Honda CG 125 – Produção Encerrada no Brasil





Depois de 42 anos, Honda encerra a produção de motos 125 no Brasil.

Depois de mais de 42 anos, a Honda finalizou a produção de motocicletas de 125 cilindradas no mercado brasileiro. A pequena moto CG 125 foi o primeiro modelo brasileiro fabricado pela marca japonesa, tendo sido inaugurada em 1976 com fábrica na zona franca de Manaus. Na época, o garoto-propaganda era o jogador de futebol Pelé.

Milhões de brasileiros motorizados

A pequena motocicleta foi vendida para 7 milhões de brasileiros, que passaram a ter um motor disponível para uso no dia a dia. Esse grande sucesso fez da marca japonesa um sinônimo de veículo de duas rodas.




A Honda conseguiu abocanhar mais de 80% do mercado de motocicletas no Brasil atualmente, lembrando que há várias marcas atuando no mercado. Porém, a junção de todas elas leva 20% da fatia de mercado (contra os 80% da Honda). E boa parte desse sucesso se deve à CG 125, que é uma moto resistente e que entrega 11 cavalos (8,2 quilowatts) de potência.

Declínio de vendas

As vendas da CG 125 sofreram uma queda devido à mudança na sociedade brasileira no que tange poder de compra, crédito farto e diversificação do mercado de motocicletas. Para efeito de comparação podemos citar os anos de 2008 e 2018. No ano de 2008 a pequena CG 125 foi vendida quase 440 mil vezes. Nesse mesmo ano ela só foi superada pela CG 150, que foi vendida 510 mil vezes nesse mesmo ano. Já no ano de 2018 os números foram bem menores para a CG 125, tendo vendido pouco mais de 26.500 motos e ficando com apenas 9,4% do mercado.


Motivo do Sucesso

Na época de seu lançamento a CG 125 vinha com motor OHC de 11 cavalos (8,2 quilowatts) de potência. Hoje ela oferece um motor com injeção eletrônica de 11,8 cavalos (8,8 quilowatts) de potência. A moto mudou de nome algumas vezes, tendo adotado o nome de “Titan” e hoje sendo “Fan”. Hoje podemos encontrar uma CG 125 nova por R$ 7.161, sendo esse o principal motivo pelo estrondoso sucesso.

Poucas mudanças significam sucesso

A pequenina moto da Honda sofreu poucas mudanças nesses mais de 42 anos de história. A primeira versão (de 1976) ficou conhecida como “bolinha”, por causa de seu inesquecível farol arredondado. Ela sofreu uma atualização há 36 anos (em 1983). Ganhou o nome de Today há 30 anos (em 1989) e Titan há 25 anos (em 1994). Entre 1994 e 1999 a Honda manteve um estilo de farol quadrado, voltando ao redondo novamente em 2000. Foi somente em 2004 que a CG apareceu com 150 cilindradas. Em 2013, a moto perdeu de vez o visual “bolinha” e ficou com a cara muito parecida com a da CG 160, com o farol estilizado em volta por carenagem.

Motivo da descontinuação da CG 125

Devido à obrigação que recairá sobre as montadoras em 2019 para que todas as motos novas tenham freios ABS, a Honda decidiu não investir esses tipos de freios nas motos de 125 cilindradas. Segundo a empresa, “não compensaria o investimento”. Outro motivo alegado pela Honda para a descontinuação da CG 125 é a mudança de gosto do público brasileiro dessa categoria. O público está se interessando mais por scooters. A marca acaba de lançar a Elite 125 no Brasil e renovou a TCX 150.

Ainda se encontram nas Lojas

Apesar do fim da produção, algumas unidades da CG 125 ainda podem ser encontradas nas lojas. A CG 125i Cargo é vendida por R$ 7.165 e a CG 125i Fan por R$ 7.161.

Vale a pena comprar usada?

Se você está com pouco dinheiro e quer muito ter um motor para ajudar nos percursos do dia a dia, a CG 125 é a melhor opção disparado em questão de custo-benefício. É uma motocicleta barata, resistente e de fácil manutenção.

Por Bruno Rafael da Silva

Honda CG 125



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *