Dafra teve que adiar o lançamento do Cityclass 200i, que estava previsto anteriormente para o meio deste ano, devido ao incêndio ocorrido em sua planta fabril em Manaus – AM em junho, que paralisou as operações na fábrica.

Por Caio Polo

Dafra Cityclass 200i

Dafra Cityclass 200i

Fotos: Divulgação


A concessionaria Honda lança a mais nova NXR 160 Bros. A nova motocicleta foi elaborada para andar com maior conforto em pisos irregulares, e a grande inovação, desde seu primeiro lançamento no ano de 2003, é o novo motor 160 cilindradas.

Os modelos de motos denominados TRAIL, uso em asfalto e terra, tem feito muito sucesso aqui no Brasil, devido às irregularidades encontradas em nossas estradas. Por isso, a estreia do novo motor mais potente.

Além do motor, a nova Honda NXR 160 Bros teve também seu visual esportivo aumentado, tendo sua essência em motos de cross, ganhando novo farol na dianteira, carenagens mais modernas que envolvem o tanque, apesar de manter os 12 litros de capacidade. Na parte traseira, a grande novidade é a lanterna de efeito 3D, que tem por finalidade imitar o LED. Na parte lateral, foi mudado o desenho das carenagens, do assento e do motor, com notável inspiração em motos de cross.

Em relação ao conforto, por ser uma motocicleta do tipo TRAIL, a nova Bros foi fabricada para superar com facilidade e comodidade os pisos irregulares encontrados na maior parte do país. O antigo modelo da Bros de 150 cilindradas já era considerado muito confortável, no entanto, este conforto evoluiu um pouco mais na 160 cilindradas, que teve a geometria dos assentos alterada, fazendo com que o condutor possa ficar com as pernas menos flexionadas enquanto pilota.

Segundo a Honda o lançamento estará disponível para vendas nas lojas a partir de dezembro de 2014, e para superar sua principal concorrente, a  Yamaha XTZ 150 Crosser, o modelo será vendido com um preço tentador:

– Honda Bros ESD (com freio a disco na dianteira): R$ 9.350;

– Honda Bros ESDD (com freio a disco na dianteira e na traseira): R$ 9.650.

Mais informações e para conferir o modelo de perto, visite uma loja autorizada da Honda.

Por Maicon Douglas Rodrigues Arthuso

Honda NXR 160 Bros

Honda NXR 160 Bros

Fotos: Divulgação


A correria das grandes cidades fez aparecer um profissional indispensável nos tempos de hoje: o Motoboy.

Geralmente esses profissionais alinham a paixão pelas motos com a necessidade de ganhar dinheiro. Não é difícil encontrar profissionais que usam motos equipadas para trabalhar. As motos são sua paixão e a necessidade de ganhar dinheiro os fez unir o útil ao agradável.

Nas grandes e médias cidades vemos um verdadeiro exército desses profissionais nas ruas. Muitos deles arriscam-se em manobras perigosas para cumprir com a agenda, sempre cheia. Aliás, muitas empresas que contratam esses profissionais quase os obrigam a fazer verdadeiras loucuras para cumprir todas as obrigações.

Entregadores com motos ganham em cima da quantidade de produtos entregues num dia, ou seja, quanto mais entregas fizer, melhor, e para fazer mais entregas é preciso ter tempo que será maior se correr, e se arriscar. Acidentes envolvendo motoboys acontecem diariamente e infelizmente muito deles são fatais. São acidentes que geram fotos que circulam na internet. Fotos chocantes. Ninguém gostaria de se imaginar naquela situação. Esses acidentes acontecem por uma série de motivos. A culpa é de ambos os lados, dos motoqueiros e dos outros.

Os motoqueiros precisam ganhar tempo, correm e cortam o trânsito de maneira perigosa. O problema é que os motoboys acostumam com esse ritmo acelerado e não diminuem o ritmo mesmo fora do expediente. Constantemente se colocam em perigo. Motoristas de outros tipos de veículos (carros, caminhões, etc.) normalmente não gostam de motoqueiros. Ouvi um motorista xingando um motoboy de “inseto”. Realmente se analisarmos pelo tamanho que ficam ao lado de uma carreta, parecem mesmo um pernilongo que é facilmente esmagado com um tapa.

Antes de sair de moto pelas ruas, previna-se, use equipamentos de segurança adequado. Use além do que é exigido por lei. Sinalize sua moto, deixe-a bem visível para os demais carros. Não faça ultrapassagens perigosas nem manobras arriscadas.

Lembre-se, você será sempre o mais frágil na selva do trânsito.

Por Luciana Viturino

Motoboy

Motoboy

Fotos: Divulgação


Muitas pessoas hoje em dia utilizam motocicletas em seu cotidiano. Seja para trabalho, entretenimento ou simplesmente deslocamento, as motocicletas são um ótimo meio de transporte. São pequenas, velozes, versáteis e econômicas. Usuários de longa data já sabem de muito do que será dito aqui. Novos usuários desse veículo devem sempre se atentar a esses detalhes. Seguem aqui algumas dicas de vestuário importantes para os motociclistas:

1- Pés:

Muitas pessoas são desatentas nesse quesito. Não raro você encontra pessoas andando de moto e usando chinelos, sandálias, sapatilhas, entre outros sapatos abertos. Esse tipo de situação deve ser evitado por duas razões: a primeira diz respeito à proteção. Em uma eventual queda ou acidente, seus pés estarão desprotegidos, podendo sofrer lesões graves. A segunda diz respeito à estabilidade na motocicleta. Esses calçados podem escorregar, sair, ficar presos nos pedais. Só criam problemas. O ideal é usar um sapato fechado (tênis ou bota) que além de cobrir seus pés para proteção, não escorreguem e sejam firmes.

2- Pernas:

Jamais use bermudas ou shorts ao andar de moto. Por mais quente que esteja deve-se considerar segurança em primeiro lugar. As pernas já ficam naturalmente expostas ao se andar de moto e comumente os pilotos que usam corredores podem bater a perna em outros carros. Além disso, em quedas, tanto em alta quanto em baixa velocidade, o motociclista pode se machucar feio se não estiver com a proteção adequada.

3- Jaquetas:

Por cima da roupa normal é sempre bom ter uma jaqueta. Só quem anda de moto há muito tempo sabe como é ter que lidar com o vento frio diretamente no corpo. É normal ver pessoas andando de motocicleta com camisetas curtas e cavadas. Se houver um acidente essas pessoas terão grandes machucados. O uso de jaquetas grossas (de couro e material especial) pode reduzir o impacto no corpo do motociclista de tal maneira que pode até evitar maiores fraturas em caso de quedas.

4- Luvas:

Proteção para as mãos é necessária. Se você viajará por longas distâncias, suas mãos podem ficar suadas e você perderá a pegada e suas mãos ficarão escorregadias. Além disso, é necessário proteger a mão contra objetos voadores que possam atingi-las.

Essas são dicas essenciais para quem deseja andar de moto em segurança.

Por Nosf

Acess?rios para motociclistas

Foto: Divulgação


Lançada pela Honda em 2013 no Brasil, o PCX 150, atualmente o scooter mais vendido no mercado brasileiro, ganhou a linha 2015 com duas novas cores: branco pérola e preto. Fabricado na unidade fabril em Manuas – AM, o Honda PCX 150 2015 é oferecida com preços que partem dos R$ 8.600.

Voltada para o uso diário como um veículo para ágil mobilidade urbana, conforto e com baixo consumo de combustível, o Honda PCX 150 conta com um design moderno e alguns atrativos diferenciados. Entre eles o sistema Idling Stop System, tecnologia inédita no Brasil que desativa o motor de modo silencioso e automático quando a motocicleta estiver parada e permanecer em marcha lenta por mais de 3 segundos. O sistema, que funciona de modo semelhante ao Start&Stop dos carros, permite que o motor seja reativado, sem qualquer ruído de partida, assim que o acelerador é acionado. Com isso, o scooter diminui o consumo de combustível e a emissão de gases poluentes.

Outros destaques ficam por conta do painel de instrumentos que traz velocímetro analógico e uma tela de LCD digital com informações importantes (hodômetro parcial e total e nível de combustível), porta-objetos que acomoda um capacete fechado e outros objetos pequenos, além do sistema Shutter Key e chave sextavada acoplada à chave de ignição, que bloqueia o acesso ao miolo de ignição e garante maior segurança ao estacionar o veículo.

Além disso, o PCX 150 possui sistema de partida elétrica, suspensão dianteira telescópica e traseira dupla amortecida, rodas de liga leve de 14 polegadas calçadas com pneus mais largos (dianteiro 90/90 e traseiro 100/90) e sistema de freios com tecnologia CBS (Combined Brake System), que distribui de modo equilibrado a frenagem nas rodas traseira e dianteira, tudo para oferecer maior segurança de condução.

Mecanicamente, a Honda PCX 150 vem equipada com motor OHC monocilídrico, quatro tempos, arrefecido a líquido, com 152,9 cc e injeção eletrônica PGM-FI, capaz de entregar 13,6 cv e torque de 1,41 kgfm. Para aumentar a praticidade da pilotagem, o scooter traz associado ao bloco uma transmissão automática do tipo CVT.

Por Caio Polo

Honda PCX 150 2015

Honda PCX 150 2015

Honda PCX 150 2015

Fotos: Divulgação


A BMW Motorrad iniciou a produção de mais uma moto de sua linha de produtos em solo brasileiro. Seguindo o que foi feito com a G650 GS, F800 R, F800 GS e F800 GS Adventure, a enduro R1200 GS deixará de ser importada da Alemanha e começará ser montada no Brasil na fábrica da Dafra Motos, localizada em Manaus – AM.

A nacionalização da motocicleta será iniciada na unidade fabril de Manaus a partir de setembro, com a fabricação da R1200 GS em sua versão especial Trophy, tudo para marcar o início da montagem no Brasil. A versão limitada terá apenas 620 unidades.

De acordo com a BMW Motorrad, com a fabricação local da R1200 GS a marca alemã reduzirá o preço da motocicleta, oferecendo-a com preços a partir de R$ 69.900 na versão Premium, uma redução expressiva do preço em mais de R$ 15 mil, já que a moto importada é comercializada no mercado brasileiro atualmente a partir dos R$ 85.300.

Com relação aos itens de série, a R1200 GS Premium traz computador de bordo, controle eletrônico de tração, cinco modos de condução, freios ABS ajustável com a possibilidade de desativar integral ou parcialmente, discos duplos flutuantes com 305 mm de diâmetro e pinça radial com quatro pistões na dianteira e freio a disco único flutuantes com 276 mm de diâmetro com pinças equipadas com dois pistões na traseira, suspensões eletrônica com ajuste automático, entre outros equipamentos.

A versão Sport, mais em conta que a Premium, e a versão topo de linha Adventure ainda serão importadas, com nacionalização programada apenas para 2015. Quando a produção por aqui for concretizada, a versão mais básica deverá ser vendida com preços na casa dos R$ 60 mil, enquanto que a topo de linha, por sua vez, passará a ser oferecida por R$ 78.900, R$ 10 mil a menos que o preço atual, R$ 87.900.

A BMW R1200 GS vem equipada com propulsor boxer bicilíndrico de quatro tempos, com refrigeração líquida e a ar, de 1.170 cilindradas capaz de oferecer 125 cv e torque de 12,7 kgfm. Trabalhando em conjunto com o motor está uma transmissão do tipo eixo cardã com seis velocidades com eixo helicoidal.

Por Caio Polo

BMW R1200 GS

BMW R1200 GS

Fotos: Divulgação


Após a tão aguardadaBrutale 800 ter chegado ao Brasil, enfim, e mais esperado que a primeira, chega o segundo modelo do seguimento de 800 cc da famosa italiana MV Agusta. Estamos tratando aqui de uma moto primorosa, a F3 800.

A moto que “chegou” recentemente traz um motor de 3 cilindros em linha. São 798 cm³ capaz de gerar 148 cavalos de potência. De acordo com as informações divulgadas a previsão é de que motocicleta já esteja sendo colocada a venda na segunda semana do mês de agosto nas concessionárias. Quanto ao preço a informação é de que será vendida inicialmente por R$ 56 mil.

A F3 tem seus pontos interessantes que a levaram a ser aguardada por muitos fãs. Em primeiro lugar digamos que ela se trata de um modelo mais “manso” do que a F4 e por outro lado é mais excitante do que a F3 675 – esta ainda não é comercializada no Brasil. Por isso, e por alguns outros pontos , a F3 800 se torna uma moto de categoria intermediária que tem a intenção de proporcionar a emoção de uma megaesportividade de 1000 cm³ e isso com a tranquilidade e facilidade de se pilotar uma moto de 600 cm³.

Vejamos os detalhes técnicos:

A F3 chega com um pacote que pode sim ser chamado de avançado no que diz respeito à parte eletrônica. Claro, que tudo alinhado com um motor de 800 cm³ capaz de 148 cv a 13 mil rpm e com um torque de 8,9 kgfm que são lançados a 10.600 giros.

Visando beneficiar de maneira eficiente o alto desempenho vale destacar um detalhe: um duplo cabeçote que possui quatro válvulas em titânio e que ainda conta com novos injetores de combustível.

Outro detalhe que também é um diferencial do bloco de motor é o virabrequim contra-rotativo. Para quem não sabe o que isso quer dizer que tem como objetivo diminuir o efeito de inércia rotacional que ocorre durante as mudanças de direção rápidas. De acordo com a própria montadora também tem como função melhorar o equilíbrio da motocicleta.

A F3 pesa ao todo 173 kg, e acaba oferecendo uma relação entre peso e potência 1,17 kg/cv. Esse simples aspecto coloca a moto na linha de briga direta com motos superesportivas e de maior cilindrada. De acordo com a fabricante a moto tem capacidade de atingir uma velocidade máxima de 269 km/h

Por Denisson Soares

MV Agusta F3 800

Foto: Divulgação


Começou a ser vendida a nova moto Suzuki Inazuma no Brasil pelo preço de R$ 15.900. A moto é bicilíndrica e foi anunciada no fim do ano passado. Com características acima das concorrentes atuais: Dafra Next (R$ 11.580), Honda CB 300R (R$ 12.040) e Yamaha Fazer (R$ 11.580).

Com isso, a bicilíndrica, considerada a única entre as rivais, desenvolve 24,5 cv a 8.500 rpm e torque de 2,24 kgf.m a 6.500 rpm. Com refrigeração líquida, alimentação por injeção eletrônica e câmbio de 6 velocidades. O freio é a disco em ambas as rodas. Sem contar a inovação no design fabricado pela montadora que é perfeito para quem gosta de viajar sob duas rodas.

O modelo será vendido em três opções de cores, quais sejam: preta, vermelha e azul com branco. Grande parte dos motociclistas dessa categoria está à procura de melhor custo benefício e alto desempenho, o que não faltou na Suzuki Inazuma. O diferencial da moto está na refrigeração líquida e no câmbio com seis marchas, uma vez que as outras citadas não possuem essas vantagens.

Cabe salientar que para dirigir motos no Brasil é necessário bastante cuidado, uma vez que o país está em 2º lugar no número de acidentes e para quem não dirige, mas pretende comprar uma devido ao custo x benefício, alguns cursos como é o caso de direção defensiva pode ser bem vantajoso na hora de estar nas pistas.

No entanto, é importante lembrar também que quem pretende economizar, essa moto é essencial, além do design e potência que proporciona ao comprador. O mercado brasileiro de motos é um dos que mais aumentou nos últimos anos e as vendas continuam a crescer. Diante disso, todos os segmentos têm boas vendas, que vão desde as mais populares as mais caras, de altas cilindradas. O modelo é uma mistura de B-King e GS 500 e possui um farol bem moderno.

Por Luciana Viturino

Suzuki Inazuma

Foto: Divulgação


A nova CB 500, da Honda, não ficou de fora da principal  linha de tendência em relação ao setor de motocicletas. A nova geração da moto traz aos consumidores um visual com características de um modelo mais aventureiro. Fechando o ciclo da família 500 a CB 500X tem uma certa classe que faz qualquer um pensar em uma moto para longas viagens bem como para deslocamentos feito na terra. Entretanto, a aparência engana já que a modelo se comporta bem melhor no asfalto do que na terra.

A 500X tem o título de off-road, mas isso é o de menos em relação a moto. A própria fabricante diz que a moto é uma crossover. Uma das metas, se não “a meta”, é de que a CB 500X alcance o posto de ser o modelo mais vendido entre as motos da família 500. Mas isso só deve acontecer lá em 2015.

Mas sobre 2014, a companhia também tem seus planos bem definidos. A pretensão é de que sejam vendidas até o fim do ano cerca de 5.700 unidades. O preço base do modelo foi estipulado em R$ 23.500, o modelo conta com freios ABS como item opcional. Isso pode acrescentar ao preço base um valor significativo podendo chegar a R$ 25.000.

De fato o conceito escolhido para a CB 500X ainda é algo que está em crescimento no mercado de motos, principalmente no Brasil. Ainda assim há algumas pedras no caminho já que a moto vai ter que encarar algumas rivais no mercado. Mas há um porém, as concorrentes apresentam preços e cilindradas diferentes. E se olharmos mais atentamente para o fato de que na faixa de 500 cc existe um certo vácuo, a linha CB 500 acaba por não ter uma rival direta.

No mais a CB 500X tem um potencial bastante grande de conquistar o público nacional. Só resta esperar para ver como os consumidores irão encarar a moto ao longo do tempo.

Por Denisson Soares

Honda CB 500X

Foto: Divulgação


As motos vêm crescendo em grande número em todo o país, haja vista o mercado das motocicletas estar fazendo bastante sucesso no Brasil. Um dos grandes motivos dessa ascensão é justamente quanto ao fato das motos possuírem de um preço bem mais acessível, além disso, é importante destacar que a grande concorrência também traz muitos aspectos positivos.

Dentre as várias fabricantes que atuam no Brasil um grande destaque fica por conta da Honda, fabricante japonesa de grande sucesso tanto com as motocicletas quanto com os automóveis.

Para você que é fã ou cliente da Honda e deseja adquirir sua nova moto, saiba que a mesma anunciou recentemente o lançamento da nova Honda CG 2015 Cargo, modelo popular que promete fazer enorme sucesso no mercado nacional brasileiro.

É importante destacar que a nova Honda CG 2015 é o último modelo que adota as mudanças incorporadas juntamente à linha CG. A CG 2015 Cargo está disponível em nada menos que três versões, as quais são: CG 125 Cargo ESD, CG 150 Cargo ESD e CG 2015 125 Cargo KS. As versões aqui destacadas passaram por mudanças em seu visual, além disso, as mesmas agora contam com painel digital.

As versões CG 125 Cargo ESD e KS são equipadas com motor de 11,6 cv de potência a 8.250 rpm e torque de 1,06 kgfm a 6.000 rpm. Outro detalhe muito importante é que a versão CG 125 Cargo ESD possui freio a disco dianteiro de 240 mm, enquanto que a versão KS possui freio a tambor.

A versão CG 150 Cargo ESD, por sua vez, é o modelo top de linha entre as três versões. É a versão mais potente bem como a que dispõe de tecnologia Flex no motor de 149,2 cm³ quatro tempos que é capaz de gerar uma potência máxima de 14,2 cv a gasolina e 14,3 cv a etanol.

Abaixo seguem os preços sugeridos das versões:

– Honda CG 125 Cargo KS: R$ 5.500;

– Honda CG 125 Cargo ESD: R$ 6.300;

– Honda CG 150 Cargo ESD: R$ 6.800.

Por Bruno Henrique

Honda CG 2015 Cargo

Foto: Divulgação


Com o objetivo de conquistar e se fixar cada vez mais no mercado nacional a Dafra não poupa investimentos quando o assunto é novidade, principalmente no seguimento das scooters. Uma das novidades apresentadas pela companhia neste ano de 2014 foi o Maxsym 400i. Atração da marca durante a realização do último Salão Duas Rodas o modelo chegou às lojas nacionais com o preço de R$ 20.990.

Ainda no seguimento scooter a Dafra também tratou de dar um certo “upgrade” no Citycom 300i que a título de curiosidade é o scooter mais vendido pela empresa em terras nacionais. Neste caso o grande destaque fica por conta da presença dos freios combinados, isso quer dizer que a frenagem é repartida entre as rodas. O modelo continua com a mesma base da versão anterior.

O novo Citycom 300i sai pelo preço de R$ 15.240.

Um detalhe interessante é que os dois modelos citados são resultados de uma parceria feita entre a Dafra e a SYM, marca de origem taiwanesa.

No caso da Maxsym 400i é o modelo que conta com maior cilindrada vendido pela empresa e também o mais caro. Movido com um motor de quatro tempos de 399,3cm³ tem uma refrigeração líquida de 33,3 cv, isso a 7.500 rpm. O modelo apresenta um torque máximo de 3,2 kgfm a 5.500 rpm.

Esse scooter conta uma roda de 15 polegadas na parte dianteira, enquanto que na parte traseira o modelo tem uma de 14 polegadas. De acordo com informações divulgadas pela fabricante o consumo médio do modelo é de 25km/l. Isso possibilita um autonomia de 370 km. O scooter será produzido em Manaus.

Já a Citycom 300i continua com seu domínio intacto no setor de scooters de 300 cilindradas. A linha de 2015 também recebeu a tecnologia que agrega ao modelo o sistema de freios combinados.

O Citycomainda continua com o mesmo monocilíndrico de  263,7 cc. Podendo chegar a 23 cv de potência a 7.500 rpm com torque de 2,44 kgfm a 5.500 rpm. Ainda de acordo com fabricante o consumo médio desse modelo fica na faixa dos 25,9 km/l.

Por Denisson Soares

Dafra Maxsym 400i

Foto: Divulgação


O Brasil será finalmente o palco para a chegada da Suzuki Inazuma 250, que irá concorrer diretamente com os modelos de 250 cilindradas já estabelecidos no país.

A apresentação da motocicleta está prevista para o próximo mês no Salão Duas Rodas. Por enquanto, a companhia não informou mais detalhes sobre a data exata que a moto estará disponível para a venda e nem os preços finais ao consumidor.

O motor bicilíndrico de 250 cm³ é a grande novidade no modelo, que possui a injeção direta de combustível como seu principal diferencial. A potência gerada pelo motor é de 24,48 cv em uma transmissão de seis marchas.

A motocicleta vem com uma suspensão traseira mono-shock e garfos telescópicos que vão proporcionar maior absorção de impactos. Além disso, os freios hidráulicos possuem discos ventilados tanto na traseira quanto na dianteira e as rodas são feitas em alumínio com três raios. O painel da Inazuma também é um de seus grandes diferenciais. LED indicativos fazem parte de um conjunto de LCD bastante bonito e atrativo.

No Brasil, as principais concorrentes da motocicleta serão a Honda CBR 250R e a Dafra SYM Next 250. Com o anúncio, a empresa visa recuperar o mercado nacional de motos de pequeno porte, as chamadas Naked. Embora o preço não tenha sido divulgado, o valor médio das motocicletas do segmento gira em torno de R$ 12 mil e, para criar uma concorrência acirrada, a Suzuki deverá manter algo em torno disso.

Suzuki.


Para entendermos sobre as novidades de motos para 2014, uma coisa é certa: precisamos ver como foram as vendas desses veículos de duas rodas no ano passado. Sim, saber quais foram as motos mais vendidas em 2013 pode fazer com que fiquemos por dentro dos principais lançamentos e detalhes novos que irão despontar. 

Assim sendo, pois, o fato é que o mercado teve várias surpresas e, para que o leitor seja bem informado, mostraremos um pouco disso tudo nessa matéria. Seja bem como for, a Honda CG 150 continuou na liderança e continua sendo a moto mais vendida do Brasil.

Por ser uma moto completa e por ter um preço acessível, a verdade é que essa motocicleta parece ser imbatível quando estamos falando do número de vendas. Ela é uma moto singela e simples, mas sua praticidade e conforto parecem agradar uma miríade de públicos e pessoas que buscam comodidade e beleza em suas escolhas. 

Outras motos também tiveram grande destaque no ano de 2013 e prometem crescer ainda mais no ano atual. A Honda Biz, por exemplo, ficou em segundo lugar no que tange ao número de vendas. Trata-se de uma moto rápida e dinâmica, com uma leveza e também com bastante praticidade para os interessados. O preço também ajudou nessa configuração.

Em terceiro lugar, com efeito, vemos a Honda Cg 125, pormenor este que revela o poder da Honda que, nesse período, ficou com os três primeiros lugares. A Yamaha, por sua vez, promete investir em mudanças radicais para tentar superar a força da Honda. A Honda NXR 150, com sua simplicidade, ficou na quarta posição por conta de sua modernidade e segurança.

Sendo assim, levando em conta esses dados, o fato é que a Yamaha é a única marca que parece ter possibilidades de bater de frente com a Honda em 2014. 

Por Juan Wihelm


O brasileiro realmente ama o mundo das motos.  E, como bom apaixonado, ele sempre quer saber os preços desses veículos. Mas você sabe quais são as motos mais caras do Brasil? Aqui, pois, nós iremos falar sobre isso, de modo a matar essa curiosidade.  Sabemos que no nosso país muitas marcas fazem sucesso e, por conta disso, vamos ao que interessa.

As motos mais caras:

Bimota DB7 Serie: Oro Nero: essa é uma moto muito moderna, com design incrível e que, por ser tão cara, só pode ser comprada por meio de encomendas.  Seu preço é de  R$ 250 mil e ela foi feita a partir de fibras de carbono;

Vyrus: essa é uma moto muito desejada e que tem um visual que chama a atenção em todos os sentidos.  É uma moto do tipo importada e que, por sua vez, custa  R$ 157 mil. Ela também pode ser customizada pelo cliente, o que a torna ainda mais procurada e inovadora no mercado de motos do Brasil;

BMW K 1600 GTL: essa é uma moto que tem, como grande destaque, seu motor de seis cilindros e 160 cavalos em termos de potência. O preço dessa moto gira em torno de R$ 108.500;

Yamaha Vmax: estamos falando de uma supermoto feita para os amantes da velocidade.  Seu motor é de 4 cilindros e é uma das motocicletas mais bonitas, detalhe que aumenta ainda mais seu valor na indústria de motos;

GL 1800 Gold Wing: também é uma linda moto e, como principal referencial, tem o turismo, pois ela é bastante utilizada nesse aspecto por ser completa e superconfortável. Seu preço não sai por menos de R$ 92.000.

Agora é fazer sua escolha. Essas são as cinco motos mais caras do nosso país. Se você gostou, portanto, basta comentar e opinar sobre elas. 

É o mercado automobilístico provando cada vez mais seu potencial de conquistar um público cada vez mais exigente.

Por Jaime Pargan

Bimota DB7 Serie Oro Nero

Bimota DB7 Serie: Oro Nero

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: