Modelo deverá chegar ao país em breve.

A Ducati SuperSport 2019 está deixando para trás a sua tradicional Ducati Red, com a montadora de bicicletas italiana anunciando uma introdução de mais uma nova cor.

Com certeza será um modelo muito bonito onde suas novas cores encaixarão ao seu modelo esporte.

Será chamada como Titanium Grey, esta sombra irá adornar o corpo da moto com um acabamento em cinza fosco, enquanto a sua armação e os seus aros na roda exibem um novo visual vermelho que dará um ótimo contraste.

No entanto, ela não sofrerá nenhuma mudança em seus preços, isso significa que a nova Ducati continuará sendo vendida pelo valor de US$ 12.995 (mais ou menos R$ 48.000) ou até US$ 14.995 (média de R$ 55.500) pela SuperSport S, sem nenhuma taxa e imposto a mais.

Embora a Ducati SuperSport tenha sido introduzida pela sua primeira vez no ano de 1972, esse modelo atual pode ser intitulado como ‘SuperSport’. Essa nova moto icônica pode agora se beneficiar com um potente motor o Testastretta que contém dois cilindros e 937 cc, resultando numa potência de 110 pôneis além de ter desenvolvido outros recursos para a sua segurança, como o seu novo freio em ABS e o controle para tração.

O seu novo painel de instrumentos é bem compacto, completo possuindo um display de LCD, que mantém o motociclista sempre informado e muito bem atualizado a todos os momentos. Sinta você mesmo à vontade para poder configurar a sua própria Ducati através do site oficial da montadora, ou se preferir pode usar a versão S, que já vem com um Quick Shift mudando para cima / baixo, e uma cobertura muito especial para o seu passageiro e um garfo totalmente bom, o Öhlins de 48 mm, além de muitas outras coisas.

Com certeza será um ótimo modelo para quem gosta de motos grandes e de alta velocidade, porém, as montadoras têm investido muito em segurança. Então mesmo sendo de alta velocidade, as empresas estão se esforçando para oferecer o máximo de segurança para seus clientes.

Hoje em dia muitas pessoas compram essas motos de alta velocidade, porém, não tem responsabilidade na hora de usar e infelizmente muitos acidentes fatais tem ocorrido. Por isso é muito importante comprar uma moto em que a empresa se importa com a segurança. Além de claro, tomar muito cuidado sempre quem for dirigir uma moto assim.

Em pista comum, não tire racha e nem ultrapasse os limites de velocidade, pois pode acabar com a sua vida ou com a vida de alguém que esteja passando por você.

Sempre pesquise muito sobre a empresa e sobre o modelo que pretende comprar, não deixe de buscar conhecer qual a filosofia de trabalho da empresa e também o histórico de suas produções.

No caso da Ducati, a empresa sempre buscou de forma íntegra produzir produtos que trarão conforto e segurança para seus clientes. Por isso é um ponto muito positivo na hora de escolher qual comprar.

Com certeza esse novo modelo virá ainda melhor do que sua versão anterior. Portanto, não temos dados ainda sobre seu consumo e outros detalhes. Porém, o que podemos esperar é que a empresa desenvolva o melhor para você.

Fique atento em todos os detalhes, não deixe de conferir sites de motos para não perder nenhum detalhe sobre essa nova moto que chegará ao Brasil muito em breve.

Se está pensando em comprar uma moto, não faça isso antes de experimentar pessoalmente a nova Ducati SuperSport 2019 e comprovar com suas próprias mãos o que estamos falando neste artigo.

Faça chuva ou sol, a nova Ducati irá colocar um grande sorriso em seu rosto.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Modelo possui design compacto e robusto com acabamento em alumínio para os protetores da correia, guidão amplo, farol com lente de vidro e iluminação de LED.

Recentemente, a Ducati apresentou várias novidades no World Premiére 2018 e no Salão de Milão (EICMA). Uma das novidades que foram apresentadas é o modelo Scrambler 1100.

Com design compacto e robusto possui acabamento em alumínio para os protetores da correia, guidão amplo, farol com lente de vidro e iluminação de LED. Possui painel de instrumento com tela de LCD localizado ao lado direito do farol com borda intercambiável e conta com informações como contador de combustível, nível de tração, temperatura do ambiente, odômetro parcial 1 e 2 e mapas. Há ainda um segundo mostrador que exibe informações como velocímetro, luz de aviso e outras informações opcionais. Tem uma tomada USB por baixo do assento, painéis laterais substituíveis, um sistema de escape que termina com 2 silenciadores altos, bancos com altura de 790 mm o que garante que tanto o piloto como o passageiro tenham bastante conforto e rodas dual sport. As motos estão disponíveis em duas cores: Amarelo 62 e uma versão na versão de cor Shining Black.

Seu motor é uma variação do Motor Monster 1100 mas com uma estrutura totalmente nova. Está mais poderoso e com equipamentos melhorados. Possui bicilíndrico em L de 2 válvulas de 1.079 cc, distribuição desmodrônica, refrigeração mista ar e óleo que entrega uma potência de 86 CV as 7.500 rpm que cumpre a homologação Euro 4, seis velocidades, controle de Tração Ducati de quatro níveis (DTC).

O combustível é transportado por um taque de 14,7 L. As rodas dianteiras possuem discos duplos de 330 mm e a parte traseira possui um disco único de 245 mm.

Veja abaixo a ficha técnica da Ducati Scrambler 1100 2018:

VISÃO GERAL

Nome variante: Ducati Scrambler 1100

Quilometragem: 19.24 km

Cores disponíveis: '62 Yellow, Shining Black Status

Garantia: 24 meses

DATA DO LANÇAMENTO

Data de lançamento Ducati Scrambler 1100 deverá ser em março de 2018.

MOTOR E CAIXA DE ENGRENAGEM

Cilindrada 1079 cc

Número de Cilindros 2

Nº de Engrenagens 6

Potência máxima 86 HP/ 7500 rpm

Torque Máximo 88 Nm/4750 rpm

Descrição do motor: L-Twin, distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar

Sistema de combustível: Injeção eletrônica de combustível

Razão de compressão: 11.0: 1

Engrenagem primária: Engrenagens de corte direto; Cadeia de transmissão final; Roda dianteira 15; Roda traseira 39

FREIOS E SUSPENSÃO

Travão dianteiro 2 x discos semi-flutuantes de 320 mm

Disco traseiro de freio: 245 mm, calibre flutuante de 1 pistão com Bosch ABS de direção

Sistema de travagem: antibloqueio (ABS)

Suspensão dianteira: Marzocchi totalmente ajustável 45 mm

Suspensão traseira Kayaba monoshock, pré-carga e rebote ajustável

Roda dianteira: 150 mm

Roda traseira: 150 mm

RODAS E PNEUS

Pneu dianteiro: Pirelli MT 60 RS 120/80 ZR18

Pneu traseiro: Pirelli MT 60 RS 180/55 ZR17

Roda dianteira de 10 raios em liga leve, 3,50 "x 18"

Roda traseira de 10 raios em liga leve, 5,50 "x 17"

Pneus sem câmara

Rodas de liga leve

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Comprimento total: 2190 mm

Largura total: 895 mm

Altura total: 1330 mm

Distância entre eixos: 1514 mm

Peso seco: 189 kg

Curvatura / Peso úmido: 206 kg

Capacidade do tanque de combustível: 15 litros

INSTRUMENTOS

Velocímetro Digital

Tacômetro digital

Medidor de viagem digital

Odômetro Digital

Medidor de Consumo de Combustível Digital

Relógio digital

Luz ABS

Medidor de combustível digital

Indicador de engrenagem digital

Indicador de baixo nível de óleo

Indicador de bateria fraca Início elétrico

Carregamento USB

OUTRAS INFORMAÇÕES

Quadro / Chassis Estrutura de Trellis em aço tubular

Sistema de escape / silenciador 2-1-2 com conversor catalítico e 2 sondas lambda, silenciador gêmeo de aço inoxidável com tampas de alumínio e tampas de extremidade.

Por Lorena Ruiz

Ducati Scrambler 1100


O modelo chegará ao Brasil ainda este mês, porém o seu preço não divulgado até o momento.

A montadora italiana de motos esportivas, a Ducati, recentemente informou o lançamento de mais uma nova integrante da família, chamada de 959 Panigale. O modelo é produzido na região de Bologna, na cidade de Borgo Panigale e teve seu anúncio feito ainda no ano de 2016. Segundo a fabricante o modelo chegará ao Brasil ainda este mês, porém o seu preço não divulgado até o momento.

Em 2015 ela foi anunciada e neste ano foi lançada, a menor motocicleta da dinastia foi inspirada em sua irmã mais que possui moto mais potente, a 1299 Panigale. De série já conta com o motor Superquadro de duplo cilindro, disposto em formato “L” com 955 cilindradas e com uma potência que chega a 157 cavalos ao aitngir 10.500 giros e um torque de 10,9 kgfm a 9 mil rpm que vai associado a um câmbio de seis velocidades com sistema DQS quick shif”, que facilita as trocas de marchas. O novo motor, que agora substitui o antigo de 898 cilindradas, teve componentes redesenhados e utilização de alumínio para oferecer mais desempenho, diminuir seu peso e também se enquadrar na Euro 4, as regras europeias de emissões.

A moto Panigale 959 utiliza um quadro de alumínio mono choque, uma estrutura leve e rígida, que se inspirou nos modelos utilizados na Moto GP. Na parte da frente, a suspensão é invertida e usa tubos com 43 mm e 120 mm de curso, ajustável. Na parte de trás, faz uso de uma balança tradicional em alumínio, com um amortecedor de 130 mm de curso, regulável.

A nova 959 Panigale oferece bons recursos eletrônicos e chega as concessionárias com acelerador eletrônico (ride-by-wire), controle de tração e diversos modos de pilotagem. No quesito segurança, a moto esportiva foi fabricada com um amortecedor de direção, além de um sistema de freio ABS, que utiliza discos semiflutuantes e quatro pistões nas pinças da marca Brembo. As rodas são de 17 polegadas e possuem dez raios, fazendo uso de pneus da marca Pirelli, modelo Diablo Rosso Corsa de tamanho 120/70 ZR17 na dianteira e na traseira 180/60 ZR17. Seu peso total seco é de 176 kg.

Por Filipe Silva

Ducati 959 Panigale

Ducati 959 Panigale

Fotos: Divulgação


Modelos chegam ao Brasil custando entre R$ 41 mil e R$ 42 mil.

A fabricante italiana Ducati iniciou a venda de novas versões da motocicleta retrô Scrambler, são elas: Full Throttle, Classic e Urban Enduro. Vale lembrar, que a versão Icon – modelo de entrada da linha –  é vendida no Brasil há alguns meses por preço sugerido de R$ 38.900. Já a versão Urban Enduro e Classic possui preço tabelado de R$ 41.900, enquanto a versão Full Throttle custará ao motociclista R$ 42.900.

Atualmente, a única versão encontrada a pronta entrega é a versão Icon. No entanto, as novas versões serão entregues no prazo de até quinze dias.

Para criação do novo modelo, a empresa buscou inspiração no modelo Ducati Scrambler de 1962. O modelo em questão se trata de uma motocicleta simples, com design despojado e que valoriza a paixão de pilotar.

É impossível negar, que a empresa se empenhou em criar uma releitura digna do antigo modelo, dando destaque para o formato do tanque, acabamento, design do farol, rodas, banco e traseira bastante compacta.

Apesar do design retrô, a nova linha conta com diversas tecnologias, como o uso de lanternas e farol em LED, freios ABS, painel e conta giros digital.

Em geral, as versões contam com as mesmas especificações técnicas. A motocicleta possui motor de dois cilindros que gera 75 cv de potência e 803 cc, câmbio com seis velocidades e tanque com capacidade de 13,5 litros. É possível alcançar de 0 a 100 Km/h em apenas 5.2 segundos.

A versão Urban se destaca por ter proteção extra no farol, além do para-lama dianteiro alto. Já a versão Classic ostenta um banco de couro com aparência envelhecida e suporte para placa na traseira do banco. Ambas as versões contam com rodas raiadas, que deixa o visual mais off-road.

Na versão Full Throttle a pintura é obrigatoriamente na cor preta com detalhes em amarelo. Além disso, o modelo conta com rodas em liga leve e guidão flat.

Futuramente, a montadora italiana também pretende lançar o modelo Scrambler Sixty2, que foi destaque durante o evento Salão de Milão 2015. A motocicleta possui 400 cilindradas e deverá ser fabricada ainda esse ano em Manaus. Além disso, a nova versão terá como alvo o público jovem e terá o menor preço da linha.

O modelo Ducati Scrambler é de excelente qualidade e possui bom desempenho dentro e fora das pistas. No entanto, é possível adquirir motocicletas mais potentes, esportivas e melhor equipadas pelo mesmo valor. Por enquanto, o modelo “hipster” da Ducati não possui nenhum concorrente direto no país. 

Por Wendel George Peripato


Modelo conta com algumas mudanças e com preços que partem de R$ 64.900 chegando a R$ 74.900.

Mais uma novidade está chegando ao mercado automobilístico. Agora é a Ducati que está chegando com novas mudanças que vai agradar todos os amantes desse veículo sobre duas rodas.

A Ducati está com novas adaptações como um motor Testastretta 11º na mesma potência de 162 cavalos, mas ainda mantêm os dois cilindros e 1198,4 cc. O  novo modelo pode ter uma cifra com a 9.250 rpm, mas já tinha a Diavel com 9.500 rpm. Como sofreu essas novas alterações, a moto parece que será menos agressiva e apresentará um estilo linear.

A potência do motor torque que era de 13 kgfm com 8.000 rpm passou para 13,3 kgfm, com o mesmo 8.000 rpm. Também inovou com um sofisticado farol dianteiro, novo sistema de escape, confortável assento para motorista e passageiro, adaptação também de moderno e seguro freio ABS.

O modelo também traz controle de tração para proporcionar mais facilidade em todos os modos de condução do motorista ao pilotar a moto, possibilita um consumo econômico e oferece alta potência para alcançar até mais de 200 km/h.

A estreia de divulgação foi no ano de 2011, mas agora que o veículo poderá ser confeccionado no estabelecimento de Manaus. E o preço sofreu uma alteração do modelo antigo justamente pelas novas alterações sofridas, sendo que era o valor de R$ 59.900 para o modelo antigo. Agora vai iniciar com o valor de R$ 64.900 e poderá chegar até R$ 74.900.

O modelo oferece um estilo esportivo, passou por novas adaptações que proporcionam mais segurança e conforto, não esquecendo os detalhes que permitem mais sofisticação ao produto. Além do sistema de injeção eletrônica, alta qualidade do sistema com 6 machas, partida elétrica e ignição eletrônica que já oferecia antes.

Portanto, os interessados em andar neste possante de duas rodas podem começar a pesquisar o preço e as ofertas promocionais de lançamento antes de chegar a custar o preço apresentado de R$ 74.900. Não perca tempo, mas pesquise bem para obter boas vantagens antes de fechar o negócio.

Por Jaqueline Mendes

 

Ducati Diavel

Ducati Diavel

Fotos: Divulgação


O mês de junho parece ter sido escolhido a dedo pelas fabricantes de motos para anunciarem seus lançamentos, possíveis lançamentos e projetos envolvendo motocicletas. Algumas singelas e outras que são realmente um sonho de consumo para muitas pessoas.

Nesta última classe se encontra a Diavel Dark. Anunciada recentemente aqui no Brasil pela Ducati, fabricante do modelo. A moto apresenta um “ar” todo especial e até que não é muito cara. O modelo poderá ser comprado com preços a partir de R$ 62.900. A moto vem em uma versão especial de preto fosco.

Conforme informações da montadora o modelo já pode ser comprado nas concessionárias da empresa espalhadas pelo país. A Dark tem um motor bicilíndrico com capacidade para 162 cavalos de potência a 9.500 rpm. O modelo tem três modos de pilotagem: o urban, touring e o Sport.

De certa forma a Diavel Dark se diferencia do restante dos modelos da mesma linha. A coloração preto fosco é uma das grandes responsáveis por isso. Ela está presente em praticamente toda a moto: Nas rodas, no tanque, chassi, escapamento e carenagens.

Como itens de série a fabricante informou que disponibiliza um kit chamado de Ducati Safety Pack, que traz controle de tração e freios ABS.

Com um motor de dois cilindros e 1.198,4 cc a moto acaba rendendo 13 kgfm de torque a 8.000 rpm. A refrigeração é líquida e, além disso, tudo trabalha junto com um câmbio de seis marchas.

O painel tem seus destaques. É digital e colorido, possui chave de reconhecimento por presença e marcador de marcha.

O Chassi da Diavel Dark é do estilo treliça, feito inteiramente em aço tubular que, como já sabemos se tornou uma tradição da fabricante italiana de motos. As rodas do modelo são de liga leve e contam com 17 polegadas além de serem equipadas com pneu Pirelli Diablo Rosso.

A Ducati também está comercializando, além da versão Dark, as opções Carbon na faixa dos R$ 74.900, a Cromo custando R$ 63.900 e a Black, um pouco mais barata, por R$ 58.900.

Por Denisson Soares

Foto: divulgação


Ducati 899 PanigaleO Salão de Frankfurt, na Alemanha, foi o palco para a mostra de diversos modelos. Um deles foi a Ducati 899 Panigale. Um modelo robusto que possui o nome semelhante ao da 1199 Panigale, contudo com algumas diferenças. A primeira delas diz respeito à potência menor, que ainda não havia sido explorada pela marca italiana.

A 899 Panigale possui um motor de dois cilindros, de 899 cilindradas que gera até 150 cavalos de potência, além do torque de 10,1 kgfm. O modelo apresentado no Salão de Frankfurt surpreendeu muita gente, sobretudo pela estrutura da moto, que pode marcar a entrada da Ducati no segmento de motos superesportivas.

O modelo apresenta um peso de 169 quilos, um motor do tipo superquadro e chassi monocoque, semelhantes ao modelo 1199. A única mudança significativa em relação ao modelo de maior cilindrada fica por conta do propulsor, que na 899 é menor para acompanhar as cilindradas mais baixas. Outra mudança diz respeito à balança simples e o duplo braço, que não estão presentes na 1199.

A 899 ainda apresenta controle de tração, freios ABS, acelerador eletrônico e controle de freio motor quick-shift.

O modelo chegará às lojas da Europa em outubro e não há previsão para o lançamento no Brasil. 

Por Robson Quirino de Moraes


Finalmente a Ducati confirmou quais os modelos que serão vendidos no Brasil. Além do modelo que será montado pela Dafra em Manaus, a Diavel, chegarão ao mercado nacional as Nakeds Monster 796 e Streetfighter 848, a Superbike 848 EVO e as Bigtrails Multistrada 1200 e Panigale 1199. Porém, a companhia ainda não revelou nenhuma data definida para o início das vendas dos modelos, nem o valor pelo qual serão comercializadas.

O modelo de entrada será a Naked Monster 796, que conta com motor de 803 cm³ e 87 CV. Já a Panigale 1199, modelo superesportivo, possui 195 CV e é a mais potente da gama.

Assumida pelo grupo Volkswagen no ano passado, a Ducati fez parte da apresentação que a companhia alemã fez como prévia no Salão do Automóvel de 2012. Antes, a marca era representada pelo grupo Izzo no Brasil, que também distribui motos da KTM, Husqvarna, MV Agusta, Triumph e Harley Davidson.

O fim da parceria entre a Izzo e a Ducati foi bastante conturbado, na época várias revendas no Brasil foram fechadas. Porém, em 2012 a marca abriu sua primeira assistência técnica autorizada e ainda falou sobre seus novos planos de atuação no mercado brasileiro, mas ainda não foi divulgado nenhum dos nomes dos novos distribuidores.

Por Felipe Santos Bonfim





CONTINUE NAVEGANDO: