País registra queda superior a 30% no primeiro semestre de 2016, se comparado com o mesmo período do ano passado.

A crise econômica que está instalada no país assola todos os setores da economia e no setor dos fabricantes de motocicletas não acontece de maneira diversa, haja vista que a Associação dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abracido), divulgou nesta última quinta-feira, dia 07 de abril de 2016, dados que demonstram que ocorreu no Brasil uma redução de 36,9% na produção de motocicletas somente neste primeiro semestre de 2016.

Segundos os dados mensurados, no período compreendido entre os meses de janeiro e março de 2016, 227.426 motocicletas foram fabricadas no país, enquanto que no mesmo período do ano de 2015 tivemos a fabricação de 360.187 motocicletas.

Outro dado obtido nessa mensuração foi a diminuição das vendas no atacado, ou seja, venda realizada pelas montadoras para as suas respectivas concessionárias. Em termos percentuais, o decréscimo de vendas ficou em 37,4%, uma vez que no primeiro triênio deste ano somente 215.372 motocicletas foram comercializadas enquanto no mesmo período do ano passado as estatísticas apontam que houve a comercialização de 343.817 motocicletas.

Com a relação à comparação entre os números obtidos nos dois meses anteriores a abril, no mês de março 80.410 unidades saíram das linhas de produção, enquanto que no mês de fevereiro este número reduziu para 71.095 motocicletas. Já se olhado o mês de fevereiro de 2015, a redução é assustadora, tenho em vista que saíram da linha de produção das fabricantes nada mais nada menos que 127.301 unidades.

Já com relação às exportações, o quantitativo mensurado neste primeiro trimestre teve uma elevação de 116,5%, sendo que neste ano foram exportadas 13.749 unidades e no ano passado este número não passou de 6.351 motocicletas.

Os números dos novos emplacamentos oriundos do Renavam também são desanimadores, uma vez que de janeiro a março deste ano foram emplacadas 239.923 novas motocicletas, enquanto que no mesmo intervalo de meses do ano passado foram emplacadas 326,690 novas unidades, redução esta que em termos de percentuais representa um decréscimo de 26,6%.

O certo é que não só os setores de fabricação e venda de motocicletas estão aguardando que a economia brasileira reaja, a fim de obterem estatísticas animadoras, tais como eram no passado.

Por Adriano Oliveira


Queda registrada nas vendas de motocicletas foi de 10,5% no 1º semestre de 2015. Honda foi a responsável por 80% das vendas, seguida da Yamaha e da Suzuki.

Durante o primeiro semestre do ano foram emplacadas 641.796 motocicletas em todo país, o que representa uma queda de 10,5% em relação ao mesmo período do ano passado, que alcançou 717.707 unidades vendidas. O resultado foi considerado o pior desde o ano de 2006. Os dados foram divulgados pela Fenebrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Segundo a organização, a Honda foi responsável por aproximadamente 80% das vendas de motocicletas realizadas no primeiro semestre deste ano, vendendo 519.575 unidades. A japonesa Yamaha emplacou 76.058 unidades, alcançando a marca de 11,8%. Já a montadora Suzuki garantiu 1,5% das vendas.  As montadoras Dafra e Shineray foram responsáveis pelo restante das vendas do segmento.

Isso ocorre porque a economia brasileira tem passado por maus momentos desde o início do ano. O aumento do dólar, o aumento da taxa básica Selic e o aumento da inflação fizeram com que os brasileiros deixassem de consumir vários produtos, dentre eles as motocicletas. Além disso, as instituições financeiras diminuíram o volume de financiamento para venda de imóveis e automóveis.

Em maio do ano passado, foram comercializadas 105.506 motocicletas. Já em junho deste ano foram emplacadas 101.130 unidades, o que representa uma queda de 4,1%. Se compararmos as vendas do mês de junho de 2014, a queda é de 2,63%. Apesar da diminuição de vendas em relação ao ano passado, o segmento de motocicletas é o menos afetado pela economia até o momento.

Segundo dados da Fenabrave, houve queda de 20,7% na venda de veículos automobilísticos (carros, ônibus, veículos comerciais leves e ônibus). A organização acredita que os consumidores brasileiros estão deixando de comprar automóveis para adquirir motocicletas, o que de certa forma está auxiliando o segmento.

A Fenabrave prevê que até o final do ano sejam emplacadas aproximadamente 1.301.204. Se o resultado for confirmado, haverá queda de 9% em relação às vendas realizadas no ano passado.

Por Wendel George Peripato

Venda de motos

Foto: Divulgação


A crise brasileira continua afetando todos os setores e agora é a vez das motos amargarem baixa nas vendas. A redução no número de motos comercializadas no mês de fevereiro foi de 21,5%.
Para se ter ideia da queda no setor, em fevereiro do ano passado, foram emplacadas 119.504 unidades. Em fevereiro deste ano, foram apenas 93.796 unidades. E em relação ao mês de janeiro, a queda foi de mais de 13%.

A notícia desanima não só as empresas envolvidas diretamente na venda de motos, como todas as outras, pois a venda de motos vem servindo como uma espécie de "termômetro" para a economia, pois as pessoas estão adquirindo o veículo para se locomoverem com maior facilidade, seja para ir ao trabalho, faculdade ou para o lazer. As motos também são muito procuradas por profissionais que trabalham sobre duas rodas, na entrega de documentos, produtos, alimentos, medicamentos e vários outros itens.

O anúncio de queda na venda das motos significa que não apenas este setor, mas vários outros estão em crise e reduzindo custos e cortando vagas de emprego. Em janeiro deste ano a redução nas vendas, de acordo com a Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – foi de 13,6% e em fevereiro, a redução chegou a 21,5%. Os números preocupam e muito, pois mostram que a crise vem só se agravando.

Somando as vendas de janeiro e fevereiro deste ano, temos 202.435 unidades comercializadas, que é um número 20% menor se compararmos com as vendas obtidas nos meses de janeiro e fevereiro de 2014, onde foram comercializadas 253.163 unidades. Nos últimos 9 anos, este foi o pior resultado.

As motos da Honda continuam mantendo a liderança absoluta nas vendas, pois teve 74.945 motos emplacadas, deixando a marca com 79,9% do mercado. A Yamaha segue na segunda posição, tendo emplacado 11.847 unidades, ficando com 12,6%.

A Suzuki ficou com a terceira posição, vendendo apenas 1.289 unidades, apenas 1,37% do mercado, seguida pela Dafra que vendeu 8 unidades a menos que a Suzuki, garantindo só 0,9% do total das vendas.

Por Russel

Vendas de motos

Foto: Divulgação


A empresa americana Indian Motorcycle (do grupo Polaris) já atua no país com uma linha de quadriciclos e vê uma boa oportunidade para atuar no mercado de motocicletas. A montadora foi criada em 1901 e é uma das pioneiras na fabricação de motocicletas, quadriciclos, veículos para neve, entre outros.

Ainda não há uma data específica, mas no site da empresa já é possível ver o aviso de que em breve a empresa irá atuar no Brasil. Dentre as opções, está a montagem das motos na Zona Franca de Manaus. Segundo a diretoria, o país está no radar da empresa por ser um mercado em constante ascensão.

É provável que a linha de montagem seja realizada em regime de CDK, no qual as peças são importadas e as motos são montadas aqui. Esse modelo, usado por grandes montadoras como BMW, Ducati e Harley Davidson, mostrou-se bem eficiente.

A Indian Motorcycle irá competir com outras marcas como a Harley Davidson, Honda e Yamaha. Para atender ao mercado brasileiro, a empresa passará a ter o dobro de lojas até o fim de 2013.

Not?cias.


Para entendermos sobre as novidades de motos para 2014, uma coisa é certa: precisamos ver como foram as vendas desses veículos de duas rodas no ano passado. Sim, saber quais foram as motos mais vendidas em 2013 pode fazer com que fiquemos por dentro dos principais lançamentos e detalhes novos que irão despontar. 

Assim sendo, pois, o fato é que o mercado teve várias surpresas e, para que o leitor seja bem informado, mostraremos um pouco disso tudo nessa matéria. Seja bem como for, a Honda CG 150 continuou na liderança e continua sendo a moto mais vendida do Brasil.

Por ser uma moto completa e por ter um preço acessível, a verdade é que essa motocicleta parece ser imbatível quando estamos falando do número de vendas. Ela é uma moto singela e simples, mas sua praticidade e conforto parecem agradar uma miríade de públicos e pessoas que buscam comodidade e beleza em suas escolhas. 

Outras motos também tiveram grande destaque no ano de 2013 e prometem crescer ainda mais no ano atual. A Honda Biz, por exemplo, ficou em segundo lugar no que tange ao número de vendas. Trata-se de uma moto rápida e dinâmica, com uma leveza e também com bastante praticidade para os interessados. O preço também ajudou nessa configuração.

Em terceiro lugar, com efeito, vemos a Honda Cg 125, pormenor este que revela o poder da Honda que, nesse período, ficou com os três primeiros lugares. A Yamaha, por sua vez, promete investir em mudanças radicais para tentar superar a força da Honda. A Honda NXR 150, com sua simplicidade, ficou na quarta posição por conta de sua modernidade e segurança.

Sendo assim, levando em conta esses dados, o fato é que a Yamaha é a única marca que parece ter possibilidades de bater de frente com a Honda em 2014. 

Por Juan Wihelm


O setor de motocicletas apresentou queda de 11,4% nos primeiros 15 dias do mês de setembro em comparação com o mesmo período de agosto. Foram emplacadas 57.319 motos, sendo que a primeira quinzena do mês anterior totalizou 64.688 unidades comercializadas em todo o território nacional.

O índice atual, quando comparado ao período igual no mês de setembro do ano passado, apresenta pequeno aumento de 0,6% (56.980 unidades). As informações foram publicadas pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

De acordo com a entidade, apresentando 10 dias úteis, a 1ª quinzena de setembro apresentou média de 5.732 unidades vendidas ao dia, sendo que no período referente ao ano passado, foram totalizadas 6.331 vendas (em 2012 houve um dia a menos).

Segundo a Abraciclo, o segmento provavelmente será impulsionado com a realização do evento Salão Duas Rodas, a ser realizado entre os dias 8 e 13 do mês outubro, na Zona Norte da capital de São Paulo. A feira irá ocupar área de mais de 100 mil metros quadrados do Pavilhão de Exposições (Anhembi), mais conhecido como Sambódromo, em 450 empresas expositoras de diversos do segmento aguardam a visita de aproximadamente 260 mil pessoas.

Por Marcelo Araújo


A Suzuki lançou este ano no Brasil, cinco motos inéditas no país e uma delas é a Gladius. Essa moto é versátil e possui um design diferenciado que proporciona mais conforto. O guidão em formato tubular, o posicionamento das pedaleiras e o acento também permitem uma pilotagem segura que pode durar várias horas sem o condutor se cansar.

O motor é um V-Twin de 90 graus de 645 cm³ DOHC que pode gerar até 70 cavalos de potência. Ele possui refrigeração líquida e injeção eletrônica de combustível, permitindo uma resposta rápida a aceleração.

O câmbio possui sistema de seis marchas. Com rodas de aro 17, o conjunto de frenagem tem disco duplo na roda da frente. O tanque apresenta uma capacidade de 14,5 litros de combustível.

A Gladius conta com um painel de instrumentos com mostradores analógicos e digital para conta giros e velocímetro. As luzes indicam reserva de combustível, além de um hodômetro que indica quando o combustível chega na reserva.

A Gladius já está disponível nas concessionárias nas cores preta, azul e cinza. Ela está custando a partir de R$ 26.990.

Por Robson Quirino de Moraes


Uma opção de transporte que está sendo utilizada cada vez mais no Brasil são as bicicletas elétricas.

No entanto, este tipo de veículo necessita de uma regulamentação mais específica já que segundo a indústria deste setor uma bicicleta elétrica consiste em um veículo com um motor auxiliar movido a eletricidade com uma potência de até 250 Watts e que possui controle de velocidade quando atinge velocidade de 25 km/h.

Fonte: Novasdodia

 

Este conceito dos fabricantes de motos e bicicletas foi levado para o órgão fiscalizador Contran com o objetivo de obter uma regulamentação do seu uso até julho de 2013.

Por Ana Camila Neves Morais


O mercado de motocicletas no Brasil conta com mais um modelo inovador: a VFR 1200X Crosstourer.

Este veículo possui um motor V4 com 1.236 centímetros cúbicos alcançando uma potência de 129 cavalos e um torque máximo de 12,8 kgfm.

Além disso, esta moto conta com um câmbio automático eletrônico com sistema DCT de dupla embreagem que possui três possibilidades de uso: Manual, automático Sport e Totalmente Automático.

Fonte: Motonline

Outras características interessantes da VFR 1200X Crosstourer são os freios Combined ABS, controle de tração e rodas com 19 polegadas.

No seu aspecto estético, este veículo possui um design esportivo, painel digital multifuncional, piscas com lâmpadas de LED e para-brisas inovadores.

A nova VFR 1200X Crosstourer deve chegar ao mercado automotivo brasileiro nos primeiros meses de 2013, mas os seus valores não foram divulgados pela montadora.

Por Ana Camila Neves Morais


A Husqvarna, empresa especializada na venda e fabricação de motos fez uma atualização do seu modelo TE310 R.

Em sua parte mecânica, esta moto conta com motor de 302,4 centímetros cúbicos, injeção eletrônica, movido à gasolina, câmbio manual de seis marchas que alcança uma potência de até 45 cavalos e um torque de, no máximo, 5 kgfm.

Além disso, a TE310 R vem com pneus de 18 e 21 polegadas, tanque com capacidade para 8,5 litros de combustível e 2,26 metros de comprimento total.

O design da nova Husqvarna é bem moderno com pinturas e adesivos mais resistentes e um painel simples com comando para a partida elétrica da moto.

Todas estas inovações da TE310 R irão chegar no Brasil com valores a partir de R$24.000 tendo como grandes concorrentes a Yamaha TT-R230, Honda CRF 230 e a Kawasaki KX 250 F.

Por Ana Camila Neves Morais


A crise de vendas no setor de motos começa a dar sinais de superação, pois segundo avaliação da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Motonetas, Ciclomotores, Bicicletas e similares) houve um aumento na quantidade de motos que foram vendidas neste mês de novembro.

Este estudo foi feito com base nos licenciamentos das motos feitos por meio do Renavam o qual indicou, na primeira quinzena de novembro, 6.454 motos vendidas por dia contra 6.124 unidades vendidas no mês anterior.

Apesar deste indicador positivo, o setor ainda tem dados preocupantes como a diminuição de 5,2% nos emplacamentos de motos (58.083 em novembro contra 61.240 em outubro de 2012) e uma redução de 22,5% nos licenciamentos efetuados.

Mesmo com estas estatísticas, o aumento na quantidade diária de motos vendidos em novembro mostra o início do crescimento do setor impulsionado pela diminuição do IPI e o aumento da quantidade de linhas de crédito disponíveis para a compra de motos.

Fonte: Carpress

Por Ana Camila Neves Morais


O dia de abertura da edição 2011 do Salão Duas Rodas, que acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, foi cheio de novidades para o público brasileiro. Uma delas é que a partir de novembro estará nas revendedoras oficiais da Honda de todo o Brasil a nova CBR 600F, motocicleta do segmento esportivo, que chega para completar a gama de média/alta cilindrada da marca japonesa vendida no país.

O modelo conta com um desenho bastante arrojado e esportivo, marcado principalmente pela carenagem integral, que serve para diminuir os efeitos do vento e da resistência aerodinâmica sobre o condutor, e pelos semi-guidões, que disponibilizam uma posição mais confortável para o piloto, seja na estrada ou na cidade. Ainda no quesito conforto, as novidades são as alças do garupa embutidas nas laterais; o novo posicionamento das pedaleiras; e a parte traseira mais alta.

Outros destaques são o motor DOHC 16V, de 599,3 cm³, refrigerado a água, que gera, de acordo com a montadora, 102 cv de potência e 6,53 kgfm de torque; a suspensão de garfo telescópico invertido na dianteira e de monochoque com molas ajustáveis na traseira; os pneus do tipo 120/70 na frente e 180/55 atrás; o tanque de combustível com capacidade para 18 litros; e o painel de instrumentos digital.

A CBR 600F será produzida em Manaus, e estará disponível nas versões Standard, com preço sugerido de R$ 32.500 e na cor branca, e C-ABS, nas cores branca e preta, que vai custar R$ 35.500.

Por André Gonçalves

Fonte: Honda


Um bom meio de transitar pelas caóticas ruas, avenidas e estradas de todo o país é se valer de motocicletas. Simples ou de montagem mais complexa, pelos grandes centros urbanos pode-se notar sua utilização para vários fins, desde locomoção para chegar mais rápido ao serviço até o seu uso para uma função específica, como motoboy.

A montadora BMW Motorrad Brasil deu início às vendas de seu mais novo modelo montado sob o regime Complete Knock Down, batizado simplesmente de F 800 R. A fabricante passou a utilizar esse processo de composição desde o fim de 2009 em sociedade com a DAFRA Motors, dando origem ao modelo G 560 GS.

De acordo com a fabricante, o novo modelo é focado no segmento médio e possui características esportivas, de condução dinâmica. Um dos diferenciais é o fato de seus assentos, para piloto e acompanhante, serem extremamente confortáveis e seguros.

O motor da F 800 R é de dois cilindros, com total aptidão para desenvolver potência máxima de 87 cavalos a 8.000 rotações por minuto (RPM). O exemplar já pode ser adquirido nas concessionárias por um valor de R$ 36.900 nas tonalidades amarela, branca e cinza granito.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa


A Honda lançou um conceito inovador no seu segmento de motocicletas com a sua nova moto VFR 1200F. O modelo foi exibido na última edição do Salão do Automóvel e agora chega ao Brasil, exibindo um design moderno e com ares futuristas.

A VFR 1200F vem com motor de 4 cilindros de 172,7 cavalos de potência, transmissão automática, dupla embreagem eletrônica, carenagem dual layer (duas camadas), que permite desviar o condutor da moto do ar quente que sai do motor. Essa camada dupla também confere uma aparência cheia de estilo e personalidade ao modelo. Além disso, a VFR apresenta relógio, conta-giros analógico, visor que indica a quantidade de combustível no tanque e o quanto a moto está consumindo, sendo capaz também de informar a temperatura ambiente.

A moto VFR 1200F vai chegar às concessionárias Honda custando em torno de R$ 69,9 mil

Foto: Freedom Honda

Por Andrea Gomes


A Yamaha XT1200Z Super Ténéré 2012 estará à venda a partir da segunda quinzena de março no país. Seu design busca a  interação entre o piloto e a máquina. Possui motor compacto e se adapta às estradas de terra e serras.

O motor de virabrequim de 270 graus melhora sua tração e traz uma sensação de suavidade. A Super Ténéré ainda vem com a função Yamaha D-Mode que deixa o condutor selecionar modos de pilotagem que se encaixam com a sua maneira de dirigir.

Com preço sugerido de R$ 59.800, possui tanque de combustível de 23 litros, suspensão mono-amortecida com link, bagageiro triplo, escapamento curto 2 em 1 elíptico com catalisador de 3 vias, injeção eletrônica, sistema de ignição elétrica e também sistema unificado de freios e ABS de controle linear.

Por Danielle Vieira


A crise financeira parece estar passando, ou pelo menos, estão falando nela com menor intensidade. Porém, não é o que ocorre na prática em alguns mercados, essencialmente os europeus. A venda de motos de grande cilindrada, por exemplo, tiveram uma queda em suas vendas, essencialmente por serem veículos ditos de “segunda necessidade”, haja vista seu valor expressivo.

Assim sendo, o ano de 2009 não foi nada simpático para essas motos mais robustas, mas espera-se que em 2010 a situação pelo menos se normalize.

Em Portugal, por exemplo, atualmente vende-se pouco mais de 10 mil unidades / ano; número bastante inferior aos aferidos no início de 2000.





CONTINUE NAVEGANDO: