Modelos PES1 e PED1 deverão chegar ao mercado no próximo ano.

No ano de 2013, a montadora Yamaha informou que já estava desenvolvendo duas motos elétricas conhecidas como PES1 e PED1. Entretanto, parece que as mesmas já se aproximam de se tornar uma realidade e serem produzidas.

A companhia, aparentemente, há pouco tempo fez alguns arranjos com o município de Saitama (Japão), para que suas motos elétricas fossem promovidas e os negócios envolvidos, indicando assim que a produção destes modelos não está longe de iniciar. Conhecida como E-Kizuna Project, o projeto irá promover estas motos elétricas como boas soluções para que sejam resolvidos os problemas urbanos, assim como falta de local para estacionar, poluição e congestionamentos. Um dos pontos chave para que seja quebrada a resistência que o público possui com relação a este tipo de meio de transporte é o pacote de baterias que se intercambiam entre motos, visto que a autonomia do veículo está entre as principais preocupações dos usuários, além também do fato de quanto tempo leva pra recarregar por completo.

A campanha de promoção da mesma também inclui uma rede de estações, local onde as baterias que estão com baixa carga podem ser trocadas pelas novas. Estas estações irão manter um estoque de baterias completamente carregadas para que sejam utilizadas.

Enquanto outras fabricantes apresentam progresso em baterias que possuem maior autonomia e vida útil, além da diminuição do período para recarga, a Yamaha com suas baterias substituíveis pode apresentar uma nova abordagem para o mercado. De acordo com informações da Motorcycle-Magazine.com, a montadora japonesa não informa se os modelos em pré-produção contam ou não com um carregador como opcional ou então uma tomada que as baterias possam ser recarregadas em casa.

Hoje, a montadora Yamaha oferta somente a E-Vino sendo uma opção elétrica, a qual possui um estilo bem parecido com a Honda Metropolitan. Há alguns anos lançada no mercado asiático, a E-Vino é limitada a utilização em perímetro urbano, a qual possui uma autonomia de 29 km e alcança uma velocidade de 30 km/h. Provavelmente isso irá mudar em breve, com os modelos novos da Yamaha que estarão à venda no ano de 2018, provavelmente.

FILIPE R SILVA


Confira aqui os principais erros e perigos cometidos pelos motociclistas no trânsito.

Muitos motociclistas se sentem os donos da rua quando andam sob duas rodas. Mas as coisas não são bem assim, a via é um espaço de circulação pública, em que todos devem se respeitar mutuamente e primar pela sua vida e a do próximo. Entre algumas ações perigosas executadas por certos motociclistas, seguem as mais comuns:

O famoso “tirar do giro” é uma prática conhecida entre os aficionados por motos, mas praticadas apenas por péssimos condutores. Mas o que é isso? A atitude consiste em provocar a aceleração da moto em ponto morto até que o se corte o giro, o que não apenas traz um risco enorme aos demais condutores no trânsito, como também danifica o motor da moto, uma vez que a elevação de temperatura muito brusca, mediante a ausência de ventilação, é causa certa de superaquecimento. Até nas motocicletas com radiador, a necessidade de que o vento passe pelas aletas existe, de modo que ocorra o arrefecimento do líquido.

O tal “tirar do giro” é feito com a moto parada e a ventoinha impossibilitada de suportar o superaquecimento do motor, convertendo óleo em água suja. Para o motor pegar fogo, pouco custa!

 Há também o burnout ou vulgo “borrachão”. A prática é querida pelos borracheiros, seus bolsos agradecem aos motociclistas que o fazem. O processo consiste no travamento do freio da frente, engatamento da primeira marcha, aceleração ao máximo e em bruscamente se soltar a embreagem em seguida. Com isso, o pneu traseiro literalmente patina na pista e queima no asfalto, uma nuvem de fumaça fedorenta sobe e a detonação do pneu está garantida. Não se trata de ter habilidade, não é seguro e não é agradável.

Já os motociclistas que falam e/ou teclam no celular com a moto em movimento. Desatenção, movimentos involuntários e risco à via são suas consequências. Colocar o celular entre a orelha e o capacete então, sem comentários. Mas há ainda o caso dos motociclistas fumantes. Cigarro na boca, capacete aberto e moto em movimento: a combinação é insegura na certa.

Por fim, trafegar em velocidade em desacordo com a via é perigoso, seja para andar mais rápido, seja para andar mais devagar. Motociclistas que andam devagar na faixa esquerda em vias expressas atravancam todo o trânsito, bem como os apressadinhos que saem cortando até mesmo as outras motos são um risco para si e para todos.

Flávia Alves Figueirêdo Souza


Modelo foi criado a partir de uma BMW 650 XChalange e promove o encontro de um belo design com uma ótima engenharia.

Senso estético aguçado e conhecimentos além da média em mecânica resultaram em um modelo de motocicleta totalmente singular. Estamos falando da Octavia 650, cuja gestação levou seis meses!

Entendendo o design interessante e diferenciado como algo que requer paciência e criatividade ao realizá-lo, o sul-africano Jens Henkwl resolveu desmontar uma BMW 650 XChalange, mantendo intactos apenas o seu motor super potente Rotax BMW e seu quadro, dado sua confiabilidade e estabilidade para acrescentar às peças uma série de particularmente usinadas e customizadas manualmente, o que inclui o tanque de metal, seu banco de couro e uma traseira toda feita de fibra. Em sua oficina Hyde Designs monta a Octavia 650! Detalhista e minucioso, o autor da obra de arte trabalhou em cima de um conceito especial para a moto, de modo que ela prima por uma perspectiva angulosa e limpa.

A BMW 650 XChalange é um modelo enduro que conta com uma longa lista de itens opcionais e acessórios, destacando-se por seu quadro, suspensão e freios. Intrinsecamente aventureira, a permanência do quadro e do motor original na nova Octavia 650 não é sem propósito. Com um motor que possibilita que a moto tenha muita força, especialmente em baixas e médias rotações, de forma silenciosa e performática. O cabeçote e o mapeamento da injeção do motor Rotax já vieram modificados, tornando-se mais robusto e econômico.

Acabamento e detalhes minimalistas e bem cuidados caracterizam a Octavia 650, a saber: o posicionamento e o visual do escapamento, a incorporação das setas traseiras e luz de freio no chassi da moto, a linda usinagem na tampa do tanque de combustível e o painel sem poluição visual, já que conta apenas com o velocímetro analógico predominando-o. Esteticamente, a moto mistura o estilo vintage com algo futurista e o que parece contraditório resulta em um modelo único no mercado.

Avaliada em treze mil e duzentos dólares, a Octavia 650 é para os motociclistas descolados e despojados, mas que primam por bom desempenho, velocidade e estilo em um veículo só. A Octavia 650 é toda especial, sua carenagem personalizada se destaca, bem como a potência de sua desenvoltura, tratando-se de uma boa mescla entre engenharia e design.

Flávia Alves Figueirêdo Souza


As motos ganham cada vez mais espaço no cenário nacional devido à sua versatilidade e praticidade, além disso, o preço bastante acessível da maioria dos modelos também influencia bastante já que muitos não possuem condições de adquirir um automóvel. Outro detalhe é que no Brasil também podemos encontrar uma variedade imensa de modelos quando o assunto é moto, isso pelo fato de que muitas montadoras atuam no país.

Uma das marcas mais consagradas e procuradas no mercado nacional em relação às motos é justamente a Yamaha, que é nada menos que o segundo lugar em número de vendas de motos no Brasil. Se você está buscando um lançamento então saiba que a Yamaha também possui um e trata-se da sua nova trail, a Yamaha XTZ 150 Crosser 2014 que teve preços, fotos, ficha técnica e muito mais divulgados.

A XTZ 150 é uma moto com design aventureiro, porém a mesma também foi fabricada para as vias urbanas, ou seja, é um modelo versátil e recomendado para quem não foge de uma boa aventura e ao mesmo tempo necessita de uma moto para seu dia a dia. A mesma dispõe de moto de 1 cilindro de 149,3 cc, potência de 12,4 cavalos a 7.500 rpm, o torque é de 1,29 kgfm a 6.000 rpm, possui câmbio de 5 marchas, tanque de 12 litros e seu peso seco é de 120 kg. A moto ainda possui injeção eletrônica, o propulsor é flex, dessa forma, pode rodar com etanol, gasolina ou ambos.

Para aqueles que estão interessados em adquirir o mais novo lançamento da Yamaha saibam que a XTZ 150 Crosser terá suas vendas iniciadas no país a partir do mês de abril. Os preços da moto foram definidos das seguintes formas:

– XTZ Crosser 150 E (Freio a tambor na dianteira): R$ 9.050;

– XTZ Crosser 150 ED (Freio a disco na dianteira e Ajuste de guidão): R$ 9.350.

Por Bruno Henrique

Yamaha XTZ 150 Crosser 2014

Foto: Divulgação


A alemã BMW anunciou nesta semana que vai sim comercializar o S 1000 R no Brasil a partir do próximo ano.

A nova naked deverá custar em torno de R$ 60 mil e deve ser lançada ainda no primeiro trimestre, porém, ainda sem data confirmada.

O modelo S 1000 R chega a até 162 cv de potência e já vem de fábrica com dois modos de pilotagem sendo Rain e Road que são muito cogitados na Europa. O modo Rain tem a função de limitar a potência a 136 cv em casos de chuvas ou simplesmente pistas molhadas e o modo Road oferece melhor desempenho ao tempo adverso em estradas urbanas.

O pacote sport oferece no opcional mais dois outros modos: o  Dynamic e Dynamic Pro, que são responsáveis pela alteração dos ajustes de controle de tração e também dos freios ABS. Este pacote oferece ainda o quick-shift que fica responsável pela troca rápida de marchas sem a necessidade do uso da embreagem e também o controlador automático que age na sua velocidade.

No Brasil ainda é escasso o conhecimento para alguns consumidores em relação à categoria duas rodas da alemã BMW. A montadora pretende também aumentar o seu leque de consumidores pelo Brasil a fim de levar a qualidade por um preço que possa ser acessível também para a classe B, onde o número de motocicletas vendidas é muito menor em relação a outros países como a Europa, por exemplo.

Se for para contar no quesito design, os especialistas da marca já dão como certo o sucesso também pelo Brasil. O farol dianteiro possui linhas assimétricas assim como outros detalhes que são características muito semelhantes a do modelo esportivo S 1000 RR.  A estreia deste modelo foi feita no Salão de Milão este ano apresentando, a princípio, as cores Racing Red (vermelho esportivo) ou Light White (branco).

Por Luciana Ávila

BMW S 1000 R

Foto: Divulgação


O setor de motocicletas apresentou queda de 11,4% nos primeiros 15 dias do mês de setembro em comparação com o mesmo período de agosto. Foram emplacadas 57.319 motos, sendo que a primeira quinzena do mês anterior totalizou 64.688 unidades comercializadas em todo o território nacional.

O índice atual, quando comparado ao período igual no mês de setembro do ano passado, apresenta pequeno aumento de 0,6% (56.980 unidades). As informações foram publicadas pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

De acordo com a entidade, apresentando 10 dias úteis, a 1ª quinzena de setembro apresentou média de 5.732 unidades vendidas ao dia, sendo que no período referente ao ano passado, foram totalizadas 6.331 vendas (em 2012 houve um dia a menos).

Segundo a Abraciclo, o segmento provavelmente será impulsionado com a realização do evento Salão Duas Rodas, a ser realizado entre os dias 8 e 13 do mês outubro, na Zona Norte da capital de São Paulo. A feira irá ocupar área de mais de 100 mil metros quadrados do Pavilhão de Exposições (Anhembi), mais conhecido como Sambódromo, em 450 empresas expositoras de diversos do segmento aguardam a visita de aproximadamente 260 mil pessoas.

Por Marcelo Araújo


A empresa BMW apresentou o scooter C Evolution, modelo com funcionamento inteiramente elétrico, durante o Salão de Frankfurt. A moto move-se através de uma bateria de 8 kWh (íon-lítio) e produz máxima potência de 47 cavalos.

O scooter C Evolution vai de zero a cem quilômetros por hora em 6,2 s, atingindo máxima velocidade de 120 km/h, que é eletronicamente limitada. Após completada a carga, em cerca de quatro h plugada em tomada voltagem 220 e corrente de 12A, o modelo apresenta independência de 100 quilômetros. O C Evolution ainda foi equipado pela marca com um conjunto que recupera a energia através de sistema de frenagem e até também quando é desativado o acelerador.

São 4 versões de recuperação da energia e entrega da potência: Road, Eco Pro e Sail. Fora a tecnologia para a reposição da energia, o sistema de controle de torque marca presença no scooter da marca, o que evita que extrapole a aceleração da roda de trás e chegue ao limite aderente ao solo. A opção final da produção deste primeiro modelo de scooter inteiramente elétrico da empresa ainda não possui dia para chegar às lojas autorizadas da marca.

Por Marcelo Araújo

BMW C Evolution


A Comet 650R, da Kasinski, é moto ideal para quem gosta de pilotar modelos do tipo esportivo. Ela tem um desing moderno,é de alata cilindrada e bastante agradável, super confortável de controlar.  As traseiras com Leds e os  89,6 cv de potência que ela oferece são pontos muito interessantes e que tornam essa moto ainda mais fascinante.

O preço,por sua vez, procura ser competitivo de acordo com seu segmento,com sua linha  de atuação em termos de mercado e público consumidor.  Seus preços, portanto, variam entre R$ 24.300  e R$ 24.800, dependendo da pintura e do modelo escolhidopelo cliente.

Ela pesa 198 kg e tem  motor de V2 de 650 cm³ roletado.Suas características são, sem nenhuma dúvida,muito boas para quem ainda é iniante em pilotar máquinas, motos esportivas. No mais, no que diz respeito as cores, a Comet 650R possui as seguintes opções nesse sentido: vermelha, preta, branca e preta ou vermelha e preta.  

Seja como for,para não esquecer de informar o leitor sobre ospontos negativos dessa moto,o fato é que elapeca por não ter sistema de freios ABS como algumas rivais.  No entanto, numa visão geral, ela passa no teste.

Por Madson Lima de Oliveira


Falaremos um pouco sobre a Yamaha Factor K1 2014. Em primeiro lugar vale dizer que, embora essa moto esteja bem modernizada e estilosa, o fato foi que ela teve de perder equipamentos para ficar mais acessível, mais barata para seus clientes.

Seja lá como for, a nova Yamaha vem equipada com Motor SOHC e também com  motor monocilíndrico de 124 cm³.  Seu peso, em ordem de marcha, é de 117 kg, enquanto sua potência vai de 10,2 cv a 7.800 rpm.

Outro ponto a ser destacado que esse veículo vem com freios a tambor em sua dianteira e traseira. Porém, como devemos informar os pontos negativos, a questão é que o ''piloto'' sente que, quando a pista não é boa, parece faltar os freios a disco. Essa motocicleta é boa especialmente para quem está começando a andar de moto agora.

No ano passado, com efeito, essa moto foi a sexta que mais vendeu em todo o país. A Yamaha, ao perceber esses números positivos, resolveu não encarecer muito sua nova versão, pensando assim em não perder os atuais e novos consumidores possíveis.  Não obstante, em termos de preço, vai depender da quilometragem da K1 escolhida.

Por Madson Lima de Oliveira


Nós, as pessoas que gostam de motos, não devemos nem  podemos apenas vilsumbrar nossas amadadas por conta de suas características físicas: motor,cor,design entre outros. Para entender mais sobre esse veículo, no entanto,precisamos nos informar mais, ler mais sobre esse meio de transporte e de vida que tanto apreciamos. Por isso, para os leitores ''motomaníacos'', aqui vai a dica de um livro que todos os amantes de moto devem ler: Motos dos Sonhos – As 62 motocicletas mais desejadas do planeta.

Essa obra traz 62 motocicletas dos mais variados gostos, estilos e encantos. O livro, publicado e organizado pela Editora Europa, traz todos os segredos,os pormenores, as curiosidades, a ficha técnica e as histórias de todas as, segundo o autor, sessenta e duas motos mais desejadas de todo o universo.

O escritor de Motos dos sonhos, o editor da famosa revista de motos MotoMax, afirmou que o diferencial dessa leitura é que,além de divertir e informar o público, ela não diz qual a memlhor das 62 motos,pois isso vai depender do gosto de cada um.  O valor do livro é R$ 35,91.

Os exemplares são facimente achados na internet ou nas principais livrarias do país.

Por Madson Lima de Oliveira
 


Nova Suzuki V-Strom 650Mais um lançamento da Suzuki para o ano de 2013 foi a V-Strom 650, um modelo veloz e que alia esportividade e potência. Além do design impecável, a nova V-Strom 650 apresenta um ótimo desempenho. Este modelo está mais leve e potente que a versão anterior, permitindo uma resposta mais rápida à aceleração.

O motor da V Strom 650 é o V-Twin de 645 cm³. Ele proporciona uma aceleração constante aumentando a potência gradativamente. A potência máxima atingida pela moto é de 67 cavalos a 8.800 rpm, além de um torque de 6,12 kgf.m a 6.400 rpm.

O chassi da V-Strom 650 está mais rígido e apresenta dupla longarina, além de balança de liga de alumínio, proporcionando uma direção mais suave e estável. A suspensão dianteira possui uma pré-carga com mola ajustável e um tubo de 43 mm na suspensão traseira. Com essas configurações, é possível ajustar a pré-carga da mola através de um regulador.

A V-Strom 650 ainda possui freios ABS (disco duplo na frente) e capacidade de tanque de 20 litros de combustível. Ela está disponível nas cores azul e branca e seu preço é de R$ 34.900.

Por Robson Quirino de Moraes


A nova Suzuki trouxe algumas novas versões para o mercado brasileiro este ano. Uma delas é a GSX-R750. Um modelo poderoso e robusto. Ela conta com um sistema de circuito de contrle de ignição muito avançado que foi desenvolvido com base na MotoGP, modelo utilizado na principal competição de motos do mundo.

A Suzuki GSX-R750 está equipada com um motor tetracilíndrico de 750 cm³ capaz de render 150 cavalos de potência. Ele foi projetado para aumentar a resposta, dessa forma o condutor pode desenvolver toda a potência de maneira controlada. A potência máxima é de 106 hp a 10.000 rpm, enquanto o torque pode chegar a 8,16 kgf.m a 9.000 rpm.

O modelo possui um cicuito de controle de ignição transistorizada que foi desenvolvida a partir da tecnologia usada na MotoGP, contribuindo para a combustão completa.  O diferencial fica por conta da balança articulada digital tipo link, o amortecedor possui ação progressiva apresentando sete modos de ajuste.

Disponível nas cores preta e azul, a GSX-R750 tem um design atraente com fortes linhas bem estruturadas. O preço desta máquina é de R$ 49.900. Pode parecer caro, mas os recursos e o poder proporcionado faz valer a pena.

Por Robson Quirino de Moraes


A Suzuki lançou este ano no Brasil, cinco motos inéditas no país e uma delas é a Gladius. Essa moto é versátil e possui um design diferenciado que proporciona mais conforto. O guidão em formato tubular, o posicionamento das pedaleiras e o acento também permitem uma pilotagem segura que pode durar várias horas sem o condutor se cansar.

O motor é um V-Twin de 90 graus de 645 cm³ DOHC que pode gerar até 70 cavalos de potência. Ele possui refrigeração líquida e injeção eletrônica de combustível, permitindo uma resposta rápida a aceleração.

O câmbio possui sistema de seis marchas. Com rodas de aro 17, o conjunto de frenagem tem disco duplo na roda da frente. O tanque apresenta uma capacidade de 14,5 litros de combustível.

A Gladius conta com um painel de instrumentos com mostradores analógicos e digital para conta giros e velocímetro. As luzes indicam reserva de combustível, além de um hodômetro que indica quando o combustível chega na reserva.

A Gladius já está disponível nas concessionárias nas cores preta, azul e cinza. Ela está custando a partir de R$ 26.990.

Por Robson Quirino de Moraes


No final de janeiro, a BMW anunciou mais um recall da moto S 1000 RR em menos de doze meses no território brasileiro.

Dessa vez, o problema que a marca indicou é que há a necessidade da revisão do cavalete lateral que serve de apoio da moto, porque alguns parafusos e algumas roscas podem estar frouxos. Ainda conforme a BMW em seu comunicado, a S 1000 RR pode vir a cair enquanto estiver estacionada por causa desse problema e isso pode causar algum dano para qualquer pessoa que estiver próxima.

O recall atual envolve 777 motos que foram fabricadas entre outubro do ano retrasado e agosto do ano passado. É necessário que a revisão seja agendada a partir do dia 18 de fevereiro, o que pode ser feito em qualquer concessionária da marca.

Na revisão, os componentes serão avaliados e analisados, e caso seja necessário serão trocados. O tempo previsto para executar a revisão é de mais ou menos duas horas. Os chassis das motos envolvidas são: de Z030609 a Z036210 e de Z029188 a Z029390.

Qualquer dúvida ou solicitação de informações adicionais devem ser encaminhadas via SAC da BMW no telefone 0800 707 3578 ou então via site oficial (www.bmw-motorrad.com.br).

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: